Champions League

Lyon precisava de gols, mas foi eliminado da Champions por um Sevilla frio

A última rodada do grupo H da Champions League reservou um confronto para lá de interessante: Lyon x Sevilla. Os franceses entraram em campo com a necessidade de dois gols de diferença para se classificarem. O Sevilla só precisava não sofrer esses gols. E embora o técnico Jorge Sampaoli – que não ficou no banco, aliás, por ter sido expulso na última rodada – seja conhecido pelo se jogo ofensivo, o que se viu foi um Sevilla muito frio em campo. Soube segurar o jogo. Manteve o 0 a 0 no placar, ficou com a vaga e, só aí, com o apito final, comemorou.

LEIA TAMBÉM: Torcida lota aeroporto de madrugada para receber o Besiktas, mesmo após levar 6 a 0

Quando o resultado está te eliminando, o tempo voa. O Lyon sentiu isso na pele nesta quarta-feira. Chegou à última rodada em uma situação difícil, mas trazia uma vantagem: jogar contra o concorrente direto em casa. O problema é entrar em campo precisando de ao menos dois gols. Uma pressão grande. Até por isso, o time francês foi para cima desde o começo.

No primeiro tempo, foram duas bolas no travessão. Tolisso e Valbuena ficaram a poucos centímetros de abrir o placar. Em compensação, Vitolo também acertou a trave e ameaçou. O Lyon tinha a bola, dominava as ações e estava acampado no campo de ataque.

O Sevilla, porém, jogava com uma frieza impressionante. Sem pressa, parecendo não sentir a pressão, o time trabalhava a bola sempre que a recuperava. A frieza do Sevilla não era só na tranquilidade com que jogava, mas na forma como jogava um balde de gelo na partida.

Depois do empate por 0 a 0 no primeiro tempo, o Lyon pareceu sentir. O Sevilla conseguiu ficar mais com a bola. E foi desacelerando. O Lyon demorou a reagir. Só nos minutos finais que tentou esquentar o jogo criando chances, quando o time espanhol já se defendia com todos os jogadores. Não adiantou. O empate sem gols prevaleceu.

A campanha do Lyon não foi ruim. O problema foi perder pontos nos jogos cruciais. Em casa, perdeu da Juventus por 1 a 0 em um jogo que foi melhor que o adversário. Deu azar, é verdade, viu Buffon defender demais naquele dia, mas também sofreu com a própria incapacidade de fazer gols.

Fora de casa, perdeu do Sevilla e empatou com a Juventus. Resultados até normais. Contra o Dinamo Zagreb, ninguém perdeu pontos. Todos venceram. Faltou mesmo ao Lyon vencer os rivais em casa. O Sevilla foi à França sabendo que poderia até perder por um gol. Jogou na sua, com o regulamento embaixo do braço e permitindo que o Lyon se enforcasse com as próprias cordas: a falta de capacidade de marcar gols.

Restou lamentar ao final do jogo. O Sevilla segue na Champions League. O Lyon tem que se contentar com a Liga Europa. Tem condições de ir longe no torneio, se entrar com tudo. Ma fica uma ponta de frustração pela sensação que o time podia ter ido às oitavas de final da Champions.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo