Europa

Atacante quebra recorde do futebol sueco com 21 gols em um só jogo na sétima divisão

Levar sete gols da Alemanha em casa foi dolorido e humilhante para a seleção brasileira, e o feito dos alemães será para sempre lembrado, pelo choque do resultado e pela importância do jogo, claro. Mas se observarmos apenas a frieza dos números, tivemos um caso muito mais fantástico que o Mineirazo na sétima divisão sueca. No peculiar massacre por 30 a 0 do Kongo United sobre o Balrog Botkyrka Södertälje, Yanick Manzizila marcou não dois, ou cinco, mas 21 (!) gols, quebrando um recorde de 60 anos no futebol sueco e se tornando o maior artilheiro de uma partida só.

VEJA TAMBÉM: Ibra doa R$ 120 mil para seleção sueca disputar a Copa do Mundo de deficientes

Antes de Manzizila acabar com o Balrog e bater a marca, o recorde pertencia a Jim Nildén, que em 1954 havia balançado a rede 18 vezes no passeio do AIK sobre o Kadetten, por 33 a 0. O novo recorde estabelecido foi confirmado por Claes-Göran Bengtsson, presidente honorário da organização SFS (Historiadores e Estatísticos do Futebol Sueco), associada à Federação Sueca, e a impressão é de que para ultrapassá-lo só mesmo o próprio detentor da marca, a quem não falta ambição.

“Eu já tinha marcado 12 gols contra eles antes, então sabia que tinha chance de marcar desta vez. Tive um bom início e então as coisas foram dando certo. Meu irmão, Alex, jogou a bola para mim o tempo todo, então é mérito dele também. Eu estava mirando os cem gols na temporada se eu evitasse uma lesão. Faltam apenas 42 gols”, projetou Manzizila, que precisa “só” de duas atuações como a que teve contra o Balrog para conseguir o feito megalomaníaco (ou não). Afinal, parece não ser tão difícil destoar na sétima divisão sueca.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).
Botão Voltar ao topo