Europa

A festa do Hibernian, que quase virou tragédia, voltou a ser festa nas ruas de Edimburgo

Por @brunocassali*

Foram 114 anos de angústia em busca de comemorar novamente a Copa da Escócia. Após a decepção de não voltar à elite pelo segundo ano seguido, o Hibs saciou a vontade de títulos da massa verde-branca ao vencer o Rangers em Hampden Park por 3 a 2. Porém, os herois da tarde de sábado foram outros: stewards e policiais no estádio evitaram o que poderia ser uma tragédia.

LEIA TAMBÉM: Caiu o tabu! Depois de 114 anos de espera a Copa da Escócia é do Hibernian

O apito final de Steven McLean foi o estopim para a invasão dos Hibees ao gramado do Hampdem Park. Eles queriam estar com seus heróis em campo, estar com aqueles que quebraram os 114 anos de jejum na Scottish Cup após 10 derrotas em finais no período. Porém, eles também queriam provocar o adversário e sua numerosa torcida.

Durante os 90 minutos, Hampden esteve dividido ao meio em azul e verde. O esquema de segurança era o mesmo utilizado no Old Firm das semifinais: as mesmas 10 cadeiras separavam as torcidas, com duas linhas de stewards para controlar os ânimos. Porém, os invasores vieram de trás dos gols: primeiro, a claque do Hibernian logo após o apito final. Após a provocação aos jogadores, como mostra o vídeo da edição escocesa do jornal The Sun, a torcida do Gers tomou as dores de seus atletas e partiu pra briga campal.

Foram 10 minutos de pura tensão e muita pancadaria. A polícia entrou em campo para tentar separar os grupos de brigões, mas apenas com a chegada da cavalaria os ânimos se acalmaram. Em meio a isso, assaltos e agressões covardes foram relatados e as cenas mostradas para todo o país nas três transmissões simultâneas de TV que aconteciam (BBC Scotland, Sky Sports e BT Sports).

[galeria_embeded]

A polícia da Escócia relatou ter efetuado 11 prisões por delitos leves, mas ainda não analisou os vídeos das transmissões e do circuito interno de Hampden Park – o que deve acarretar em mais punições durante a semana. O Rangers, em nota oficial, criticou o comportamento provocativo da torcida do Hibs, que iniciou a invasão de campo. A SPFL, entidade que controla o futebol escocês, adiou a cerimônia de premiação pós-jogo e não a efetuou antes da saída de todos os torcedores de campo – num exaustivo trabalho de centenas de policiais. Como dizia a frase dos Hibees nas arquibancadas antes do jogo, foi hora dos heróis. Nesse caso, da polícia que evitou uma tragédia ainda maior.

Os jornalistas locais acreditam que a SPFL deve aplicar severas punições e rever procedimentos de segurança e policiamento após os incidentes da final de sábado. Ainda na área de imprensa, os mais antigos lembravam da confusão em um Old Firm de 1980 que acarretou no banimento da venda de álcool em todos os jogos de futebol no país. Também numa final de Copa da Escócia, torcedores de Celtic e Rangers também invadiram o gramado e brigaram intensamente entre si e contra a polícia, em cenas muito parecidas com as presenciadas na partida de sábado.

Vídeo da confusão de 1980:

A festa seguiu em Edimburgo

Para celebrar em alto estilo a conquista após 114 anos, o Hibernian organizou uma parada oficial pela capital escocesa nesse domingo. O grupo de jogadores desfilou no topo de um ônibus de dois andares pelas ruas da Old Town, o centro histórico de Edinburgo. Saudados pela torcida, Jason Cummings e Alan Stubbs comandaram os clássicos gritos de “campeones, campeones”.

Segundo fontes do clube, por volta de 150 mil pessoas participaram da carreata ao longo da tarde de domingo no percurso entre as ruas da Old Town e do bairro do Leith, reduto Hibee e local onde fica o Easter Road, estádio do clube. Jogadores, o clube e também a torcida encheram as redes sociais com fotos da celebração utilizando a hashtag #preserved, ressaltando a persistência do grupo e do clube em busca do término do jejum.

Após a partida, os torcedores do Hibs ainda aparentavam um grau elevado de incredulidade. “Quando Halliday virou o jogo, era a repetição das outras histórias de fracasso do Hibs na temporada. Lembrei do Falkirk (quando o time perdeu nos acréscimos a chance de seguir brigando pelo acesso), lembrei do Ross County (no mesmo Hampden Park, onde Alex Schalk fez no último minuto da etapa final o gol do título dos Staggies contra o Hibs). Mas o time foi perseverante. Buscou e lutou até o final, honrando as cores da camisa Hibee”, me contou um torcedor na saída do estádio, enquanto ao seu lado, um jovem dava-se conta que a conquista tinha um bônus especial além do título.

Na temporada que vem, o Hibernian vai jogar a mesma competição europeia que seu rival da capital, o Hearts – apesar de continuar na Championship pela terceira temporada consecutiva. Os times de Edinburgo se juntam ao Aberdeen como representantes escoceses na Europa League em 2016/17. O Rangers voltará ao convívio dos grandes na primeira divisão, mas não terá competições continentais para disputar.

No sábado de decisões de copas nacionais, a glória Hibee teve até por do sol de Leith – bairro onde fica o Hibernian – em Glasgow. Mas a quebra do tabu do Hibs após 114 anos sem conquistar a copa nacional sempre terá anexada na lembrança a confusão entre as torcidas no gramado após o apito final. A histórica final, a primeira sem clubes da elite nacional, terá lugar cativo na memória de quem acompanha futebol pelo lado positivo, mas também pelo negativo.

*Bruno Cassali (@brunocassali) é Jornalista desde 2008, trabalhou na imprensa esportiva do Brasil até 2014 e vive em Edinburgo, capital da Escócia, desde Janeiro de 2015.

LEIA MAIS: Da Inglaterra à Albânia, veja quem levantou troféu nas decisões de copas da Europa

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo