BrasilCampeonato Brasileiro

Vitória sobre o São Paulo mostra que Sport não é uma surpresa, é uma realidade no Brasileiro

Já passamos de um terço do Campeonato Brasileiro e vemos alguns grupos de times que parecem ter definido pelo que podem jogar. O Sport chegou a liderar a competição, mas ainda havia a sensação que o time podia ser um coelho. Em campo, são muitas rodadas que o Sport vem jogando bem, apesar de ter se salvado em algumas situações, como o empate no último minuto contra o Avaí em Florianópolis ou o gol salvador contra o Palmeiras, em um jogo que foi bem. A vitória sobre o São Paulo por 2 a 0 foi um passo além. Mostra que o Sport não é mais uma surpresa, como talvez tenha sido no início da competição. O time é uma realidade, jogando com consistência e regularidade.

LEIA TAMBÉM: A cada jogo, Guerrero mostra como muda o Flamengo para melhor

O jogo começou com o estilo de jogo do São Paulo: muitos passes e presença no campo ofensivo, mas sem profundidade. O São Paulo se mantinha no campo de ataque tocando a bolam tentando abrir espaços em uma defesa bem organizada pelo Sport. Aos poucos, o time pernambucano passou a ser mais perigoso no ataque, o que deixou os três zagueiros do São Paulo em perigo. O Sport não ligava: era incisivo, perigoso e mais time que o São Paulo em campo. Aproveitava os muitos espaços que o São Paulo dava.

Aliás, foi um erro do técnico Juan Carlos Osorio. Admirador do sistema com três defensores, ele usou a formação com Rafael Tolói, Lucão e Edson Silva. Não funcionou. Os dois jogadores escalados para serem alas, Thiago Mendes na direita e Michel Bastos na esquerda, não renderam. O time continuou com problemas defensivos.

O Sport, por sua vez, mostrou a consistência dos últimos jogos. E contra um time que lhe deu espaço, aproveitou para causar perigo, e muito. O gol saiu com os rubro-negros aproveitando uma saída de bola errada. Thiago Mendes errou o passe, o Sport recuperou, Marlone tabelou com André e o volante Hudson não acompanhou. O meia do Sport então cruzou e Élber, que marcou o gol. O atacante estava nas costas de Michel Bastos e com Édson Silva sem marcar ninguém no meio.

O Sport, que já era melhor, passou a ser ainda mais perigoso. Em um lance pouco depois do gol, André recebeu a bola dentro da área e foi puxado por Hudson. O juiz marcou o pênalti, mas pareceu ter recebido orientação do assistente, Alessandro Rocha Matos, dizendo que foi fora da área. Sem convicção, o árbitro mudou a marcação para uma falta. Erro grave de André Luis Freitas de Castro.

Ainda melhor no jogo, o Sport criou chances e chegou a marcar um gol com André, mas estava em posição de impedimento, bem marcado pelo árbitro. No final do primeiro tempo, o São Paulo conseguiu uma chance clara de gol em um contra-ataque. Ganso recebeu com liberdade e tocou para Pato, livre, na cara do goleiro Danilo Fernandes. Ele tentou driblar o arqueiro, mas acabou perdendo o gol. Foi a única chance clara de gol do São Paulo na partida toda. Não houve um chute a gol certo do São Paulo no jogo.

O primeiro tempo acabou em 1 a 0, o que foi mais lucro para o São Paulo, já que o placar poderia estar em 2 a 0 pelo bom volume de jogo do time na Arena Pernambuco. No segundo tempo, o Sport continuou melhor na partida. André, muito bem no jogo, ameaçou em um chute de fora da área que obrigou o goleiro Rogério Ceni a trabalhar. Marlone, ativo em campo, tentava a tabela e tornava a vida dos marcadores do São Paulo bastante difícil. Dos jogadores do Sport, Diego Souza era quem tinha a atuação mais apagada. Só aparecia em lances de bola parada.

O Sport continuou melhor e o São Paulo, sem conseguir dar um chute no gol, parecia um tubarão sem dentes. Melhor no jogo, o Sport parecia sempre mais perto do segundo gol que o São Paulo do primeiro. Até que os jogadores do São Paulo resolveram facilitar a tarefa do Sport. Ganso, que fazia uma partida ruim, reclamou com a arbitragem, que deu o segundo amarelo, expulsando o camisa 10.

Depois, foi a vez de Luís Fabiano, que tinha tomado amarelo por reclamação, fazer falta e tomar o segundo cartão, também sendo expulso. Com as duas expulsões, o técnico Osorio também acabaria expulso, depois de ter, segundo o quarto árbitro, reclamado e ironizado uma decisão da arbitragem. Tanto Ganso quanto Luís Fabiano erraram, foram expulsos de maneira inocente, mesmo com uma arbitragem com postura autoritária como a de André Luís Freitas Castro. O árbitro foi mais um a exagerar nos cartões por reclamação, mas o problema não é o árbitro, é a orientação dada pela CBF. E, dentro dessa realidade, Ganso e Luís Fabiano reclamaram e tomaram cartões que eram previsíveis – e passíveis de punição pela diretoria.

No futebol, como o Sport era muito melhor, veio o segundo gol que coroou a vitória: Ferrugem, aproveitando cruzamento, marcou e fechou o placar em 2 a 0. Com isso, o Sport sobe ao quarto lugar na tabela, voltando ao G4 e mostrando que mais do que uma surpresa, o time é uma realidade. Com 27 pontos, o Leão está a dois pontos do líder, Atlético Mineiro, que tem os mesmos 29 do Corinthians (iguais em vitórias, mas Galo é melhor no saldo de gols). O Sport é o quarto colocado, já que o Fluminense tem os mesmos 27, mas tem uma vitória a mais. Não é por acaso que o time já soma 27 jogos sem derrota no Recife.

Em um campeonato ainda muito aberto, o time mostra que tem força para brigar por uma das quatro vagas na Libertadores, ao menos . A postura e o futebol do Sport foram para orgulhar os 41.944 torcedores que estiveram na Arena Pernambuco. As desconfianças vão ficando pelo caminho. A cada rodada, o Sport vai se mostrando um time capaz de ficar no alto da tabela.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo