Brasil

PL sobre reforma de São Januário é aprovado em 1º turno; veja os próximos passos

Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro aprovou o projeto sobre o potencial construtivo de São Januário, que vai possibilitar a reforma do estádio do Vasco

Em meio à crise no futebol do clube, o Vasco teve uma boa notícia fora de campo. Nesta quinta-feira (6), de forma quase unânime, a Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro aprovou o Projeto de Lei que trata sobre o potencial construtivo de São Januário e que possibilitará a reforma do estádio.

Até mesmo o vereador e vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz, foi favorável ao projeto.

O projeto foi aprovado com 45 votos favoráveis entre os 51 vereadores que estavam presentes na sessão no fim da tarde desta quinta-feira. Esta foi a primeira das duas votações que precisam ocorrer antes da sanção do prefeito Eduardo Paes. Entre as duas votações, os vereadores podem apresentar emendas ao projeto.

Quais os próximos passos na reforma de São Januário?

A segunda votação, no entanto, só vai ocorrer após a terceira audiência pública para debater o assunto. Depois de debates na Câmara de Vereadores e na Barra Tijuca, bairro que deve receber o potencial construtivo do estádio, a última audiência está marcada para próxima terça-feira (11), às 19h (horário de Brasília), em São Januário.

O desejo do Vasco é de que a segunda votação aconteça ainda neste mês de junho, já que a Câmara de Vereadores entra em recesso no dia primeiro de julho. E, depois, no segundo semestre haverá eleição municipal, o que poderia atrasar a tramitação do projeto na Câmara, com os vereadores em campanha eleitoral.

Com o projeto aprovado e passando pela sanção do prefeito Eduardo Paes, o Vasco pretende tocar a venda do potencial construtivo, que já vem sendo negociada pelo clube, durante o segundo semestre e iniciar as obras no estádio até o fim de 2024.

O que é o potencial construtivo e como impacta em São Januário?

O potencial construtivo indica o quanto alguém pode construir em um determinado terreno da cidade, seguindo as regras do plano diretor do município para cada região.

São Januário, por exemplo, tem um enorme potencial construtivo, mas este potencial não é totalmente utilizado pela falta de demanda para um estádio. Aquele terreno, por exemplo, poderia abrigar empreendimentos maiores e mais altos.

Com o projeto de lei, o potencial construtivo de São Januário será repassado para um terreno na Barra da Tijuca. E o Vasco poderá vender este potencial para outra empresa. Mas só poderá utilizar os valores do negócio na reforma do seu estádio. É dessa forma que o Vasco pretende arrecadar os valores para a reforma da Colina.

Pensando no Flamengo, Marcos Braz defende São Januário

Durante a sessão na Câmara de Vereadores, o vereador e vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz (PL), defendeu a aprovação do projeto de lei referente a São Januário. No entanto, ele deixou claro que deseja a mesma aprovação e celeridade nas discussões para o projeto do novo estádio do Flamengo.

— Minha posição aqui em relação ao estádio do Vasco, é um projeto bom para a cidade, projeto que apresenta para a economia do Rio números satisfatórios, importantes. Deixar claro a minha posição aqui, como VP do Flamengo, espero coerência e correção quando o projeto do Flamengo estiver aqui dentro. Nós já debatemos esse assunto. Chegamos no mesmo sentimento de que esses projetos são bons para a cidade. Espero que os vereadores que vão votas a favor do estádio do Vasco, como eu também vou fazer, num compromisso quando vier o do Flamengo, seja honrado o que foi tratado aqui com todos nós — afirmou Marcos Braz.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Jornalista formado pela UFF e com passagens, como repórter e editor, pelo LANCE!, Esporte News Mundo e Jogada10. Já trabalhou na cobertura de duas finais de Libertadores in loco. Na Trivela, é setorista do Vasco e do Botafogo.
Botão Voltar ao topo