Eurocopa

Inglaterra é indiciada por torcida usar laser contra Schmeichel no momento do pênalti

Vídeo mostra que o goleiro foi atrapalhado por laser apontado para ele no momento da cobrança de Harry Kane, que resultou no gol da vitória da Inglaterra

A Inglaterra foi indiciada pela Uefa por um laser usado por torcedores contra Kasper Schmeichel, na vitória por 2 a 1 dos ingleses na semifinal da Euro 2020. Um vídeo mostra que um laser verde foi direcionado ao rosto do goleiro quando Harry Kane se preparava para a cobrança. O goleiro defendeu, mas o atacante inglês marcou no rebote.

Além da questão do laser, a Inglaterra também foi indiciada por “perturbação” durante os hinos nacionais. Também foi incluída uma acusação por ter usado fogos de artifício por torcedores depois da vitória na semifinal. Com isso, a multa pelo uso do laser pode chegar a €8 mil, além de € 500 por fogo de artifício.

O pênalti aconteceu 14 minutos do primeiro tempo da prorrogação, em um lance que foi bastante contestado. Raheem Sterling entrou na área e teve contato com Joakim Maehle. Caiu e o árbitro da partida, o neerlandês Danny Desmond Makkelie, apontou o pênalti. Houve uma rápida checagem do lance no VAR, mas aparentemente, os árbitros que estavam no vídeo não quiseram interferir na decisão da arbitragem em um lance interpretativo e não o chamaram para revisar no vídeo. O pênalti foi confirmado, Kane cobrou, Schmeichel defendeu e o próprio  Kane marcou no rebote.

A vitória permitiu à Inglaterra avançar à final da Euro. É a primeira final da Inglaterra desde a Copa do Mundo de 1966, também em Wembley, quando foi campeão do mundo contra a Alemanha. Naquele jogo, um dos lances mais discutidos da história das Copas aconteceu: a bola que não se sabe se entrou de Geoff Hurst, aos 11 minutos do primeiro tempo da prorrogação. Os ingleses ainda ampliariam o placar já no segundo tempo da prorrogação, novamente com Hurst, para consolidar a conquista do seu único título mundial.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo