Eurocopa 2024

Uefa impõe nova regra que pode gerar festival de cartões na Eurocopa 2024

Segundo a entidade, apenas capitães poderão se aproximar dos árbitros para reclamar das decisões; atletas divergem sobre efetividade da medida

Nesta sexta-feira (14), às 16h (horário de Brasília), a bola rola pela primeira vez na Eurocopa 2024. A anfitriã Alemanha recebe a Escócia, na Allianz Arena, pela rodada de abertura do Grupo A do torneio.

E antes do apito inicial, os jogadores das 24 seleções classificadas terão que estar atentos a mais um detalhe – uma nova regra imposta pela Uefa que pode gerar um festival de cartões e punições na Euro.

A iniciativa da entidade tornará a abordagem dos jogadores ao árbitro uma infração passível de cartão amarelo. Apenas os capitães de cada time poderão conversar com o juiz.

Em maio, quando o International Football Association Board (IFAB) se reuniria, Roberto Rosetti, diretor-geral de arbitragem da Uefa, já havia mencionado a intenção de implantar a regra.

Como consequência, a equipe de arbitragem não aceitará a aproximação de quaisquer outros atletas. Essa medida pretende gerar mais confiança entre os árbitros e os jogadores da Euro 2024.

Mais do que isso, a entidade espera coibir as famosas ‘rodinhas’ de atletas em volta do árbitro na Eurocopa para contestar marcações, o que é visto como “assédio moral”.

A Uefa já entrou em contato com todas as seleções para avisar dessa mudança. Aqueles que desrespeitarem a regra e se aglomerarem ao redor do árbitro para reclamar, serão advertidos com o amarelo.

O que a Uefa pensa sobre a nova regra?

Segundo o The Athletic, a Uefa defende a mudança na regra alegando que deseja ver os árbitros “prontos para falar e compartilhar mais detalhes com os jogadores e treinadores para ajudá-los a entender como uma decisão foi tomada”.

A entidade argumenta que isso não é possível quando vários atletas das duas equipes começam a cercar o juiz, o que mancha a imagem da Eurocopa perante ao mundo.

Outro detalhe importante é que a Uefa quer aumentar a responsabilidade dos capitães, que serão os encarregados por controlar seus companheiros dentro de campo e o porta-voz do país na hora de conversar com o árbitro.

Aqui cabe ressaltar que, caso o capitão de uma seleção seja o goleiro, cabe ao dono da braçadeira escolher um jogador de linha para assumir essa função de se aproximar da equipe de arbitragem e não ser amarelado.

Árbitros da Eurocopa estão felizes com a medida

Michael Oliver, que apitará na Euro 2024, revelou que os árbitros estão felizes com a medida imposta pela entidade. Ele acredita que o contato direto com o capitão pode melhorar a comunicação entre arbitragem e atletas:

– Muitas das situações que você vê agora são de jogadores e torcedores querendo respostas e esclarecimentos. Ter esse vínculo e esse diálogo com uma pessoa designada pode ajudar a proporcionar isso. Ser capaz de estabelecer esse vínculo ou relacionamento com o capitão significa que você pode transmitir o seu ponto de vista, pode ouvir o deles, fornecer-lhes essa explicação e clareza.

Jogadores têm opiniões dividas

Andrey Robertson, capitão da Escócia, deixou claro que irá respeitar a novidade na Eurocopa. O lateral acredita que, por ser algo novo, será preciso um tempo de adaptação, mas está de acordo com a Uefa:

– Para mim, tudo bem, desde que você lhes dê a oportunidade de discutir a decisão. Não é o ideal para mim como capitão ser o lateral-esquerdo e a questão está no lado direito. Pode haver alguns problemas iniciais porque será novo, mas contanto que tenhamos tempo para nos acostumarmos, tudo bem.

Já İlkay Gündoğan, capitão da Alemanha, tem mais ressalvas. O meia espera que os árbitros tenham mais empatia, já que as emoções ficam a flor da pele em um torneio do tamanho da Euro.

– As reclamações fazem parte do jogo. Seja você jogador, treinador ou torcedor, todos nós amamos o jogo porque ele traz essas emoções. Espero que os árbitros demonstrem compreensão. Desde que seja respeitoso, prefiro não ter muitos cartões amarelos.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Jornalista formado pela Unesp, com passagens por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia. Na Trivela, é redator de futebol nacional e internacional.
Botão Voltar ao topo