Eurocopa

Nem todos os medalhões vivem boa fase, mas a convocação da Bélgica para a Euro traz dois destaques voando

Lukaku e De Bruyne são dois candidatos a craque no torneio continental, numa seleção que amadureceu nos últimos tempos

A convocação da Bélgica para a Euro 2020 não trouxe nenhuma bomba como a da França, com o retorno de Karim Benzema. Ainda assim, a lista divulgada pelos Diabos Vermelhos nesta segunda apresenta força o suficiente para colocar a equipe entre os principais candidatos ao troféu. A tão badalada “geração belga” ganhou tarimba e correspondeu às expectativas com a campanha até as semifinais do Mundial de 2018. Agora, além da maturidade, também reúne alguns dos melhores jogadores da temporada europeia. Não é qualquer elenco que traz um armador da classe de Kevin de Bruyne ou um centroavante que empilha gols como Romelu Lukaku. O time possui muita qualidade individual, mas também cresceu coletivamente nos últimos anos. Merece atenção.

A Euro 2020 e a Copa de 2022 talvez ofereçam as últimas oportunidades à espinha dorsal que recolocou a Bélgica entre as principais seleções do mundo na última década. Há alguns setores um tanto quanto envelhecidos, com preocupação especial à linha defensiva, que se despediu de Vincent Kompany. E que os talentos despontando não mostrem o potencial para se equipararem a nomes mais tarimbados, ainda parece possível almejar um inédito troféu dentro dos próximos meses.

Thibaut Courtois permanece entre os melhores goleiros do mundo e a Copa de 2018 serviu para consagrá-lo. Depois de anos mornos no Chelsea, recuperou-se no Real Madrid e vem em sua segunda temporada em alto nível com os merengues. Simon Mignolet e Matz Sels são os reservas, com a ausência mais sentida da lista no setor: Koen Casteels, afinal, vem de um ano sensacional com o Wolfsburg e figura entre os melhores arqueiros da Bundesliga. Por conta de uma cirurgia, não poderá estar com os Diabos Vermelhos.

Na linha defensiva, muitos jogadores com mais nome que fase. Jan Vertonghen e Toby Alderweireld são os principais destaques da zaga, mas não vivem o melhor momento, longe disso. Jason Denayer é quem cresce por ali, bem no Lyon e utilizado no sistema com três zagueiros aplicado por Roberto Martínez. Além deles, Thomas Vermaelen resiste como reserva e foi convocado à Euro, mesmo escondido na J-League. Dedryck Boyata é a outra opção por ali.

Do meio para frente, as perspectivas da Bélgica melhoram. A começar pelos alas. Timothy Castagne chega valorizado do Leicester e é um coringa pela forma como tem atuado em diferentes posições na Premier League. Thomas Meunier é mais um que pode ocupar a posição. Já pela esquerda, Roberto Martínez costuma fazer uma aposta mais ofensiva. Thorgan Hazard e Nacer Chadli entraram por ali na última Data Fifa, mesmo contra adversários mais difíceis como Gales ou República Tcheca. Quem pode tomar o posto é Yannick Ferreira Carrasco, que joga com frequência na posição e faz um senhor Campeonato Espanhol com o Atlético de Madrid, entre os melhores jogadores da equipe. Todavia, o colchonero costuma ser mais aproveitado como ponta na seleção.

Pelo meio, Roberto Martínez desfruta de muitas alternativas. Axel Witsel permanece como um nome à disposição, mas vem de uma temporada cheia de problemas físicos. Sem atuar desde janeiro, foi chamado diante das perspectivas de recuperação. Youri Tielemans virou herói do Leicester e é uma escolha mais segura, enquanto Leander Dendoncker e Dennis Praet são outros jogadores experimentados na Premier League. Ainda há Hans Vanaken, um dos dois únicos convocados que defendem uma equipe local, e que gasta a bola com a camisa do Club Brugge. Podem não ser meio-campistas de primeira prateleira, mas a quantidade de opções é numerosa e equilibrada.

Mais à frente, o talento sobra. Em seu 3-4-3, Roberto Martínez vinha usando dois jogadores mais técnicos no apoio a Lukaku como centroavante. Esses dois são ninguém menos que Kevin de Bruyne e Dries Mertens, formando um tridente espetacular. O maior artilheiro da história do Napoli é quem vem em momento menos reluzente, perdendo espaço em seu clube. Por outro lado, Lukaku vive a temporada mais impactante da carreira e protagonizou a Internazionale rumo ao Scudetto. É um dos candidatos virtuais à Bola de Ouro se arrebentar na Euro, embora De Bruyne seja um concorrente até mais forte, considerando sua influência ao Manchester City e o sucesso na Champions. Fazendo até o papel de falso 9, o maestro segue brilhante.

Vale lembrar que, na Data Fifa, Eden Hazard estava ausente, mas vai para a Euro. Roberto Martínez pode muito bem recuar De Bruyne como volante para escalar seu capitão, embora este venha muito abaixo de sua capacidade no Real Madrid. Christian Benteke e Michy Batshuayi são os reservas diretos de Lukaku no ataque. Além deles, se o treinador optar por jogadores mais leves, Leandro Trossard e o promissor Jérémy Doku podem cair pelas pontas. Adnan Januzaj e Alexis Saelemaekers ficaram só na pré-lista. Já Dodi Lukebakio e Divock Origi não entraram nem nesses 37 chamados preliminarmente.

A Bélgica disputará amistosos contra Grécia e Croácia durante sua preparação à Eurocopa. Já o Grupo B não oferece um desafio tão grande, contra Rússia, Dinamarca e Finlândia. Desde a Copa do Mundo, os Diabos Vermelhos somaram 22 vitórias em 27 compromissos, derrotados apenas por Suíça e Inglaterra neste intervalo – ambos os encontros pela Liga das Nações. Os belgas lideram o Ranking da Fifa desde setembro de 2018.

Confira os 26 chamados pela Bélgica

Goleiros: Thibaut Courtois (Real Madrid), Simon Mignolet (Club Brugge), Matz Sels (Strasbourg)

Defensores: Toby Alderweireld (Tottenham Hotspur), Dedryck Boyata (Hertha Berlim), Jason Denayer (Lyon), Thomas Vermaelen (Vissel Kobe), Jan Vertonghen (Benfica)

Meio-campistas: Yannick Carrasco (Atlético de Madrid), Timothy Castagne (Leicester City), Nacer Chadli (Istambul Basaksehir), Thorgan Hazard (Borussia Dortmund), Thomas Meunier (Borussia Dortmund), Kevin De Bruyne (Manchester City), Leander Dendoncker ( Wolverhampton Wanderers), Dennis Praet (Leicester City), Youri Tielemans (Leicester City), Hans Vanaken (Club Brugge), Axel Witsel (Borussia Dortmund)

Atacantes: Jeremy Doku (Rennes), Eden Hazard (Real Madrid), Dries Mertens (Napoli), Leandro Trossard (Brighton), Michy Batshuayi (Crystal Palace), Christian Benteke (Crystal Palace), Romelu Lukaku (Internazionale)

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo