Eurocopa

Dolberg entrou por acaso na Dinamarca, mas brilhou no estádio que já foi a sua casa

Atualmente no Nice, Dolberg jogou pelo Ajax de 2016 a 2019, o que o fez conhecer bem o estádio do confronto com Gales, Johan Cruyff Arena

Torneios como a Eurocopa ou a Copa do Mundo exigem adaptação rápida e aproveitar as oportunidades que surgem. A Dinamarca tinha no seu ataque Yussuf Poulsen, o titular do time, se machucou. Kasper Dolberg, de 23 anos, ganhou uma chance no jogo mais importante da seleção dinamarquesa até ali: as oitavas de final da Euro 2020. Diante de Gales, o centroavante correspondeu: marcou dois gols e foi importante na construção da goleada por 4 a 0.

Desde o seu surgimento, Dolberg gera muita expectativa. Atacante alto, de 1,87 metro de altura, canhoto e com boa finalização, o jogador mostrava claras qualidades técnicas. Ao mesmo tempo, tinha outra característica: não era dos mais constantes. A sua primeira temporada, 2016/17, foi explosiva: em 48 jogos, foram 23 gols marcados, oito assistências e a sensação que o Ajax tinha encontrado um outro grande camisa 9.

Na segunda temporada, 2017/18, o seu desempenho caiu vertiginosamente. Em 30 jogos, fez nove gols e duas assistências. De um titular, passou a ficar também no banco – foi de lá que veio em 12 dos 30 jogos. Chegou à terceira temporada na mesma situação. Em 2018/19, foram 39 jogos, 12 gols e seis assistências. Continuava mostrando seu talento em alguns jogos, mas sem conseguir fazer isso a cada semana.

Até por isso, o Ajax decidiu aceitar uma proposta do Nice pelo atacante em 2019. No total, foram 119 jogos, com 45 gols marcados pelos Ajacien. Aos 21 anos, foi vendido para o clube francês por € 21,5 milhões. Na sua primeira temporada, foram 12 gols em 29 jogos, além de três assistências. Na última temporada, 2020/21, fez 29 jogos, seis gols e duas assistências. Continua sendo um jogador inconstante, mas talentoso.

Na seleção dinamarquesa, estreou ainda em 2016 e, até aqui, tem 28 jogos e nove gols, já contando os dois gols que marcou contra Gales. Nos dois primeiros jogos da Dinamarca na Euro 2020, ficou no banco e nem entrou. Jogou 30 minutos contra a Rússia e, por causa da lesão de Poulsen, foi alçado a titular. Aproveitou o momento para fazer gols que o colocam na história.

Dolberg fez três chutes no jogo, dois deles se tornaram gols. Aproveitou a chance que teve para brilhar em um palco conhecido. Resta saber se ele estará nas próximas partidas, caso Yussuf Poulsen esteja de volta na próxima partida. No mínimo, ganhou pontos para entrar nos próximos jogos e levar perigo. O talento está ali. Com um pouco mais de energia e dedicação, Dolberg pode fazer muito mais. Aos 23 anos – fará 24 em outubro – pode se tornar um jogador importante pela Dinamarca por muitos anos.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo