Brasileirão Série B

Santos quer público na Vila para destinar renda para vítimas das enchentes no RS

Em pedido ao STJD, Santos quer antecipar retorno da torcida para destinar maior arrecadação ao estado gaúcho

Durante a terrível tragédia no Rio Grande do Sul, algo que não tem faltado é a solidariedade do povo brasileiro. Pessoas de todo o país se mobilizando para ajudar de alguma forma, seja sendo voluntário nas cidades gaúchas, doando mantimentos e roupas ou divulgando todas as iniciativas que buscam assistir o povo do Sul. No futebol brasileiro vimos muitos desses episódios, com atletas de Grêmio, Internacional, Juventude e outros na linha de frente de ajuda. Fora do estado, vimos clubes paulistas, cariocas e mineiros apoiarem. Nesta quinta-feira (9), foi a vez do Santos buscar amparar as vítimas da maior crise climática do estado.

Conforme comunicado do clube, o Alvinegro Praiano, ainda cumprindo punição de jogar sem torcida em casa, protocolou um pedido com teor de urgência ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva para voltar a receber parcialmente seus torcedores na Vila Belmiro. A renda seria doada para ações no Rio Grande do Sul. Caso seja acatada, seria um jogo antes do que prevê a sanção aos paulistas de atuar com os portões fechados. A partida em questão seria contra o Brusque, em 19 de maio, pela sexta rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

Na terça-feira (7), o Santos anunciou que venderia ingressos simbólicos para o duelo com os catarinenses para arrecadar para tragédia no Rio Grande do Sul, repetindo o que fez contra o Guarani, jogado na última segunda (6). Inclusive, no pedido ao STJD, os paulistas afirmam que arrecadaram R$ 115 mil na vitória sobre o Bugre e que poderia ser muito mais caso realmente pudesse receber os torcedores.

— No jogo contra o Guarani, no dia 06 de maio, com portões fechados, o Santos FC realizou uma venda simbólica de ingressos, o que gerou uma arrecadação de R$ 115.940,00, que será destinada integralmente para o estado gaúcho. O Clube entende que, com a liberação do estádio, conseguirá um valor ainda maior e, consequentemente, ajudará muito mais pessoas vítimas na tragédia — escreveu o clube.

O Peixe foi punido pelo STJD com três jogos de portões fechados e outros três com abertura parcial — sem as torcidas organizadas — na Série B de 2024 pelas confusões na rodada final do Brasileirão do ano passado. A equipe cumpriu duas partidas já, nas vitórias frente a Paysandu e Guarani, pela primeira e terceira rodada, respectivamente.

Caso o pedido seja aceito, o time treinado por Carille teria quatro partidas seguidas com torcida parcial (além do Brusque, Botafogo-SP, Goiás e Chapecoense) até finalmente poder receber a massa santista completa.

Santos ofereceu estrutura aos times gaúchos

Como São Paulo, Palmeiras, Flamengo e outros, o Santos ofereceu sua estrutura, no caso a Vila e os centros de treinamento do clube, para os times do Rio Grande do Sul, caso aceitassem retornar a atuar pelas competições nacionais e internacionais longe do estado gaúcho.

Também nesta semana, o Peixe iniciou uma campanha de arrecadação de roupas e artigos de higiene pessoal para as vítimas das enchentes em dois pontos do clube. De segunda a sexta, das 9h às 17h, os interessados podem doar na secretaria social do Santos (Rua Princesa Isabel, s/n, na Vila Belmiro, em Santos) ou na Santos Store (Avenida Pacaembu, 1701, no Pacaembu, em São Paulo), que funciona de segunda a sábado das 9h a 19h e aos domingos das 10 a 17h.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo