Champions League

Inútil? Onda de críticas a Haaland segue após empate do City diante do Real

Apenas 20 toques na bola e uma finalização: Haaland tem péssima atução contra Real

Difícil escolher o que foi mais impressionante no histórico 3 a 3 entre Real Madrid e Manchester City na última terça-feira (9), no Santiago Bernabéu. Foram duas viradas, golaços improváveis de fora da área e um futebol de altíssimo nível, como esses dois times se acostumaram a mostrar nos últimos anos. À margem dos elogios e exaltações para esse jogaço pela ida das quartas de final da Champions League, está o centroavante norueguês Erling Haaland, mais uma vez criticado por sua pouca ou praticamente nula participação na partida.

Jornal chama Haaland de “fantasma”; ex-Real o vê como “inútil”

  • Anulado pelo sistema defensivo madrilenho, especialmente pelo alemão Antonio Rüdiger, Haaland tocou na bola apenas 20 vezes durante todos os 90 minutos, acertou seis passes de nove que tentou e chutou apenas uma vez, em tentativa bem defendida pelo goleiro Andriy Lunin;
  • Por isso, o jornal espanhol As definiu a exibição do camisa nove como “fantasma” e que o problema é além dos gols: o norueguês passa “completamente despercebido” na partida;
  • Na mesma linha, o ex-jogador holandês Rafael van der Vaart, com passagens por Real, Ajax, Tottenham e outros, disse que Haaland é “bastante inútil” se não faz gols;
  • – Haaland foi muito mal. Se ele não faz gols, ele é bastante inútil. Eu o vejo como um jogador bastante medíocre com a bola – afirmou o holandês ao canal Ziggo Sport.

Críticas a Haaland nessa temporada não são novidades

Após uma primeira temporada de impacto, quebrando o recorde de gols em uma edição de Premier League (36), Haaland continua sendo uma máquina de marcar com 30 tentos em 2023/24, porém tem tido momentos de seca, perdido chances claras e, como contra o Real, pouco decisivo em jogos grandes. Por exemplo, só marcou uma vez nos quatro jogos contra Arsenal e Liverpool pelo Campeonato Inglês e novamente pouco tocou na bola. Após o empate em 0 a 0 com os Gunners no último mês, o ex-jogador Roy Keane, hoje comentarista da Sky Sports, afirmou que na cara do gol o centroavante é o melhor do mundo, mas que em outras situações dentro de campo Erling “parece um jogador da quarta divisão da Inglaterra”.

A pauta sobre Haaland tocar pouco na bola não é nova, começou já mesmo na espetacular temporada passada, especialmente após o 1 a 1 com o RB Leipzig pelas oitavas da Champions 22/23, quando o norueguês só teve 22 toques na bola – na volta, marcou cinco gols na goleada por 7 a 0. Pep Guardiola, na entrevista coletiva após esse jogo, destacou que a culpa é totalmente da comissão técnica e do elenco que não consegue acionar Erling, problema que segue acontecendo mais de um ano depois.

– Sim [as pessoas criticam o número de toques que Haaland faz nos jogos], mas é nossa culpa. Não é dele. Erling vem sendo impressionante em toda a temporada [2022/23]. É um problema, depende de nós, não dele – afirmou em fevereiro de 2023.

O técnico catalão tem tentado aprimorar o jogo do centroavante e já o aconselhou sobre sua “postura corporal” em partidas nas quais perde chances e fica abalado. No entanto, Guardiola ainda terá um longo caminho para fazer com que Haaland participe ainda mais do jogo, seja flutuando da posição de atacante para apoiar o meio-campo ou caindo para as laterais.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo