Eliminatórias da Copa

Sensação das Eliminatórias, Venezuela quer bater lanterna Peru para seguir sonhando com Copa do Mundo inédita

Com bom início nas Eliminatórias, Seleção da Venezuela quer provar que não é zebra nas Eliminatórias

Nesta terça-feira (21), às 23h (horária de Brasília), a Seleção da Venezuela entra em campo para enfrentar o Peru, no Estádio Nacional de Lima, pela 6ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2026. E a Vinotinto quer carimbar seu passaporte para o Mundial do México, Estados Unidos e Canadá.

Sensação das Eliminatórias, os venezuelanos estão na 4ª posição com oito pontos em cinco jogos, à frente do próprio Brasil, que aparece logo atrás com sete pontos. E a equipe de Fernando Batista quer provar que não é uma zebra e tem o direito de sonhar com a disputa inédita do Mundial de seleções.

Com apenas uma derrota até aqui, na estreia para a Colômbia, a Vinotinto arrancou um empate surpreendente contra a seleção de Fernando Diniz no Brasil e já venceu Paraguai e Chile. Na última rodada das Eliminatórias Sul-Americanas, empatou por 0 x 0 com o Equador.

A Venezuela agora terá uma decisão contra os peruanos. Animados com a campanha magistral, os torcedores da Vinotinto esgotaram os ingressos do setor de visitantes, apesar das reclamações de “preços absurdos”. Com o apoio garantido nas arquibancadas, a equipe de Fernando Batista terá que quebrar um tabu em Lima para se manter na briga por uma vaga na próxima Copa do Mundo.

Seleção da Venezuela precisa quebrar tabu contra Peru

A Vinotinto precisa quebrar um tabu contra o Peru para se manter na zona de classificação das Eliminatórias. Segundo o Diario Meridiano, a Seleção da Venezuela nunca conseguiu vencer o rival sul-americano jogando como visitante. Em toda a história, foram 17 jogos em solo peruano, sendo 13 derrotas e quatro empates.

Para piorar, o técnico terá que lidar com um desfalque de peso contra o Peru. Isso porque Tomás Rincón não deve embarcar com o restante da delegação para Lima devido a problemas físicos. O volante do Santos atuou apenas nos minutos finais do duelo contra os equatorianos, mas terminou a partida sentindo desconfortos musculares.

Mesmo sem Rincón, os venezuelanos têm motivos de sobra para acreditar em uma vitória contra os peruanos fora de casa. O adversário amarga a lanterna das Eliminatórias com apenas um ponto até aqui, já que empatou com o Paraguai na estreia do torneio classificatório para o Mundial na América do Norte.

Embalada com a boa fase, a Venezuela pode conquistar sua primeira vitória como visitante contra o Peru para continuar na parte de cima da classificação. E a equipe de Fernando Batista está colhendo os frutos de uma geração de ouro para jogar uma inédita Copa do Mundo em 2026.

Copa do Mundo de 2026 pode coroar crescimento da Vinotinto

Sem muita tradição no cenário internacional, a Vinotinto fez história no Mundial Sub-20 de 2017, quando foi vice-campeão. A derrota para a Inglaterra na final não foi motivo de tristeza para os venezuelanos, já que a seleção comandada por Rafael Dudamel, que passou pelo Atlético-MG, revelou jogadores como Soteldo, Graterol, Herrera, Makoun e Córdova.

Os atletas citados anteriormente hoje fazem parte da seleção principal da Venezuela. Por ora, o ponto alto dessa geração foi chegar às quartas de final da Copa América de 2019. Em contrapartida, a Vinotinto foi eliminada ainda na fase de grupos do torneio em 2021, além de ter ficado em último nas Eliminatórias para os Mundiais de 2018 e 2022.

Seis anos depois da campanha fenomenal no Mundial Sub-20, os jogadores ganharam experiência e rodaram o mundo, atuando na Europa, Estados Unidos, Argentina e Brasil, por exemplo. A Seleção da Venezuela está mais preparada do que nos anos anteriores para ir à Copa do Mundo.

Por fim, a mudança no regulamento para o Mundial no México, EUA e Canadá permitiu a participação de 48 seleções. As Eliminatórias Sul-Americanas agora garantem seis vagas diretas, além de mais uma de repescagem, para 10 países brigarem por sua participação na Copa do Mundo. E a Vinotinto tem chances reais de terminar na zona de classificação.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Jornalista formado pela Unesp, com passagens por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia. Na Trivela, é redator de futebol nacional e internacional.
Botão Voltar ao topo