Brasileirão Série A

Prioridade para torcedores em pé e torres espelhadas: como é o projeto do Vasco para o novo São Januário

Vasco apresentou detalhes do projeto atualizado de modernização de São Januário, que terá quase 50 mil lugares, sendo 30 mil para torcedores em pé

O Vasco, enfim, mostrou mais detalhes da reforma de São Januário. Apresentado inicialmente em 2020, o projeto foi atualizado e aprovado pela prefeitura do Rio de Janeiro, que, na última terça-feira, assinou o projeto de lei que vai tirar do papel o “potencial construtivo” do estádio. E, entre muitas alterações e modernizações, o clube pretende manter alguns aspectos popular do atual estádio, com mais lugares para torcedores em pé.

O projeto do Vasco aumenta a capacidade de São Januário, que tem sido um dos principais problemas do clube recentemente, de cerca de 21 mil lugares para 47.383 pessoas. Desses, quase 33 mil lugares ficarão reservados para as arquibancadas. A informação foi dada inicialmente pelo “GE”. Nesses setores, atrás dos dois gols, os torcedores poderão ficar em pé. Mas, além disso, o local também terá barras de proteção que vão dar flexibilidade ao setor. Isto porquê essas barras poderão ser utilizar para colocar cadeiras, que diminuíram a capacidade do setor, mas que podem ser exigidas para determinados jogos e eventos.

Mas, diferente do projeto anterior, que tinha apenas arquibancadas nos setores atrás dos gols – inspirado, por exemplo, na “muralha amarela” do Borussia Dortmund no Signal Iduna Park, nesta nova projeção, esta parte do estádio foi setorizada. Em cima das arquibancadas ficarão um setor de camarotes e outro de cadeiras.

Alías, o Vasco vai construir 133 camarotes no novo São Januário, com capacidade para quase 3 mil pessoas. Serão mais 10 mil lugares de cadeiras, além das frisas, lounges e tribunas.

Vasco mudou o projeto original e vai ter camarotes e cadeiras em cima das arquibancadas (Foto: Divulgação/vasco)

Vasco vai preservar fachada histórica e terá novo museu

Como esperado e como já estava programado no projeto inicial, o Vasco vai preservar a fachada histórica de São Januário, onde hoje fica a entrada principal para a social. No entanto, o estádio terá duas tores nas laterais desta fachada, com vidros espelhados. Na edificação da esquerda, o clube terá um espaço para eventos, o setor administrativo, um restaurante e camarotes, todos com varanda para dentro de São Januário.

Já na torre da direita da fachada principal, o Vasco vai ter, além de um outro restaurante, o seu novo museu, com a sala de troféus, e a loja oficial do clube.

Fachada histórica de São Januário será preservada, mas terá novas torres nas duas laterais (Foto: Divulgação/Vasco)

O Vasco vai usar as outras fachadas do estádio para valorizar os seus símbolos e a sua história. Na fachada norte, onde haverá uma esplanada aberta voltada para a Barreira do Vasco, o estádio terá estampado a Resposta Histórica de 1924, além de um painel com a imagem de ídolos do clube. Já no lado leste, o estádio terá uma referência a camisa do clube, com uma “faixa” na diagonal e a Cruz de Cristo. As outras das fachadas terão imagens que remetem aos tradicionais azulejos portugueses.

Fachada norte de São Januário terá a Resposta Histórica de 1924 e uma esplanada aberta para a Barreira do Vasco (Foto: Divulgação/Vasco)

São Januário terá torre para esportes olímpicos

Além da reforma do estádio, o Vasco também vai modernizar o complexo esportivo que envolve São Januário. O local terá uma torre com três pavimentos para quadras de volêi e basquete, uma quadra de futsal e uma quadra de ginática e lutas. As duas primeiras terão capacidade para cinco mil pessoas. Além disso, a modernização do complexo também incluí reformas na capela e na piscina de São Januário.

Capela de São Januário será reformada e clube terá uma torre para esportes olímpicos (Foto: Divulgação/Vasco)

E agora? Quais os próximos passos na reforma de São Januário?

Com o projeto de lei pronto para transferência do potencial construtivo de São Januário para um terreno na Barra da Tijuca, Zona Oeste de São Januário, o Vasco agora aguarda a aprovação da Câmara de Vereadores para poder fechar o negócio da venda deste terreno. Assim, o Vasco terá os recursos para usar exclusivamente na reforma de São Januário. O projeto aprovado pelo prefeito Eduardo Paes foi feito com esta atual proposta de modernização do estádio.

O projeto está orçado em cerca de R$ 500 milhões e o clube prevê que as obras devem durar três anos. Ou seja, se iniciadas no começo de 2024, com o Vasco planeja, São Januário poderia ser reaberto em 2027, quando estádio completa 100 anos.

Visão para o campo de São Januário das cadeiras superiores (Foto: Divulgação/Vasco)
Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Jornalista formado pela UFF e com passagens, como repórter e editor, pelo LANCE!, Esporte News Mundo e Jogada10. Já trabalhou na cobertura de duas finais de Libertadores in loco. Na Trivela, é setorista do Vasco e do Botafogo.
Botão Voltar ao topo