Brasil

Entenda por que o São Paulo deve renovar com zagueiro que atuou apenas 28 minutos

Sabino tem vínculo apenas até o dia 20 de junho, mas contrato tem cláusula de renovação automática até o fim do ano

Sabino entrou em campo pelo São Paulo uma única vez. Foram exatos 28 minutos no gramado do Mangueirão durante a vitória por 3 a 1 sobre o Águia de Marabá, pela Copa do Brasil. E mesmo com tão pouco tempo de futebol, o zagueiro deve ter seu contrato renovado pelo clube.

O vínculo do defensor com o São Paulo está em seus últimos dias — vai apenas até 20 de junho. Sabino ainda está sob avaliação do técnico Luis Zubeldía, responsável por deliberar sobre a sua permanência. Mas a tendência é de que o Tricolor exerça a cláusula de renovação automática para prorrogar o contrato até o final do ano.

> Entenda o caso

  • Sabino tem contrato apenas até 20 de junho;
  • contrato tem cláusula de renovação automática;
  • clube deve acionar esta cláusula para renovar até o fim do ano;
  • São Paulo entende que Sabino tem um bom custo-benefício;
  • a partir da renovação, contrato terá metas de produtividade;
  • caso Sabino atinja as metas, há uma cláusula de renovação para 2025

O entendimento interno é de que a negociação vale a pena pelo custo-benefício. Os vencimentos do defensor são considerados baixos, e o São Paulo entende que dificilmente encontraria uma reposição no mesmo padrão salarial.

Além disso, o clube terá o desfalque de Ferraresi por um mês devido à disputa da Copa América pela seleção venezuelana. Hoje, Luis Zubeldía tem Arboleda e Alan Franco como dupla de zaga titular. O venezuelano e Diego Costa são os dois reservas imediatos, seguidos por Sabino.

Entenda o contrato de Sabino com o São Paulo

Após deixar o Sport no início do ano, o zagueiro assinou vínculo com o São Paulo em março, com duração apenas até o dia 20 de junho. O defensor chegou ao clube para concluir a recuperação de uma fissura no pé sofrida em outubro de 2023 — na última vez que atuou antes de voltar aos gramados contra o Águia.

O contrato do defensor dá ao São Paulo a opção de renovar automaticamente o vínculo até o final do ano. Esta possibilidade está atrelada à recuperação do atleta e ao desejo — ou não — do clube de contar com a permanência do atleta. Ou seja: a prorrogação depende apenas da vontade do Tricolor.

Para ter o contrato renovado, o zagueiro precisa apresentar índices físicos que comprovem que o tratamento da lesão foi concluído e que ele está apto para jogar. Ou seja: como Sabino já está recuperado da lesão e inclusive já estreou pelo clube, o São Paulo deve exercer esta opção para ampliar o vínculo até o fim de 2024.

A partir daí, o novo contrato terá novas metas estipuladas para mais uma renovação automática de Sabino para 2025. Neste caso, porém, os objetivos previstos no documento terão a ver com número de partidas e minutagem em campo.

Zagueiro quase foi algoz em 2023

Sabino é um conhecido da torcida são-paulina, pois quase acabou com o sonho do título inédito da Copa do Brasil do ano passado. Ainda pelo Sport, ele marcou dois gols iguais, ambos desviando com a cabeça cobranças de escanteio na primeira trave, na vitória por 3 a 1, pelo jogo de volta das oitavas de final. O resultado forçou os pênaltis em pleno Morumbis, e o zagueiro canhoto, conhecedor da marca da cal, cravou sua penalidade, apesar do Leão da Ilha ter sido eliminado por 5 a 3. O São Paulo seguiu na competição e eliminou os rivais Palmeiras Corinthians antes de se sagrar campeão contra o Flamengo.

Os próximos três jogos do São Paulo:

  • Inter x São Paulo — Brasileirão — quinta-feira, 13 de junho, às 20h (horário de Brasília) — Transmissão: Premiere (TV por assinatura);
  • Corinthians x São Paulo — Brasileirão — domingo, 16 de junho, às 16h (horário de Brasília) — Transmissão: TV Globo (TV aberta) e Premiere (TV por assinatura);
  • São Paulo x Cuiabá — Brasileirão — quarta-feira, 19 de junho, às 20h (horário de Brasília) — Transmissão: Premiere (TV por assinatura).
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Jornalista pela PUCRS, é setorista de Seleção e do São Paulo na Trivela desde 2023. Antes disso, trabalhou por uma década no Grupo RBS. Foi repórter do ge.globo por seis anos e do Esporte da RBS TV, por dois. Não acredite no hype.
Botão Voltar ao topo