Brasil

Desperdiçou R$ 100 milhões? Analisamos a passagem de Mattos pelo Vasco

Em menos de quatro meses, o diretor de futebol do Vasco, Alexandre Mendes, foi demitido do clube. E a Trivela mostra como foram esses 100 dias de trabalho

De maneira inesperada, chegou ao fim, na última quinta-feira (21), a passagem de Alexandre Mattos como diretor de futebol do Vasco. Depois de apenas cem dias de trabalho no clube, o dirigente acabou demitido em meio a polêmicas extracampo. O rompimento envolve mais de R$ 100 milhões investidos na formação do elenco e problemas na relação com a comissão técnica de Ramón Diaz e a diretoria da SAF do Vasco, comandada pela 777 Partners e o CEO Lúcio Barbosa.

Mattos foi contratado pelo Vasco em dezembro de 2023, poucos dias depois da última rodada do Campeonato Brasileiro, quando o time confirmou a permanência na Série A, e a demissão do então diretor de futebol Paulo Bracks. O dirigente, que estava no Athletico-PR, foi confirmado no cargo no dia 11 de dezembro.

Os seus trabalhos vitoriosos na última década empolgaram a torcida do Vasco. Mas, logo na sua apresentação, no começo de janeiro, o dirigente deu um choque de realidade nos torcedores. Mattos falou em “pés no chão” e em construir um projeto de longo prazo na SAF do clube, o que seria um problema depois.

— O dono é quem tem que dizer. Posso até discordar, mas é assim que funciona em uma empresa. Estou me adaptando aos processos impostos. E é assim que tem que ser. Não adianta ficar “aí, os processos”. Temos que ter convicção e tentar fazer da melhor maneira e o mais rápido o possível. O futebol é dinâmico — afirmou, na sua apresentação, em janeiro.

Ao mesmo tempo, a primeira contratação da “era Mattos” indicava que o Vasco viria forte no mercado de contratações. O primeiro reforço anunciado pelo clube para 2024 foi o zagueiro João Victor, que estava no Benfica. O Cruz-Maltino acertou a contratação do jogador por 6 milhões de euros (cerca de R$ 32 milhões, na cotação da época), que pode subir para 8 milhões de euros (R$ 42,7 milhões).

Mattos investiu mais de R$ 100 milhões na janela

Apesar de indicar ter se incomodado com os processos para contratações da 777 Partners, Alexandre Mattos investiu mais de 100 milhões em reforços na última janela. No entanto, boa parte do valo foi empenhado em apenas três jogadores: o atacante Adson, o zagueiro João Victor e o volante Juan Sforza. Além disso, o clube investiu na compra de Paulo Henrique e renovou o contrato de Praxedes, jogadores que já estavam no clube.

Apesar do alto investimento, o elenco do Vasco está longe de ser considerado pronto para a sequência da temporada. O clube segue com problemas em quase todos os setores, principalmente no meio e no ataque.

Confira os reforços contratados por Mattos no Vasco

  • Adson – atacante;
  • João Victor – zagueiro;
  • Rojas–zagueiro/lateral-direito;
  • David – atacante;
  • Keiller – goleiro;
  • Victor Luís – lateral-esquerdo;
  • Galdames – volante;
  • Sforza – volante;
  • Clayton Silva – atacante;

Problemas com comissão técnica do Vasco

A janela de transferências, que fechou no começo de março, foi um dos problemas de Alexandre Mattos. Mas não com diretoria, e sim com a comissão técnica. Divergências em relação a nomes sugeridos e prioridades para o clube acabaram afetando a relação de Ramón e Emiliano Diaz com o então dirigente. Conforme o canal “Atenção, Vascaínos”, o estopim foi o atacante André Silva.

O jogador, que estava em Portugal, foi um pedido de Ramón Diaz, mas Mattos teria demorado para enviar a proposta, pois dava prioridade a Breno Lopes, do Palmeiras. Silva acabou fechando com o São Paulo. Além disso, Mattos, que pouco frequentava no CT Moacyr Barbosa, também era visto como uma pessoa afastada do elenco e da comissão.

Ainda no começo desta semana, quando as primeiras informações sobre esta divergência foram veiculadas, Alexandre Mattos fez questão de dizer que nada disso havia acontecido. No entanto, nesta quinta-feira, o CEO do Vasco, Lúcio Barbosa, confirmou que Mattos e Ramón haviam tido uma divergência, mas que já estavam pacificados.

Lúcio Barbosa disse que houve uma “quebra de confiança” no Vasco com vazamento de conversa de Alexandre Mattos (Foto: Icon Sport)

Vazamentos de conversa determinou demissão de Mattos

Apesar dos problemas na formação do elenco e da eliminação no Campeonato Carioca para o Nova Iguaçu, a gota d'água para a demissão de Alexandre Mattos foi o vazamento de uma conversa com um jornalista. No diálogo, ele explicava os longos processos de contratação de alguns jogadores, diminuindo a sua responsabilidade na construção do elenco para 2024. Essa insatisfação não era novidade. Em fevereiro, em uma coletiva, o dirigente expôs a situação e mostrou uma insatisfação por não ter a palavra final das contratações.

Na coletiva de quinta-feira, Lúcio Barbosa evitou entrar em detalhes, com admitiu que este episódio foi um dos fatores que levaram a demissão, e que, para a SAF do Vasco, houve uma “quebra de confiança” por parte do ex-dirigente de futebol.

O que Alexandre Mattos disse após ser demitido do Vasco?

— Desde quando comecei meu trabalho no Vasco, venho conversando com os controladores da SAF do Vasco e 777 Partners. Coloquei, como sempre fiz, as necessidades do nosso dia a dia de trabalho, agilidade na tomada de posição, até pela concorrência que existe no mercado do futebol. Ficou claro que existem divergências em várias situações de como pensamos o futebol. E desta forma fui comunicado que não seguiremos com o projeto e trabalho. Quero desde já agradecer a todos os profissionais com quem tive a oportunidade de trabalhar nesse período: membros da comissão técnica, atletas, todos os funcionários do Vasco e a torcida que sempre respeitou meu trabalho e que nos incentivou em cada momento ou jogo. Desejo a todos muita sorte — afirmou ele em nota oficial.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo