Eurocopa

Roberto Mancini: “Este teste pode nos fazer bem, temos que mostrar uma mentalidade forte”

Técnico da seleção italiana comemorou classificação sobre a Áustria e elogiou os substitutos que mudaram o jogo na prorrogação

O técnico da seleção italiana, Roberto Mancini, comemorou a classificação sofrida que a Itália conseguiu contra a Áustria, nas oitavas de final da Euro 2020. A Azzurra precisou da prorrogação para eliminar os austríacos em Wembley com uma vitória dramática por 2 a 1. Para o treinador, a classificação foi merecida e os jogadores que entraram mudaram o jogo. Mais do que isso, Mancio considera que este pode ter sido um teste importante.

“Nós trouxemos a vitória para casa porque nós merecemos, mesmo que tenhamos tomado um gol em um escanteio, tínhamos que tomar um gol cedo ou tarde”, disse Mancini à RAI Sport. “Nós francamente deveríamos marcar os dois gols muito mais cedo e não ir para a prorrogação, ficamos cansados com o passar do tempo, mas vencemos merecidamente”.

“Os jogadores que vieram do banco tinham a mentalidade certa e entraram direto para mudar o jogo. Os que entraram foram extraordinários depois dos saíram já terem dado tudo que tinham”, continuou o treinador. “Eu sabia que seria duro, provavelmente mais difícil até que as quartas de final. Jogos assim podem tomar o rumo errado, mas jogamos bem e merecemos”.

“Este teste pode nos fazer bem, nós temos que mostrar uma mentalidade forte”, disse ainda Mancini, que esteve em Wembley pela Sampdoria para a final da Champions League, em 1992, quando perderam para o Barcelona de Ronald Koeman. A final desta Euro 2020 será novamente em Wembley. “Há três jogos antes de podermos voltar para Wembley”, disse, precavido, o técnico da Azzurra.

Chiesa sobre o seu gol: “Continuei calmo”

O atacante Federico Chiesa entrou para decidir o jogo com um gol na prorrogação. O jogador, de 23 anos, disse que permaneceu calmo para poder marcar o tento que abriu o placar em Londres. “Nós merecemos marcar e nos classificarmos. O técnico nos disse para sempre estarmos prontos, ele continua nos dizendo que há 26 titulares e todo mundo quer ajudar”, disse Chiesa à Sky Sport Italia.

Chiesa recebeu de Spinazzola, na prorrogação, dominou com a cabeça, fez um belo corte e marcou um belo gol. “Eu continuei calmo. Nessas situações, você quer ir direto para o gol. Em vez disso, eu decidi parar a bola e esperar o momento certo para chutar no gol”, descreveu o jogador da Juventus. “A Áustria tem jogadores importantes, eles têm qualidade e eles mantiveram a posse de bola, criando problemas para nós, mas eu acredito que merecemos nos classificar”.

Pessina: “Ainda não caiu a ficha”

“Ainda não caiu a ficha que eu marquei o gol contra Gales, imagina este. O mais importante é que nos classificamos para as quartas de final. Eu vou lembrar desta noite para sempre”, disse Pessina à Sky Sport Italia.

“Nós temos um grupo grande e unido, estamos mostrando isso a todos, vocês podem ver de fora e isso é o melhor. Me deu muita alegria marcar o segundo gol depois de um jogo tão difícil, foi incrível”, continuou o jogador do Sassuolo.

Spinazzola: “Mancini nos disse para sermos mais precisos no último passe”

Leonardo Spinazzola foi escolhido como o melhor jogador em campo pela Uefa e foi motivo de texto aqui na Trivela sobre como ele ajudou a mudar um panorama difícil para a Itália. “Eu estou muito feliz por isso, mas eu estou ainda mais feliz porque nós classificamos e porque nós jogamos como time”, disse o jogador à Sky Sport Italia.

“Mancini nos disse para permanecermos calmos e ser mais precisos no último passe. Nós continuamos focados e nós defendemos todos juntos, nós estamos realmente felizes”, continuou. “Nós sempre defendemos bem, mas nunca como fizemos nesta noite. A Áustria é fisicamente forte e foi difícil vencer os duelos pelo alto. Nós jogamos como um time e isso é importante”.

Donnaruma: “Sabíamos que tínhamos que sofrer”

Gianluigi Donnarumma contou que ficou preocupado com o gol que tomou de Marko Arnautovic, no segundo tempo. “Eu fiquei preocupado, então eu vi que o VAR estava checando e eu senti uma alegria absoluta quando eles anularam o gol”, contou o goleiro.

O estádio de Wembley recebeu cerca de 18 mil torcedores, ainda com capacidade reduzida. Os italianos eram maioria nas arquibancadas em relação aos austríacos. “As emoções são extraordinárias, mal podemos esperar até que possamos jogar em um estádio lotado em frente a esses torcedores”, disse Donnarumma.

“Nós sabíamos que tínhamos que sofrer e nós fomos muito bem juntos até o fim. Eu tenho certeza que isso nos ajudará no próximo jogo com ainda mais energia e foco”, continuou o goleiro.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo