Eliminatórias da CopaEuropa

Aduriz volta à seleção espanhola com faro de gol afiado e bate recorde contra a Macedônia

Depois da atuação extraordinária contra o Genk, pela Liga Europa, não tinha mais como Julen Lopetegui negar a si mesmo uma chance a Aritz Aduriz em sua seleção. Quer dizer, principalmente após aos cinco gols marcados em uma única partida de competição continental. Porque o que o camisa 20 do Athletic joga e faz pelo time de Bilbao há algumas temporadas não é brincadeira. Passados oito meses desde que o sonho de voltar a vestir a camisa da Espanha – e isso aos 35 anos – e marcar seu primeiro gol com ela foi concretizado, o basco chega à equipe de Lopetegui para mostrar que seu faro de gol está tão afiado quanto quando atua por seu clube. E para se tornar o veterano com mais idade a marcar pela Furia.

LEIA TAMBÉM: O primeiro gol de Aduriz pela Espanha aos 35 anos é um sonho maior que ganhar a Mega Sena

Foi Aduriz quem fechou a casinha na goleada de 4 a 0 da Espanha sobre a Macedônia. A seleção que parecia que seria uma dor de cabeça aos ibéricos acabou deixando, no segundo tempo, que o placar fosse elástico. O resultado começou a ser construído com um gol contra, que à primeira vista pareceu ter sido marcado por Álvaro Morata, de cabeça. Mas foi, na verdade, Darko Velkovski que fez 1 a 0 para os espanhóis ao tentar desviar a bola. Os demais tentos saíram na segunda etapa, sendo o 2 a 0 executado por Vitolo, que se movimentou muito bem ao longo da partida e criou chances tão bem quanto, como tem sido de praxe. No lance do gol, porém, o jogador do Sevilla não teve que fazer tanto esforço, e só pegou a sobra na área para colaborar com o placar.

O terceiro, por seu turno, foi Nacho Monreal quem fez. Foi a primeira vez que o lateral esquerdo balançou a rede adversária com a camisa de La Roja. Com uma jogada arquitetada por Vitolo, Monreal acertou um voleio e fez 3 a 0. Um resultado confortável para a Espanha, mas não para os espanhóis, que pressionaram na saída de bola macedônia logo após o terceiro gol, partiram em contra-ataque e fizeram o quarto. Dele, de Aduriz, quem foi à campo no lugar de Morata. Para fazer a diferença, para instaurar uma goleada, para anotar o segundo tento de sua carreira internacional e para bater um recorde com o uniforme da Espanha. Seu oitavo gol em nove finalizações no alvo nas últimas SETE partidas.

O oponente pode até não ter sido dos mais difíceis de se encarar (embora a Macedônia tenha gastado bastante a Itália na rodada passada). Mas é evidente como o time de Lopetegui já mostra inúmeras diferenças positivas com e sem a bola. Pode ser que a partida deste sábado, sobretudo o começo dela, já que os espanhóis custaram a dar o primeiro chute no gol, não sirva de parâmetro. A Espanha, no entanto, é uma equipe muito mais organizada tática e tecnicamente hoje. E, no fim, nem sentiu tanto a falta de Diego Costa – que, logicamente, é um jogador cuja presença é de extrema importância e deve ser titular sempre pelo que está jogando.

Com a vitória, os espanhóis se fixam no topo do grupo G até março do ano que vem, quando acontece a quinta rodada da chave nas Eliminatórias da Copa do Mundo. A Itália fica em segundo com dez pontos, assim como a Espanha, perdendo a posição de líder em função do saldo de gols. Em seguida vem Israel, que venceu a Albânia por 3 a 0 fora de casa, e depois a seleção albanesa. Enquanto isso, Macedônia e Liechtenstein tentam vencer pela primeira vez na próxima data Fifa.

Mostrar mais

Nathalia Perez

Jornalista em formação trabalhando a favor de um meio esportivo mais humano. Meus heróis sempre foram jogadores de futebol, mas hoje em dia são muito mais heroínas.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo