Brasil

Desejo de André Silva fala mais alto, e São Paulo avança em negócio por atacante mesmo com concorrência

André Silva sonha com jogar a Libertadores e dá preferência ao São Paulo, que tenta definir a compra do atacante do Vitória de Guimarães

O São Paulo está a detalhes de definir a tão esperada chegada de um centroavante para fazer sombra a Calleri. O clube avançou nas negociações com o Vitória de Guimarães, de Portugal, e se aproxima de um acordo pela contratação de André Silva. E nem mesmo a concorrência recente do Vasco da Gama deve atrapalhar o negócio.

Conforme apurado pela Trivela, o clube carioca também demonstrou interesse no atacante brasileiro nos últimos dias e chegou a apresentar uma proposta pelo jogador. Mas o desejo de André Silva de atuar em seu estado natal e de disputar a Libertadores falou mais alto. O próprio centroavante deu a preferência para atuar no São Paulo. A diretoria do Cruz-Maltino não confirma a negociação.

A diretoria são-paulina está próxima de um acordo para a compra dos direitos do jogador, já com valores e bases de contrato alinhadas. Restam ajustar alguns detalhes para concluir a negociação. Inicialmente, o Tricolor tentou a contratação por empréstimo do brasileiro, mas o Vitória de Guimarães só aceita liberá-lo em definitivo. O estafe de André Silva está em Portugal para acelerar as conversas e tentar definir a transferência.

O clube português quer ao menos 2 milhões de euros para liberar o jogador. Este foi o valor que o clube pagou ao Arouca pela contratação do atleta. Na última janela, o Hellas Verona chegou a acertar a contratação do atacante, mas houve um desacerto na hora de trocar documentos já no último dia do prazo para concluir a negociação.

O que levou o São Paulo a investir por André Silva?

O departamento de análise de mercado do São Paulo monitora André Silva há alguns meses. Além dos gols e da técnica apurada, o jogador chamou atenção também por ser muito inteligente taticamente em campo, além de sua mobilidade para circular por todo o setor de ataque. O atacante tem atuado como centroavante nesta temporada, mas pode exercer mais de uma função no sistema ofensivo. Inclusive, já atuou como extrema.

Quem é André Silva?

Pouco conhecido (para não dizer desconhecido) no Brasil, André Silva é hoje a referência do Vitória de Guimarães na disputa do Campeonato Português. Ele já marcou 13 gols e deu duas assistências em 27 jogos na temporada atual, a sua segunda pelo clube. O jogador vive uma sequência de quatro gols marcados nos últimos quatro jogos e já anotou mais do que o dobro de gols da temporada anterior, 2022/23, em que sofreu com uma lesão: foram seis gols em 32 jogos.

Com tanto destaque, o atacante esteve perto de deixar o clube na última janela de transferências. O Hellas Verona acertou a sua contratação, e o brasileiro chegou a viajar para a Itália para realizar exames médicos. Mas no último dia do prazo para concluir a negociação, houve um desacerto nas trocas de documentação, e o negócio caiu. André voltou a Portugal e no dia seguinte marcou um gol e deu assistência na vitória por 2 a 0 sobre o Vizela.

Natural de Taboão da Serra, no interior paulista, André Silva é formado pelo Atlético Diadema e chegou a ter uma passagem pelas categorias de base do Inter. Mas ele nunca atuou como profissional em solo brasileiro. Foi em Portugal que ele iniciou, de fato, a carreira. O atacante chegou ao Rio Ave em 2017, inicialmente para o time B. Foi lá que o brasileiro fez a sua estreia como profissional. Mas o destaque veio depois, pelo Arouca. André Silva marcou dez gols e deu duas assistências em 31 jogos na temporada 2020/21 e também teve bons números em 2021/22: dez gols e três assistências em 34 jogos.

A busca do São Paulo por um novo camisa 9

O São Paulo busca um centroavante para fazer sombra a Calleri desde o final do ano passado. O problema é que o Tricolor esbarra em uma série de fatores em seus esforços no mercado para encontrar esse jogador. Até agora, todas as investidas do clube por um novo camisa 9 foram infrutíferas. As dificuldades têm a ver com a escassez de opções disponíveis e também com a condição financeira. As tratativas travam seja na questão financeira, ou no modelo de negócio.

Pedro Raul foi a maior prova disso. O atacante ex-Vasco e hoje no Toluca, do México, era o plano A da diretoria para a posição. O São Paulo fez uma investida pelo atleta, mas emperrou justamente na modalidade de transferência. O Tricolor propôs um negócio por empréstimo, mas os mexicanos querem apenas uma negociação em definitivo. A diretoria também já fez sondagens recentes por Mastriani, do América-MG, e Lautaro Díaz, do Independiente del Valle. As negociações pelos dois gringos não avançaram. O clube ainda sondou a situação de Leandro Damião. Mas o interesse não avançou para uma negociação, de fato.

A posição virou carência no elenco, muito por conta do que o antigo treinador, Dorival Júnior, observou ainda em 2023. Na ausência de seu artilheiro, que passou por uma cirurgia no tornozelo direito, o técnico fez testes e mais testes em busca de um jogador que possa servir de alternativa ao argentino. Este vestibular deu um indicativo que virou verdade absoluta: o Tricolor precisará buscar no mercado um jogador para ser alternativa ao centroavante em uma temporada em que o clube volta a disputar a Libertadores.

Os próximos jogos do São Paulo:

  • 28/02/2024 – Inter de Limeira x São Paulo, às 21h35 (horário de Brasília), no Mané Garrincha;
  • 03/03/2024 – São Paulo x Palmeiras, às 20h (horário de Brasília), no MorumBIS.
  • 10/03/2024 – Ituano x São Paulo, às 16h (horário de Brasília), no Novelli Júnior.
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo DecontoSetorista

Jornalista pela PUCRS, é setorista de Seleção e do São Paulo na Trivela desde 2023. Antes disso, trabalhou por uma década no Grupo RBS. Foi repórter do ge.globo por seis anos e do Esporte da RBS TV, por dois. Não acredite no hype.
Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel RodriguesSetorista

Jornalista formado pela UFF e com passagens, como repórter e editor, pelo LANCE!, Esporte News Mundo e Jogada10. Já trabalhou na cobertura de duas finais de Libertadores in loco. Na Trivela, é setorista do Vasco e do Botafogo.
Botão Voltar ao topo