Brasil

Renato teve seus deslizes, mas muitos méritos em ano positivo do Grêmio

Apesar de posturas contestáveis e dos problemas defensivos do time, Renato Portaluppi teve muitos méritos para conduzir o Grêmio ao vice-campeonato brasileiro em ano de retorno da Série B

A versão 2023 no Grêmio talvez tenha sido a mais madura de Renato Portaluppi como treinador de futebol. Polêmico e folclórico, ele deu suas deslizadas, tanto dentro quanto fora de campo. Mas teve muitos méritos para conduzir o Tricolor Gaúcho aos títulos da Recopa Gaúcha e do Campeonato Gaúcho, à semifinal da Copa do Brasil e ao vice-campeonato brasileiro. Tudo isso no ano de retorno do clube da Série B, e com elenco com algumas limitações.

Renato reinventou taticamente o Grêmio várias vezes em 2023

Taticamente, Renato precisou se reinventar inúmeras vezes ao longo da temporada. No início do ano, sem poder contar com pontas de velocidade, montou o 4-2-3-1 com três meias atrás de Suárez. Depois veio o esquema com três zagueiros, em um 3-4-2-1; o 4-4-2 com losango no meio-campo; o 4-4-2 em linha com dois meias; e o 4-1-4-1 com três volantes. Tendo, é claro, o 4-2-3-1 tradicional, com pontas, como carta na manga. Em determinado momento, a ausência de padrão chegou a ser problema, mas a versatilidade do treinador merece ser exaltada.

Polêmica sobre Suárez foi muito bem conduzida por Renato

Renato também foi muito bem na condução da polêmica envolvendo Luis Suárez, na metade do ano. Colocou-se entre imprensa e direção na ‘guerra’ de versões sobre possível aposentadoria ou saída precoce do jogador. Recentemente, após a despedida do craque uruguaio, um ano antes do que foi inicialmente acertado em contrato, o treinador confirmou que as informações trazidas pelos jornalistas Eduardo Gabardo e Marco Souza, de GZH, estavam corretas.

Ataques à imprensa e escapada após o Gre-Nal foram deslizes de Renato em 2023

Mas Renato também passou do ponto em algumas entrevistas coletivas, atacando a imprensa em demasia, e sem necessidade. E teve uma delas em que o treinador simplesmente não foi. Partiu direto para o aeroporto, rumo à folga no Rio de Janeiro, após o clássico Gre-Nal perdido por 3 a 2 no Beira-Rio, pelo segundo turno do Campeonato Brasileiro. A atitude, com razão, deixou o presidente Alberto Guerra e a torcida gremista enfurecidos.

Problemas defensivos do Grêmio de Renato não passaram apenas por ser um time ofensivo

Dentro de campo, se o ataque do Grêmio teve ótimos números, na esteira de Suárez, defensivamente o time apresentou muitos problemas. Mesmo com o vice-campeonato, teve a quarta defesa mais vazada do Brasileirão, e foi a segunda equipe que mais concedeu finalizações aos adversários. A falta de compactação saltou aos olhos em algumas partidas, e a justificativa de Renato, de que sofrer muitos gols é consequência de jogar para frente, não cola. Afinal, é possível atacar e defender bem ao mesmo tempo.

É um ponto a ser corrigido para 2024, em que Renato deverá seguir no comando do Grêmio. Mesmo com o impasse por conta do pedido de aumento salarial, a tendência é que treinador e direção cheguem a um acordo para que o ídolo comande o clube em mais uma Libertadores — para a qual classificou o Tricolor Gaúcho em todos os Campeonatos Brasileiros que disputou.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho, formado em jornalismo pela PUC-RS e especializado em análise de desempenho e mercado pelo Futebol Interativo. Antes da Trivela, passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. Também é coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo