Eurocopa

Objetiva e perigosa, França foi superior para vencer a Alemanha em Munique

França aproveitou suas melhores características para vencer e mostrou superioridade em campo para vencer por 1 a 0, mas que poderia ter sido mais

A França venceu o duelo entre os dois últimos campeões na estreia da Eurocopa. Contra a Alemanha, em Munique, os Bleus venceram por 1 a 0, graças a um gol contra de Mats Hummels ainda no primeiro tempo. Foi mais um duelo em grandes competições entre as duas potências do futebol, que já fizeram confrontos históricos ao longo de Copas e Eurocopas passadas. Os franceses fizeram um bom jogo e foram mais perigosos em toda a partida na Allianz Arena. Chegaram a marcar outros dois gols, ambos anulados corretamente por impedimento.

A superioridade francesa ficou clara ao longo do jogo. Os alemães tentaram de várias formas, mas não conseguiram criar tantas chances quanto a sua posse de bola poderia permitir. Nem conseguiram criar alternativas no jogo para conter a velocidade imensa dos franceses. Os franceses, por sua vez, poderiam ter vencido por uma diferença até mais confortável. Provavelmente um placar de 2 a 0 refletiria melhor a diferença no jogo.

No fim, a França teve muito menos a posse de bola 38% contra 62% da Alemanha e também chutou menos a gol, já que foram apenas quatro, contra 10 dos alemães. Chutes no gol mesmo, só um de cada lado. Em chances claras, os franceses criaram mais, mas os alemães tiveram as suas e foram incapazes de aproveitar. Os alemães tiveram menos soluções para o que a França apresentou. Os alemães conseguiram criar pouco e a defesa francesa prevaleceu.

Alemanha com a bola, França mais perigosa

Nos primeiros minutos, a Alemanha dominou a posse de bola e ficava mais no campo de ataque que os franceses.

Com 16 minutos, Mbappé criou uma boa chance. O camisa 10 recebeu pelo lado esquerdo, puxou para o meio e finalizou forte. O goleiro Manuel Neuer fez uma boa defesa e mandou para escanteio.

Pouco depois, aos 19 minutos, a França desceu com qualidade e marcou. Paul Pogba recenu, tocou para Pavard, que tocou para Benzema. O atacante voltou para Pogba, que fez um passe para o outro lado, onde encontrou Lucas Hernández. O lateral chegou como um foguete e cruzou forte. Mats Hummels tentou cortar a marcou contra: 1 a 0 para a França.

A Alemanha tentou se recuperar. Logo depois do gol, Gosens furou na primeira, mas conseguiu cruzar na segunda para Thomas Müller, que finalizou de cabeça. A bola foi perigosa, mas foi fora.

Segundo tempo

O segundo tempo teve novamente a Alemanha com muito mais posse de bola e a França com um plano bem estabelecido para atacar em velocidade sempre que recuperava a bola. Coom um jogador como Mbappé e passadores muito capazes como Paul Pogba e Antoine Griezmann, os franceses foram muito perigosos assim.

A França quase alcançou outro gol no começo do segundo tempo, aos seis minutos. Mbappé fez um passe espetacular para Adrien Rabiot, que apareceu dentro da área, pela esquerda, e chutou, mas a bola bateu na trave e saiu.

Os alemães responderam em seguida. Aos oito minutos, Gosens cruzou da esquerda e Serge Gnabry pegou de primeira, mas não acertou em cheio na bola, que quicou e foi por cima do gol.

A França quase chegou ao segundo gol. Pogba fez um lindo passe para Mbappé, no lado esquerdo, e o camisa 10 fintou para dentro, achou espaço e chutou bonito. A bola tocou na trave e entrou, mas o assistente imediatamente acusou impedimento já no lançamento. O VAR confirmou o impedimento, como ficou claro no replay.

Por muito pouco, a França não conseguiu matar o jogo aos 40 minutos. Contra-ataque rápido em que a bola passou por Griezmann, Pogba, que lançou em velocidade para Mbappé. O atacante chegou pela ponta, em imensa velocidade e tocou para o meio, onde Karim Benzema só empurrou para a rede. Só que Mbappé estava impedido no lançamento, conforme analisado pelo VAR.

Nenhuma das tentativas de Joachim Löw de melhorar o time foram eficientes. Antes dos gols anulados da França, o treinador tinha colocado Timo Werner e Leroy Sané, nos lugares de Serge Gnabry e Kai Havertz e depois colocou Emre Can e Kevin Volland nos lugares de Matthias Ginter e Robin Gosens.

O que se viu em campo foi uma Alemanha sem soluções diante de uma França que estava absolutamente segura do que fazia em campo. Contou com ótimas atuações de Pogba, Antoine Griezmann e Kylian Mbappé. Mesmo Karim Benzema, que apareceu menos, também foi bem. Vale o destaque defensivo também: toda a linha de defesa dos franceses foi muito bem, muito segura. E ainda contou com a sempre ótima proteção de N’Golo Kanté.

Próximos jogos

A França volta a campo no próximo sábado, 19, contra a Hungria. Fecha a fase de grupos no dia 23, próxima quarta, contra Portugal. A Alemanha joga também no sábado, 19, contra Portugal. No d ia 23, enfrenta a Hungria.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo