Eurocopa 2024

Análise com inteligência artificial invade Eurocopa e já interessa até a seleção brasileira

Seleção da Romênia utiliza tecnologia que utiliza drones e IA para analisar jogadores

O uso da inteligência artificial explodiu nos últimos anos após notórios avanços na tecnologia. O esporte geral, e obviamente o futebol, não sairiam ilesos, e a Eurocopa 2024 já mostra exemplos de como a IA pode ser utilizada dentro das quatro linhas.

Sabemos que existem equipes de análise dos clubes, voltados para desempenho (da própria equipe e dos adversários) e para captação de atletas. E se a tecnologia pudesse fazer parte desse trabalho?

É o que aponta uma reportagem do jornal espanhol As, que foi atrás da empresa Fly Fut, responsável por usar a IA para analisar o desempenho dos jogadores, os contextos locais, os adversários e outras questões por meio de drones que gravam as partidas ou treinamentos.

Como a inteligência artificial ajudou a Romênia na Eurocopa 2024?

A tecnologia tem sido utilizada na Euro pela seleção da Romênia, que abriu a competição com um 3 a 0 em cima da Ucrânia e avançou para as oitavas de final.

– Para nós, a vitória [da Romênia] por 3 a 0 sobre a Ucrânia não foi uma surpresa porque sabemos bem como a Romênia trabalhou nos últimos meses que antecederam a Euro. Também sabíamos como funcionava a Ucrânia, porque o ex-analista da Ucrânia, que deixou a seleção há anos, conhece o Fly-Fut e nos disse ‘[a IA] é a coisa mais avançada que já vi na minha vida', então soubemos que a Ucrânia não usava esse tipo de ferramenta. – explicou Luis Llagostera, fundador da Fly Fut.

O selecionado romeno enfrentará a Holanda na próxima terça-feira (2) e podemos esperar que, ao menos, eles saberão exatamente como jogará o adversário.

– Estamos orgulhosos de ver o quão corajosa a Romênia está sendo na Eurocopa, eles têm muita precisão, são muito rápidos. – completou Llagostera.

Os serviços da Fly Fut já são usados há quatro anos em todas as categorias do Atlético de Madrid. Na América do Sul, o Argentinos Juniors é um dos clubes que utilizam.

Segundo Llagostera, a seleção brasileira está de olho na tecnologia enquanto já há conversas implementação nos selecionados de França e Alemanha.

– Tanto as seleções francesa como a alemã viram a tecnologia e estamos em conversas com elas. Sabemos também que há outras seleções que estão de olho nisso, como o Brasil ou a Argentina.

A tecnologia chegará em breve também até a Arábia Saudita para o quarteto sob a batuta do governo local, Al-Nassr, Al-Hilal, Al-Ittihad e Al-Ahly, que estão interessados nos trabalhos da empresa, além da Federação Espanhola de Futebol.

IA ‘elimina gostos absurdos', diz fundador

Ainda ao jornal As, Luis Llagostera detalhou como a tecnologia ajuda no dia a dia e contribui que análise escape de gostos pessoais de analistas ou olheiros, podendo ser um complemento ao trabalho dos profissionais dos clubes.

– A inteligência artificial elimina gostos absurdos. […] Graças à IA você pode saber que há quatro crianças que podem não ser as melhores em campo, mas são as mais eficazes, porque seu pique aos 85 minutos é tão rápido quanto aos 34 minutos. As decisões eram tomadas a olho nu e esse tipo de coisa costumava ser perdido, mas não agora. – afirmou o executivo.

A questão do contexto parece algo pouco considerado em análises, seja na mídia ou dentro do próprio futebol.

Por exemplo, um garoto brasileiro de 18 anos, que sai do clube que viveu a vida toda rumo ao país distinto, com língua diferente e cultura completamente oposta, sofrerá com a adaptação inicial e isso se refletirá no campo.

A análise em IA considera o contexto local e até traz como ele se sairia no clube interessado.

– Se você vir os dados que um jogador fez no seu clube de origem, não pode presumir que ele fará o mesmo em outro time ou em uma seleção nacional. Então, a IA pode te ajudar a fazer essa contextualização e descobrir quais jogadores se sairiam melhor no seu time. – disse, também ao As, Bárbara Ugidos, diretora de marketing de uma empresa de tecnologia em scouting.

O outro lado: e os analistas? Perderão seus empregos?

Drone são peça importante na análise de desempenho no futuro
Drone são peça importante na análise de desempenho no futuro (Foto: Icon Sport)

A evolução de tecnologias sempre traz temores de como substituirá o trabalho humano. No caso da inteligência artificial no futebol, seriam os analistas os prejudicados, mas eles podem trabalhar em conjunto a plataforma.

– O Fly-Fut me economiza 50% do tempo, então agora posso entrar em detalhes que antes não conseguia – falou Sergio Trinchet, analista do Real Valladolid, ao Fly-Fut.

Mesmo assim, imaginamos que a IA na análise causará uma adaptação no mercado e esses profissionais, como vários outros em diversas áreas, precisarão se adaptar e se especializar.

– Não devemos ser alarmistas quanto ao possível desaparecimento de determinados empregos devido ao uso de tecnologias avançadas. Alguns empregos serão eliminados, mas surgirão novos e as pessoas terão de se especializar em novas áreas – finaliza Llagostera.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius AmorimRedator

Nascido e criado em São Paulo, é jornalista pela Universidade Paulista (UNIP). Já passou por Yahoo!, Premier League Brasil e The Clutch, além de assessorias de imprensa. Escreve sobre futebol nacional e internacional na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo