Europa

Conquistada na época de PSG, Bola de Ouro de Messi é exposta… pelo Barcelona

Em mais um capítulo da conturbada relação Messi x PSG, a oitava Bola de Ouro do craque argentino é a protagonista; Entenda

A oitava Bola de Ouro de Messi, conquistada enquanto ele jogava pelo PSG, está exposta no museu do Barcelona. Não faz muito sentido, mas é exatamente isso que está acontecendo. Nesta semana, o blog Carpetas Blaugranas, especializado em notícias do Barça, publicou uma foto do atual mural das conquistas individuais do craque argentino, que estão no acervo do Camp Nou, na capital catalã.

Nas sete premiações anteriores, Messi sempre ofereceu o seu troféu ao clube que o formou, ​​​​para que a equipe pudesse exibi-los no museu do estádio. No entanto, a oitava, recebida após passagem pelo Paris Saint-Germain, se juntou aos demais na Espanha.

Recompensado principalmente por sua coroação com a Argentina durante a última Copa do Mundo, Lionel Messi ainda conquistou um título da Ligue 1 e uma Supercopa da França durante a temporada 2022/23.

Este presente de Messi ao Barcelona é só mais um episódio da relação conturbada entre o atacante e o PSG. Desde que o camisa 10 da seleção argentina saiu de Paris, ele já criticou diversas vezes a equipe. Em seu discurso após levantar a última Bola de Ouro, em outubro do ano passado, ele nem sequer mencionou o clube francês.

– Não tenho certeza se os parisienses querem que eu entregue a Bola de Ouro no Parc (des Princes) – disse o craque em entrevista coletiva.

PSG pode ter comprado votos para Messi vencer o Bola de Ouro

Uma reportagem do jornal francês Le Monde chocou o mundo do futebol em janeiro deste ano. Segundo a apuração, o Paris Saint-Germain está sendo investigado pelo Ministério Público do país por ter oferecido presentes, como ingressos para jogos do clube e passagens aéreas da Qatar Airlines (de mesmo dono do PSG), para o jornalista Pascal Ferré, ex-editor-chefe da revista France Football, favorecer Lionel Messi na eleição da Bola de Ouro de 2021, ano que o argentino chegou a equipe de Paris.

Os presentes teriam sido oferecidos por Jean-Martial Ribes, ex-diretor de comunicações do clube entre 2017 e 2022. O executivo está sendo investigado por corrupção ativa e tráfico de influência e outros crimes. O presidente do PSG, Nasser Al-Khelaifi, o lobista Tayeb Benabderrahmane e o ex-policial Malik Nait-Liman, ex-funcionário do PSG, também estão sendo investigados pelo MP francês.

– Ribes é investigado por enviar bilhetes para jogos de futebol do PSG para jornalistas, políticos, eleitos, membros de gabinetes ministeriais ou da presidência, artistas – estaria escrito em um documento da Inspeção-Geral da Polícia Nacional (IGPN), datado em novembro de 2023.

A Bola de Ouro é organizada pela France Football, revista do Groupe Amaury, dono também do jornal francês L'Equipe. Ferré era o responsável pela organização da premiação, e a polícia francesa busca entender como a relação do jornalista e os dirigentes do PSG, como Al-Khelaifi e Ribes, evoluíram ao longo do tempo.

O IGPN acredita que o então editor teria retirado de destaque a notícia dos sites da France Football e do L'Equipe implicando o presidente do PSG em uma comissão irregular de 2 milhões de euros para agentes de jogadores.

– A Bola de Ouro é cedida após votação de um júri composto por 100 jornalistas, de 100 países diferentes, o que protege de qualquer tentativa de influência e garante a lisura e a independência do prêmio – defendeu Lionel Dangoumau, atual diretor editorial do L’Équipe e da France Football, ao Le Monde.

Botão Voltar ao topo