Eurocopa 2024

França tem problema sério a resolver após fraca primeira fase da Eurocopa

Deschamps ainda não conseguiu extrair o melhor de um de seus principais volantes

Quem esperava por um passeio da França na primeira fase da Eurocopa, se decepcionou. Nos três primeiros jogos da favorita no torneio, apenas dois gols marcados, desempenho fraco, e um amargo segundo lugar no Grupo D.

Campeã do Mundo em 2018, e vice na última edição da Copa em 2022, a França sentiu dificuldades para implementar seu estilo de jogo diante da Áustria, Holanda e Polônia.

Por mais que o time treinado por Didier Deschamps tenha criado chances claras de vencer os três jogos, ficou visível um certo desgaste do modelo de jogo.

Pautado na velocidade de seus jogadores, o ataque francês não é tão posicional do que a maioria das outras seleções da Euro, logo, os jogadores de frente tem maior liberdade para se movimentar e criar situações de gol.

No entanto, tal filosofia só funciona se a equipe consegue jogar em alta rotação para vencer as sólidas defesas adversárias.

Até o momento, o time depende muito de Griezmann na armação das jogadas, e às vezes, falta algo a mais para a França conseguir dominar seus adversários.

A esperança da torcida repousa em Camavinga. O volante é peça importante no esquema de jogo do Real Madrid, mas por enquanto não apresentou o mesmo futebol sob o comando de Deschamps.

Por que Camavinga não rendeu com a seleção da França nesta Eurocopa?

No Real Madrid, Camavinga assume um papel importante de quebrar as linhas de defesa adversárias, seja com passes, ou mesmo infiltrações na área.

Mas na seleção, o meia central pouco fez em 48 minutos jogados nesta Eurocopa. Há quem diga que o pouco tempo em campo não é suficiente para o jogador demonstrar seu melhor futebol.

Camavinga
Camavinga ainda não rendeu o suficiente com a França nesta Eurocopa. Foto: icon Sport

Camavinga entrou no segundo tempo do jogo de estreia contra a Áustria, e fez sua melhor exibição na competição até o momento. 

Após ficar no banco de reservas durante todo o jogo contra a Holanda, ele entrou contra a Polônia para dar mais ofensividade ao time francês, o que não aconteceu.

Após o jogo, o técnico Deschamps lamentou o empate por 1 a 1 diante dos poloneses, afirmando que a equipe poderia ter jogado melhor, mas protegendo seus jogadores de qualquer crítica.

O treinador reconheceu que as substituições feitas tinham o objetivo de aumentar a capacidade produtiva do time, mas não teve o efeito esperado.

— Não fomos tão eficazes assim, o goleiro fez muitas defesas, demos tudo de nós para conseguir nosso objetivo. Fizemos um gol e depois levamos outro. Estamos em segundo lugar agora. Tivemos muitas chances, cinco no primeiro tempo. Não é só sobre não ter precisão, mas é preciso dar crédito ao goleiro — disse Deschamps.

Meia do Real Madrid teve apenas 48 minutos de jogo nesta Eurocopa, e não conseguiu demonstrar o mesmo futebol do Real Madrid. Foto: Sofascore

Volante afirma ter dado seu melhor em campo

Camavinga reconheceu que não foi fácil ter entrado no jogo diante da Polônia no contexto que a partida apresentava.

— As pessoas acham que é fácil entrar em campo naquele momento, mas não é assim. Demos o nosso melhor — afirmou Camavinga.

Sem demonstrar o mesmo futebol eficiente do Real Madrid, Camavinga encara a sombra de Tchouameni, Kanté e Rabiot na seleção francesa.

A menos que consiga provar para Deschamps que merece um lugar no time principal, o volante terá dificuldades de se firmar até o fim da Eurocopa.

Acontece que a França também precisa de Camavinga em sua melhor forma, já que seu estilo de jogo pode auxiliar os Les Bleus a partir das oitavas de final.

 

 

 

Foto de Lucas de Souza

Lucas de SouzaRedator

Lucas de Souza é jornalista formado pela Universidade São Judas em São Paulo. Possui especialização em Marketing Digital pela Digital House, e passagens pelos sites Futebol na Veia e Futebol Interior.
Botão Voltar ao topo