Eurocopa

Quem liga para vencer feio? Irlanda do Norte premiou torcedores com primeira vitória na Euro

Vencer nem sempre é o mais importante quando falamos de futebol, mas vencer é muito bom, inegavelmente. Os torcedores da Irlanda do Norte foram até Lyon ver o segundo jogo da sua seleção na Eurocopa sem grandes expectativas. A Ucrânia é um time mais consolidado no cenário europeu atualmente, mas quem se importa? Os torcedores queriam cantar suas músicas, torcer pelo time, se divertir em um torneio de grande porte, já que não sentiam isso faz tempo. Foram presenteados com mais que isso. A vitória por 2 a 0 sobre a Ucrânia veio para dar aos torcedores mais um motivo para festa.

LEIA TAMBÉM: Inglaterra é superior no duelo britânico e faz Gales ir do choro de emoção ao de tristeza em segundos

O primeiro jogo da Ucrânia na Eurocopa não foi ruim. O adversário era a Alemanha e a derrota por 2 a 0 veio de maneira sofrida, com os campeões do mundo marcando um gol já nos acréscimos. Por isso, era esperado que os ucranianos tivessem um desempenho similar e, assim, se impusessem sobre a Irlanda do Norte. Mas isso tudo não passou de teoria.

A Irlanda do Norte é um time muito mais rudimentar que a Ucrânia atual. Tem menos talento e, assim, é menos badalada. Está estreando na Eurocopa e não jogava um grande torneio desde a Copa do Mundo de 1986. Só que a Irlanda do norte tinha duas coisas a seu favor no jogo desta quinta-feira. Uma delas era a torcida. A outra foi a chuva.

Em Lyon, os norte-irlandeses pintaram uma boa parte do estádio de verde, entoaram cânticos e mais cânticos e empurraram o seu time. Cantaram, inclusive, a famosa música: “We’re not Brazil, but it’s the same for me”, criada nos anos 1980. Na época, o Brasil tinha talentos, times encantadores – como os das Copas de 1982 e 1986,vividas de perto pelos norte-irlandeses – e continuava na seca de títulos.

Por isso, os norte-irlandeses, com um humor britânico fino, brincavam que torcer para a Irlanda era a mesma coisa que torcer para o Brasil. A música é de uma admiração pelo futebol brasileiro, que também deixou marcas no país pela vitória por 3 a 0 na Copa de 1986, quando eles sequer conseguiram marcar um gol no torneio. Não importa: para os norte-irlandeses, estar na Eurocopa é mais importante do que ganhar. Até porque ninguém por lá espera ganhar mesmo. Os norte-irlandeses querem a festa. E fizeram isso.

O jogo, porém, não ajudava muito, nem ucranianos nem norte-irlandeses. Dividindo o estádio e colorindo os dois lados, os torcedores viram um jogo muito fraco. O primeiro tempo praticamente não teve lances de gol. A chuva, que tornava o campo pesado, não ajudava muito. Mas também começou a ajudar os norte-irlandeses, que usavam muitas vezes a bola alta – uma característica forte do futebol mais rudimentar dos britânicos.

O começo do segundo tempo mostrou mais uma vez a Irlanda do Norte usando da bola aérea, mas desta vez funcionou. Aos quatro minutos de jogo, cobrança de falta para dentro da área e o zagueiro Gareth McAuley apareceu na segunda trave, subindo mais que Yevhen Khacheridi. O primeiro gol da história da Irlanda do Norte em uma Eurocopa.

A Ucrânia não conseguiu reagir ao gol. O time do leste europeu não fez muito diferente que o seu adversário britânico: tratou de levantar a bola na área várias vezes esperando que uma delas funcionasse. Em uma ou duas delas, o perigo foi realmente grande e o goleiro McGovern, a bem da verdade, não mostrou lá muita segurança, mas defendeu tudo que foi ao gol. Ainda que quase deixando a bola escapar quando tentava agarrar. Vale o desconto que o campo estava molhado, com muita chuva.

Chuva, aliás, que interrompeu o jogo por alguns poucos minutos. Mais do que a chuva, o qeu preocupou a arbitragem foi o granizo que começou a cair forte no gramado. O jogo foi interrompido, mas não durou mais que cinco minutos. Até porque a chuva logo amenizou. Os times voltaram a campo, mas o panorama de futebol não mudou muito.

Já no final do jogo, aos 51 minutos do segundo tempo, veio o segundo gol da Irlanda do Norte, quando quase ninguém esperava alguma mudança no placar. McGinn aproveitou o rebote do goleiro para marcar e dar mais um motivo de festa aos torcedores norte-irlandeses.

A vitória veio e a Ucrânia, que pintava como uma das candidatas a surpresa, perde a segunda partida na Eurocopa e se complica. A Irlanda do Norte, que não esperava nada além de fazer uma festa na França, vence a primeira e já é candidata à classificação. O problema é que o último jogo é com a campeã do mundo, Alemanha. Mas, como eles mesmos gostam de gritar: “Não somos o Brasil, mas é a mesma coisa”. Para os norte-irlandeses, a festa já está garantida.

Ucrânia 0x2 Irlanda do Norte

Ucrânia: Pyatov; Fedetskiy, Khacheridi, Rakitskiy e Shevchuk; Sydorchuk (Garmash) e Stepanenko; Yarmolenko, Kovalenko (Zinchenko) e Konoplyanka; Seleznyov (Zozulya). Técnico: Mykaylo Fomenko

Irlanda do Norte: McGovern; Hughes, Cathcart, McAuley e J. Evans; Ward (McGinn), C. Evans (McNair), S. Davis, Norwood e Dallas; Washington (Magennis). Técnico: Michael O’Neill

GOLS:

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.