Eurocopa

Suíça levou a melhor diante da Albânia, mas a estreante não deu sossego até o apito final

A segunda partida do grupo A da Eurocopa foi melhor do que o esperado. A Suíça, em sua quarta participação na Euro, conseguiu vencer na estreia da competição pela primeira vez. A Albânia, em sua primeira disputa pela taça europeia, corroborou nossa tese de que não seria saco de pancadas das seleções com mais tradição no torneio, e foi, mesmo, uma pedra no sapato dos suíços.

LEIA TAMBÉM: A partidaça de Payet valeu para a França arrancar uma vitória cardíaca na estreia da Euro

Parece que só os veteranos da Euro ouviram o som do apito inicial. Com cinco minutos de bola rolando, a Albânia praticamente não havia tocado na bola. E foi exatamente nesse minuto que o placar foi aberto. O goleiro Berisha saiu muito mal de debaixo das traves e acabou contribuindo para o gol da Suíça, marcado pelo zagueiro-artilheiro Fabian Schär, com sua presença de área majestosa. O defensor subiu sozinho entre os adversários e anotou: Suíça 1 a 0 contra a Albânia.

 

O resto da partida não refletiu os primeiros minutos e o gol tomado muito cedo. Os suíços pressionaram mais, trabalharam com mais calma a bola no campo de ataque e fizeram a bola lamber a trave, mas a Albânia era sólida e se posicionava muito bem defensivamente. Jogando por um contra-ataque, os albaneses finalizaram, ao todo, duas vezes em direção ao alvo. Porém, nas duas chances levaram um perigo enorme ao gol suíço.

Inclusive, em uma das oportunidades, não empataram o jogo por muito pouco. Foi bem aos 41 minutos da segunda etapa, quando Gashi recebeu um passe na cara do gol, totalmente livre de marcação, mas Sommer defendeu. Albânia foi muito bem e ameaçou bastante mesmo com um jogador a menos praticamente durante os 45 minutos finais (já que Cana pensou que o jogo fosse de handebol) e mais se defendendo do que atacando. A impressão foi de que voltaram do intervalo com um pouco mais de confiança.

Mas o personagem da partida estava a alguns metros a frente do goleiro da Suíça, que salvou sua seleção do empate nos minutos finais. Aliás, a muitos metros. Ele estava no gol oposto. Berisha se agigantou nas três finalizações que Seferovic executou ao longo do jogo e de dentro da área, e se redimiu pela saída errada que culminou no único gol da partida. Foram três defesaças. Em uma delas, o atacante suíço não conteve sua raiva por não ter conseguido ampliar o placar e descontou na pobrezinha da trave.

Com essa vitória, a Suíça tornou seu retrospecto diante da Albânia ainda melhor. Afinal, em todas as partidas, amistosas ou não, em que ambas as seleções duelaram entre si, os suíços sempre levaram a melhor. Se a ‘Schweizer Nati quiser conseguir o feito inédito de avançar à fase seguinte à dos grupos, terá que ser mais eficiente nas finalizações e torcer para não ter um jogador tão inspirado debaixo das traves da seleção adversária.

Albânia: Berisha, Hysaj, Cana, Mavraj e Agolli; Abrashi, Kukeli e T. Xhaka (Kace); Roshi (Cikalleshi), Sadiku (Gashi) e Lenjani. Técnico: Gianni de Biasi

Suíça: Sommer, Lichtsteiner, Schär, Djourou e Rodríguez; G. Xhaka e Behrami; Shaqiri, Dzemaili (Frei) e Mehmedi (Embolo); Seferovic. Técnico: Vladimir Petkovic

Mostrar mais

Nathalia Perez

Jornalista em formação trabalhando a favor de um meio esportivo mais humano. Meus heróis sempre foram jogadores de futebol, mas hoje em dia são muito mais heroínas.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo