Eurocopa 2024

Como uma garrafa de água foi decisiva para a classificação da Inglaterra

Jordan Pickford tinha em sua garrafinha as instruções para defender os pênaltis - e isso salvou os ingleses

Foi no suor, talvez nem tão merecido assim, mas a Inglaterra chegou à semifinal da Eurocopa 2024 ao bater a Suíça nos pênaltis neste sábado (6).

E tudo isso só foi possível graças ao goleiro Jordan Pickford, autor da defesa que garantiu a vantagem até a última cobrança, de Trent Alexander-Arnold, fechar o 5 a 3 após o 1 a 1 em 120 minutos.

Logo na primeira, de Manuel Akanji, o goleiro inglês voou para sua esquerda e defendeu. Mas um detalhe que poucos perceberam foi que a garrafa de água do jogador do Everton teve um papel decisivo nisso.

Os fotógrafos da partida e a transmissão do jogo flagraram que a garrafinha contava com as instruções dos cobradores de pênalti do adversário.

Lá estava “Akanji dive left”, em português “mergulhe para esquerda“. Dito e feito. Ele também seguiu a lista nas batidas de Xherdan Shaqiri, que conseguiu marcar, e Zeki Amdouni, este esperou e concluiu quase no meio.

Na do zagueiro Schar, a garrafinha acertou a instrução, mas Pickford pulou para o outro lado.

No fim, deu tudo certo para os ingleses, classificados e agora esperando Turquia ou Holanda por uma vaga na decisão. A semifinal acontece na próxima quarta-feira (10). Um dia antes, jogam França e Espanha.

O outro herói inglês: Saka supera trauma com estilo

Se Pickford foi decisivo nos pênaltis, Bukayo Saka brilhou durante os 120 minutos.

O ponta direita (hoje ala) foi basicamente a única válvula de escape do ataque inglês pelo lado do campo. Com a qualidade do drible, ganhou vários duelos e criou as melhores chances em cruzamentos.

Quando conseguiu receber apenas contra um marcador, cortou para dentro e bateu colocado para marcar o gol do empate aos 34 do 2º tempo, apenas 5 minutos depois do adversário ter aberto o placar.

O jovem de 22 anos também teve papel decisivo no momento defensivo: recompôs como um ala em uma linha de cinco, evitando que a Suíça tivesse superioridade numérica na última linha.

Na disputa de penais, mostrou categoria para converter a terceira cobrança, seguindo a ótima fase que vive na marca da cal pelo Arsenal – fez 6 gols assim na última temporada e é o batedor oficial dos Gunners.

Números de Saka contra a Suíça*:

  • 1 gol
  • 81 ações com a bola
  • 85% dos passes certos (44/52)
  • 2 passes decisivos
  • 3 cruzamentos certos
  • 4 dribles certos (100% de aproveitamento)
  • 9 de 13 duelos no chão ganhos

*SofaScore

Só poderia terminar com o prêmio de melhor do jogo pela Uefa.

Na entrevista após o jogo à BBC, o atacante relembrou o trauma na última vez que enfrentou os pênaltis pela seleção inglesa: a derrota na decisão da Eurocopa 2020 (disputada em 21), quando, como Marcus Rashford e Jadon Sancho, desperdiçou a cobrança.

– Vou colocá-lo lá [o jogo como uma de suas melhores noites no futebol], especial. Como lutamos e fomos para os pênaltis. Da última vez que disputamos pênaltis na Euro, sabemos o que aconteceu. Eu acreditei. Senti que dominamos o jogo todo e que a chance iria aparecer e eu a aproveitei. Estou orgulhoso de mim mesmo por isso. – celebrou Saka.

O trio que errou as penalidades que deram o título para a Itália há quase três anos sofreu com ataques racistas nas redes sociais dos próprios torcedores.

Hoje, Saka, também representando Sancho e Rashford, não convocados, deu a resposta aos preconceituosos com uma atuação especial para que seu país chegasse à semifinal.

– Foi muito corajoso da parte de Bukayo, ele é um dos nossos melhores e nunca tivemos dúvidas de que ele aceitaria [bater o pênalti]. Mas todos nós sabíamos o que ele passou. – exaltou o técnico Gareth Southgate, também à BCC.

– É um sonho trabalhar com ele. Ele é um garoto fabuloso, um profissional tão bom, muito divertido de se estar por perto. Ele faz um trabalho incrível com e sem a bola. – completou o comandante dos Três Leões.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Nascido e criado em São Paulo, é jornalista pela Universidade Paulista (UNIP). Já passou por Yahoo!, Premier League Brasil e The Clutch, além de assessorias de imprensa. Escreve sobre futebol nacional e internacional na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo