Champions League

Quem tem Cristiano Ronaldo tem tudo: United bate Villarreal nos erros e contra-ataques e garante classificação

Com um gol de Cristiano Ronaldo em erro do adversário e outro no contra-ataque, o Manchester United deu um grande passo para a classificação

O primeiro jogo do Manchester United sem Ole Gunnar Solskjaer mostrou pouca coisa diferente, mas o resultado foi excelente. Os Red Devils venceram o Villarreal por 2 a 0, mesmo atuando no Estadio de la Ceramica, e já conseguiu garantir a classificação. Com 10 pontos, o time inglês já garantiu inclusive o primeiro lugar pelo critério de confronto direto.

Tudo terminou bem, mas o jogo não foi fácil para o United. No seu primeiro jogo como treinador interino, o ex-meio-campista Michael Carrick colocou em campo uma escalação bem diferente. Com Edinson Cavani e Luke Shaw machucados, quem entrou em campo foi Alex Telles na lateral esquerda. Cavani normalmente tem sido reserva. O meio-campo teve os volantes Scott McTominay e Fred, dois jogadores que foram bastante criticados. O ataque foi bastante modificado: Jadon Sancho na direita, Donny van de Beek pelo meio e Anthony Martial pela esquerda, com Cristiano Ronaldo à frente deles.

O técnico Unai Emery teve muitos desfalques. Paco Alcácer, Arnaut Danjuma e Gerard Moreno. E jogando em casa, o time espanhol começou melhor. No primeiro tempo, foi quem chegou mais perto do gol, exigindo duas boas defesas do goleiro David De Gea. A sensação era que o time da casa marcaria eventualmente.

Enquanto isso, o United tinha os mesmos problemas que nos acostumamos a ver: um time que não sabe bem como marcar o adversário, que se alterna entre uma pressão descordenada e recuar ainda dando espaço. Nem Van de Beek e nem Sancho fizeram um bom jogo e eram candidatos fortes a deixar o time já no intervalo.

Só que no segundo tempo, Carrick manteve os dois jogadores em campo. O panorama se manteve. Parecia que o Villarreal continuaria chegando mais ao ataque e o United procurava um caminho, ainda bastante perdido em campo. Aos poucos, isso mudou. As saídas de Van de Beek e Martial para as entradas de Bruno Fernandes e Marcus Rashford melhoraram o time.

Em um lance, o atacante Sancho saiu na cara do gol e por pouco não abriu o placar. O goleiro Rulli conseguiu fazer uma grande defesa. O jogo, porém, tinha mudado. O United, agora, era perigoso no contra-ataque, como gosta de jogar, e levava perigo. Curiosamente, o gol não sairia assim, mas de um presente do Submarino Amarelo.

Cristiano Ronaldo comemora com companheiros (Getty Images / OneFootball)

O gol que abriu o placar, porém, veio de um erro terrível. O goleiro Gerónimo Rulli saiu jogando na fogueira com Capoué, o brasileiro Fred deu o bote, a bola sobrou para Cristiano Ronaldo e ele só deu um toque por cobertura para marcar 1 a 0. Os Diabos Vermelhos, vestidos de azul, viram mais uma vez o português, esperto, aproveitar uma falha do adversário para abrir o placar.

No final, aos 44 minutos, um contra-ataque definiu o jogo. Bola na ponta esquerda para Cristiano Ronaldo, que colocou em profundidade para Rashfod avançar e tocar para o meio, onde Bruno Fernandes só desviou e a bola sobrou para Sancho dominar, ajeitar e chutar forte, no alto, para ver a bola bater no travessão e entrar: 2 a 0. Jogo definido.

Mais uma vez, o United passou longe de uma boa atuação, mas foi salvo por Cristiano Ronaldo. Desta vez, ainda contou com um gol de Sancho, que depois de um primeiro tempo fraco, conseguiu ir bem na segunda etapa.

O United se classifica com o resultado, porque chega a 10 pontos e o Villarreal tem 7. Os espanhóis podem chegar a 10, mas como o critério de desempate é confronto direto, o United fica em vantagem. A Atalanta ainda pode passar em pontos, mas como o Villarreal e o Young Boys não podem, os ingleses já estão garantidos no mata-mata. Dependem só de si para ficar com o primeiro lugar, na última rodada, contra o Young Boys em casa.

Veja os melhores momentos do jogo:

Standings provided by SofaScore LiveScore
 

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo