Europa

Alex Teixeira retorna ao futebol europeu e defenderá o Besiktas na próxima Champions

Antes pretendido pelo Liverpool, Alex Teixeira preferiu jogar na China e agora chega sem custos ao Besiktas

Depois de cinco temporadas em atividade na China, Alex Teixeira está de volta ao futebol europeu. Aos 31 anos, o meia reforçará o Besiktas na temporada que se inicia do Campeonato Turco. O brasileiro passou cinco anos consecutivos no Jiangsu Suning, com o qual conquistou o Campeonato Chinês. Todavia, a crise do grupo Suning, que resultou na extinção da equipe, deixou o atleta livre no mercado de transferências. Desta maneira, ele assina sem custos adicionais com o clube de Istambul.

Revelado pelo Vasco, Alex Teixeira teve mercado em ligas maiores do futebol europeu. Basta lembrar da badalação ao redor do brasileiro em seus tempos de Shakhtar Donetsk. O meia defendeu o clube ucraniano por sete temporada e mantinha médias altas de gols e assistências. O fim de sua passagem pelo elenco, em especial, guardou os seus melhores momentos. Teixeira anotou 17 gols no Campeonato Ucraniano de 2014/15 e chegou a balançar as redes 22 vezes nas 15 primeiras aparições em 2015/16. Também fazia sucesso na Champions League, chegando a anotar dois tentos contra o Real Madrid na fase de grupos de 2015/16.

Neste momento, Alex Teixeira tinha seu nome fortemente especulado pelo Liverpool. Foi quando o Jiangsu Suning entrou na jogada e ofereceu uma montanha de dinheiro para levar a melhor no negócio. Em fevereiro de 2016, o clube chinês desembolsou €50 milhões pela compra e superou os Reds na corrida. O brasileiro, que poderia ter batido o pé em busca de um centro maior, acabou atraído pelo alto salário oferecido na China – mas ainda menos significativo do que o recebido por outros compatriotas no país. Com isso, abriu mão também de se tornar um dos primeiros reforços na reconstrução conduzida por Jürgen Klopp em Anfield e mesmo das boas perspectivas que tinha na seleção brasileira. Olhando para trás, esportivamente, perdeu muito.

O período de Alex Teixeira na Super League foi positivo, ainda que muito aquém daquilo que poderia ter vivido na Premier League. Ele anotou 60 gols em 124 partidas e protagonizou seu time em boas campanhas. Chegou a acumular 18 gols e 11 assistências no Campeonato Chinês de 2019, embora o ápice tenha ocorrido em 2020, na edição encurtada por conta da pandemia. Teixeira protagonizaria o título do Suning, com direito a gol decisivo na final contra o Guangzhou Evergrande.

O problema é que o conto de fadas do Jiangsu Suning ruiu de imediato. Com a crise dos proprietários, o clube não encontrou um comprador e acabou fechando as portas. Ao final de seu contrato de cinco anos, Alex Teixeira preferiu aguardar o prazo para sair livre de amarras e buscar um acerto mais vantajoso para a sequência de sua carreira. Encontra um novo destino no Besiktas. A questão é qual sua forma atual, considerando que o meia não disputa um jogo oficial desde novembro de 2020. É um negócio vantajoso para os turcos, mas também com seus ares de aposta.

Alex Teixeira manteve cinco anos de seu melhor nível no Campeonato Chinês e perdeu a chance de ganhar um reconhecimento maior na Europa, embora tenha sido recompensado financeiramente por isso. Aos 31 anos, reaparece numa liga de segundo escalão, mas defendendo um clube tradicionalíssimo e que estará presente na fase de grupos da próxima Champions League. Se conseguir retomar sua forma rapidamente, poderá ser um acréscimo e tanto ao Besiktas dentro de suas pretensões.

Alex Teixeira é o quarto reforço do Besiktas para esta temporada, com destaque ao centroavante Kenan Karaman e ao volante Mehmet Topal. O brasileiro deverá disputar posição no atual campeão turco com Gokhan Töre e Adem Ljajic – embora o novato possa ser deslocado para a ponta ou mesmo para o comando do ataque. Teixeira, além do mais, reforça a legião brasileira nas Águias. O grupo treinado por Sergen Yalcin conta com as presenças do lateral Douglas, do zagueiro Welinton e do volante Souza – este, contemporâneo do meia em seus tempos na base do Vasco.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo