Eurocopa

Portugal feliz, Alemanha e Espanha otimistas: reações ao sorteio da Eurocopa

Veja como técnicos e dirigente de algumas das principais seleções europeias reagiram ao sorteio da Eurocopa, que aconteceu nesta

Neste sábado (2), as 21 equipes já classificadas para a Eurocopa de 2024 conheceram os seus adversários, ou pelo menos os possíveis rivais na competição, já que as três últimas vagas ainda serão decididas no play-off que acontece apenas em março do próximo ano.

A dona da casa Alemanha e as cinco melhores campanhas das eliminatórias foram colocadas como cabeças-de-chave do sorteio, criando seis grupos com quatro equipes cada. A Trivela compilou reações de técnicos e diretores destas seis seleções, sobre o momento atual dos times em campo e também sobre os adversários que terão no torneio.

Rudi Völler, diretor da Alemanha

Jogando em casa, a Alemanha terá pela frente a Escócia no jogo de abertura da competição. Hungria e Suíça também compõem o Grupo A.

Estou otimista que se mudarmos algumas coisas nos próximos meses, teremos uma boa Eurocopa. O primeiro jogo sempre terá uma pressão especial. Com certeza temos alguns problemas, mas estou completamente convencido de que Julian Nagelsmann encontrará as soluções.

Luis de la Fuente, técnico da Espanha

Cabeça de chave do Grupo B, a Espanha acabou ficando em um dos chamados “grupos da morte” do sorteio, enfrentando as fortes Croácia e Itália, e também a surpreendente Albânia do técnico brasileiro Sylvinho.

Seguramente, se não é o [grupo] mais difícil, é um dos mais difíceis. Nós ouvimos sobre a Albânia, que ficou em primeiro lugar em um grupo que tinha Chéquia e Polônia. Nenhuma seleção queria enfrentar a Itália, que, independentemente dos últimos resultados, é uma seleção grande com um ótimo técnico. Conhecemos eles bem, assim como a Croácia, que tem conseguido grandes resultados. Faltam sete meses e muita coisa pela frente, e estamos pensando em seguir crescendo. Estamos otimistas porque vimos o crescimento desta equipe e o potencial dos jogadores, que são alguns dos melhores do mundo, em minha opinião.

Gareth Southgate, técnico da Inglaterra

Vice-campeã da última Eurocopa, a Inglaterra terá pela frente a Dinamarca, com quem fez a semifinal da última competição continental, e também enfrentará Eslovênia e Sérvia.

Você sempre se sente da mesma forma. Os jogos não são disputados no papel. Todos os times que enfrentaremos são extremamente capazes. Eu estava bastante relaxado. Você sabe que o objetivo é se classificar. Vendo a Sérvia, que tem um centroavante como Mitrovic, não se pode presumir muito. Enfrentamos a Eslovênia em um dos meus primeiros jogos no comando e Joe Hart fez uma defesa que possibilitou que eu ainda estivesse aqui. Agora vamos trabalhar nos detalhes sobre quando chegaremos na Alemanha e onde ficaremos. Estamos bastante empolgados em fazer parte do torneio. Sabemos da expectativa e estamos ficando acostumados com jogos grandes. Esperamos dar noites brilhantes aos nossos torcedores.

Didier Deschamps, técnico da França

Sem poder comparecer ao sorteio, Didier Deschamps viu remotamente a França ser colocada novamente contra a Holanda, assim como nas eliminatórias. O vencedor do Caminho A (Polônia, Estônia, Gales ou Finlândia) e a Áustria completam o Grupo D.

É um sorteio difícil porque a Holanda, que conhecemos bem, estava no Pote 3. Isso inevitavelmente leva a um grupo mais complicado. É um grupo complicado, mesmo sem saber quem sai do play-off. A Holanda ainda tem potencial para mostrar mais qualidade. Completos, eles estão entre os melhores times da Europa. E os austríacos estão progredindo, tem bastante potencial atlético e nunca é fácil jogar contra eles.

Domenico Tedesco, técnico da Bélgica

Tentando apagar a imagem ruim deixada na última Copa do Mundo, a Bélgica vai para a Eurocopa liderando o Grupo E, que também é composto por Eslováquia, Romênia e o vencedor do Caminho B (Israel, Islândia, Bósnia e Ucrânia).

No papel, pode ser que sejamos favoritos no grupo, mas futebol é jogado no campo e não no papel. Veja a Eslováquia, por exemplo. Ficaram em segundo no grupo atrás de Portugal e só perderam duas vezes, ambas por margens pequenas contra os portugueses. Já a Romênia tem um time bem jovem e talentosos. Eles têm jogadores muito bons, como Ianis Hagi, filho de Gheorge, e o zagueiro Radu Dragusin. Já os conheço um pouco.

Roberto Martínez, técnico de Portugal

Melhor campanha das Eliminatórias, Portugal terá pela frente Turquia, Tchéquia e o vencedor do Caminho C (Geórgia, Luxemburgo, Grécia e Cazaquistão).

Estou satisfeito. O formato da Eurocopa é imprevisível, mas é um sorteio positivo para nós e os torcedores portugueses, já que jogamos em Leipzig, Dortmund e Gelsenkirchen. Jogar com uma equipa que ganhe o play-off é complicado porque está muito motivada. A Chéquia conheço bem, tem capacidade para jogar olho no olho, joga com muita objetividade, mas é uma incógnita por não ter técnico. A Turquia é uma boa mistura de talento individual e experiência, o que faz com que seja muito competitiva.

Foto de Matheus Rocha

Matheus Rocha

Matheus Rocha é natural de Uberlândia (MG), onde se formou em Jornalismo no Centro Universitário do Triângulo (Unitri) em 2014. Começou a carreira no jornalismo escrevendo colunas na Trivela antes de passar por ExtraTime e Yahoo, participando da cobertura de três Copas do Mundo e cinco Olimpíadas.
Botão Voltar ao topo