Naquele que talvez seja o exemplo mais forte dos riscos que entrar em campo para uma partida de futebol representam para as pessoas envolvidas, um diagnóstico errado levou Martin Kavdanski, do Tsarsko Selo, a infectar pelo menos 20 indivíduos depois de uma partida contra o Cherno More, pelo Campeonato Búlgaro.

O laboratório responsável pelos exames realizados no elenco e nos funcionários do Tsarsko Selo havia afirmado que nenhum teste havia retornado como positivo, e assim a equipe foi para o jogo com o Cherno More, na última quinta-feira (2). Acontece que o zagueiro Martin Kavdanski na verdade havia, sim, contraído o Coronavírus. Titular no confronto, ele pode ter, direta ou indiretamente, infectado 16 pessoas do elenco adversário.

Em comunicado oficial, o Cherno More afirma que, após a divulgação da informação de que Kavdanski estava infectado, o clube realizou uma bateria de exames em 5 de julho, revelando os 16 casos. Além dos adversários, Kavdanski teria contaminado também três companheiros, além do presidente do Tsarsko Selo, conforme noticia o jornal francês L’Équipe, com informações da imprensa búlgara.

O Cherno More acrescentou ainda que alertou a comissão médica da Federação Búlgara, espera instruções da entidade e estaria pronto para jogar sua próxima partida com garotos do time de base. Por sorte, a equipe não voltou a campo desde então. Seu próximo jogo seria nesta terça-feira (7).

Em tempos em que o óbvio precisa ser repetido à exaustão, um infeliz incidente como este é um lembrete dos riscos que estão sendo assumidos ao se realizar partidas de futebol sem critérios rigorosos de controle.