Champions League

Monaco sem medo: Jardim quer atacar a Juventus “sem pensamentos ruins em mente”

O Monaco tem uma tarefa ingrata pela frente. Até agora, a Juventus sofreu apenas dois gols nesta Champions League (nenhum no mata-mata) e o clube francês precisa marcar outros dois para pelo menos levar a semifinal à prorrogação. O técnico Leonardo Jardim, portanto, não poderia ter outra estratégia em mente: atacar. E atacar sem medo, como seus jogadores sabem fazer muito bem.

LEIA MAIS: Daniel Alves está na história da Champions, e sua reinvenção na Juve reforça isso

“Temos que atacar sem pensamentos ruins em mente”, afirmou. “No jogo de ida, tivemos o mesmo número de chutes a gol que a Juventus (cinco a quatro a favor dos franceses em finalizações certas, na verdade), mas eles foram mais clínicos. Obviamente, são um time mais maduro que o nosso, mas perdemos porque não aproveitamos nossas chances. Queremos manter nosso sonho vivo: nosso objetivo é alcançar a final”.

Jardim sublinhou que está orgulhoso de seus jogadores, apesar do resultado da partida da próxima terça-feira. Como todo técnico nessa situação, gostaria de marcar um gol o mais cedo possível, no máximo ainda no primeiro tempo. Dessa forma, se não sofrer nenhuma, precisaria apenas ganhar a segunda etapa para chegar à prorrogação. Nada fácil contra uma Juventus osso duro de roer. Por isso, prepara algumas mudanças.

Uma delas deve ser na lateral esquerda, uma vez que o treinador admitiu que Mendy não está 100% e seria um risco colocá-lo em campo. “A Juventus nos causou muitos problemas no primeiro jogo, então teremos que mudar, com certeza. No geral, a Juve é um grande time e teremos que estar no nosso melhor se quisermos vencê-la”. Jardim destacou a importância de Daniel Alves, em busca de seu quarto título europeu. “Ele, especialmente, foi muito bem, mas isso é normal, porque ele é um grande jogador, acostumado a este tipo de jogo”.

No outro lado, o discurso de Allegri é pura cautela. Afirmou que a Juventus só está mais próxima da final de Cardiff porque faltam apenas 90 minutos, mas seus jogadores precisam encarar a partida desta terça-feira como se fosse um jogo novo. Ele tranquilizou os torcedores, informando que Higuaín tem condições normais de jogo. Khedira, Marchisio e Pjanic devem brigar por duas vagas no meio-campo.

Sua única dúvida é começar com Barzagli, em uma esquema com três zagueiros, ou Cuadrado, no 4-2-3-1 mais utilizado pela Juventus nesta temporada. “Temos que vencer para irmos para Cardiff. O Monaco não tem nada a perder e tem jogadores que podem causar muitas dificuldades. Precisamos jogar agressivamente, tecnicamente e ainda melhor do que fizemos em Monaco. Ainda temos que vencer o scudetto, então, vamos primeiro pensar em chegar a Cardiff, e depois na Roma”, afirmou.

A Juventus tem sete pontos de vantagem em relação à Roma, segunda colocada do Campeonato Italiano, a três rodadas do fim. As duas equipes enfrentam-se, no próximo domingo, com a Velha Senhora podendo empatar para ser campeã italiana. O sonho ainda é a Tríplice Coroa: a Juve  também está na decisão da Copa Itália, contra a Lazio, em 2 de junho.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo