Copa do Rei

Mallorca prova estar mais interessado na Copa do Rei que o Girona e avança à semi com primeiro tempo perfeito

O Mallorca abriu 3 a 0 antes do intervalo diante da grande sensação do futebol espanhol nesta temporada e se classificou para a semifinal da Copa do Rei depois de 15 anos

Foi mais dramático do que parecia que seria, mas o Mallorca venceu o Girona e se classificou para as semifinais da Copa do Rei. Nesta quarta-feira (24), os Bermellones não tomaram conhecimento dos Blanquivermells no Estádio Son Moix, abriram 3 a 0 no primeiro tempo e, mesmo sofrendo na segunda etapa com um jogador a menos, passaram das quartas de final do torneio pela primeira vez em 15 anos com a vitória por 3 a 2.

Cyle Larin abriu o placar para os donos da casa, enquanto Abdón Prats ampliou a vantagem com um golaço de fora da área e um gol de pênalti. Depois do intervalo, os visitantes estiveram com força máxima para tentar um improvável empate, disputaram mais de 30 minutos em vantagem numérica com a infantil expulsão de Antonio Raíllo e diminuíram com Cristhian Stuani, de pênalti, e Savinho, mas já era tarde.

Classificado, o Mallorca agora espera o sorteio para saber quem enfrentará na semifinal da Copa do Rei. Além de querer disputar um título que não conquista desde a temporada 2002/03, o time comandado por Javier Aguirre sonha com uma final para poder disputar uma competição europeia caso sagre-se campeão. O Girona, por sua vez, está mesmo focado na disputa pela liderança de La Liga, mas a campanha de quartas de final igualou a melhor da história do clube na história da competição mata-mata.

Mallorca atropela no primeiro tempo

Tanto Mallorca quanto Girona foram a campo com equipes alternativas, mesclando jogadores que costumam iniciar as partidas de La Liga com outros que na maioria das vezes começam como reservas. Os donos da casa, no entanto, fizeram menos alterações e sentiram menos falta dos titulares que não estiveram em campo, enquanto os Blanquivermells pouco fizeram com Artem Dovbyk, Yan Couto e Portu no banco.

O Mallorca abriu o placar logo aos 20 minutos do primeiro tempo. Dani Rodríguez foi lançado em velocidade pelo lado direito nas costas da defesa do Girona, arrancou até entrar na área e rolou para Cyle Larin, que só teve o trabalho de completar com o pé esquerdo na saída do goleiro Juan Carlos.

Já o Girona teve uma enorme chance de empatar rapidamente o jogo, mas não aproveitou. Aos 24 minutos, o brasileiro Savinho recebeu boa enfiada de bola de Cristhian Stuani e invadiu a área com liberdade, mas seu chute forte de canhota foi no meio do gol e facilitou a defesa de Dominik Greif. O erro custou caro, e os donos da casa ampliaram o marcador três minutos depois com Abdón Prats, que ficou com a sobra na entrada da área após sua tentativa de passe ser bloqueada e acertou um lindo chute de esquerda no ângulo direito de Juan Carlos.

O placar de 2 a 0 já era muito comemorado no Estádio Son Moix, mas o Mallorca ainda queria mais. Aos 30, Cyle Larin recebeu um lançamento longo e foi bloqueado por Antal Yaakobishvili ao tentar finalizar de dentro da área. A arbitragem incialmente marcou impedimento do atacante, mas o VAR não só constatou que ele estava em posição legal como Yaakobishvili havia desviado o chute com o braço. Sendo assim, o juiz José Luis Munuera Montero assinalou pênalti, que foi batido e convertido por Abdón Prats.

Girona pressiona pelo empate com um a mais, mas Mallorca se segura

O segundo tempo já foi totalmente diferente. Além do técnico Míchel ter promovido as entradas de Artem Dovbyk e Yan Couto logo depois do intervalo, o Girona atuou por mais de 30 minutos (já contando os acréscimos) com um jogador a mais. Aos 20, o zagueiro Antonio Raíllo empurrou Cristhian Stuani dentro da própria área e recebeu o primeiro cartão amarelo. Na sequência, recebeu o segundo por reclamar demasiadamente da marcação do pênalti. Stuani, que não teve nada a ver com isso, deslocou Dominik Greif e bateu forte no canto direito do goleiro para diminuir.

A partir de então, a partida virou um verdadeiro treino de ataque contra a defesa. O Mallorca se segurou como podia e pouco fez quando chegou ao ataque com a posse da bola, se limitando a segurar o jogo e gastar tempo. Já o Girona insistiu muito pelo empate, mas no máximo chegou ao segundo gol quando o cronômetro apontava para os 50 minutos da segunda etapa. Savinho começou a jogada pela direita, encontrou Dovbyk dentro da área e ficou com a sobra quase na marca do pênalti, antecipando a marcação ao dominar e dando um leve toque de pé direito no canto esquerdo de Greif.

Foto de Felipe Novis

Felipe Novis

Felipe Novis nasceu em São Paulo (SP) e cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Antes de escrever para a Trivela, passou pela Gazeta Esportiva.
Botão Voltar ao topo