Brasil

Alexandre Mattos dá choque de realidade em torcedores do Vasco ao falar em pés no chão e longo prazo

Apesar da fama de 'gastador' e de que faz muitas contratações, Alexandre Mattos repetiu diversas vezes que o projeto do Vasco é pensar no futuro e evitou falar em grandes reforços nesta janela

Alexandre Mattos chegou ao Vasco apresentando uma versão “pés no chão” em 2024. Há quase um mês no clube, o diretor executivo de futebol concedeu, nesta segunda-feira (8), a sua primeira entrevista coletiva como funcionário vascaíno. E, apesar da fama de “gastador”, de que faz muitas contratações no clubes por onde passa e de montar times campeões, o dirigente não iludiu o torcedor e reforçou que o projeto no Vasco é de “médio a longo prazo”. Durante toda a entrevista, que durou cerca de uma hora, Mattos repetiu a frase em diversos momentos e disse que o torcedor precisa alinhar as expectativas com as do Cruz-Maltino.

Diferente do CEO Lúcio Barbosa, que, no fim de 2023, falou em contratar “jogadores do tamanho do Vasco” e projetou o clube brigando situações melhores durante a temporada, como na primeira página da tabela do Campeonato Brasileiro, Alexandre Mattos foi comedido e falou “pavimentação do caminho”.

– É um projeto sim de médio a longo prazo. Tem que ter essa expectativa alinhada. Mas o Vasco vai sair desse momento difícil. Conheci o Vasco um pouco mais no bate-volta que fiz hoje. Profissionais bons, pagamentos em dia, desejo de ter uma estrutura melhor, crescer em todas as áreas, e objetivo de crescer. Torcedor tem que ficar sabendo que o caminho ainda é de pavimentação, de crescimento, com plano bem-feito. Não vai ser da noite para o dia. Temos a obrigação de fazer isso, mas temos uma estrada a cumprir. O Vasco vem crescendo em estrutura, vem crescendo os processos internos. Precisamos melhorar categoria de base. Precisamos equacionar nossas dívidas. O processo é duro, mas é de médio a longo prazo. Vou ser sempre transparente com o torcedor. Preciso estar alinhado, ser transparente e verdadeiro – afirmou Alexandre Mattos em coletiva no CT Moacyr Barbosa.

– O título vem com um projeto sério, de médio a longo prazo. O Vasco vai conseguir conquistar e vai saber o motivo. Não significa que o Vasco não vai ganhar o Carioca. Nosso planejamento é entrar para ganhar. Esse é o Vasco. Temos condições. Se o outro ganhar é porque foi melhor. Título é consequência de uma série de fatores e tomadas de decisões – completou o dirigente em outra resposta.

Depois de quase um mês no Vasco, Alexandre Mattos concedeu a sua primeira entrevista coletiva (Foto: Gabriel Rodrigues/Trivela)

Mattos evita falar em ‘grandes contratações' no Vasco

Durante toda a coletiva, Alexandre Mattos evitou falar em nomes que foram especulados no clube. Além disso, também preferiu não falar em “grandes contratações” para a temporada. O diretor de futebol, mais uma vez, reforçou que precisa ter responsabilidade financeira no clube.

– Sobre grandes atletas, tenho quase 20 anos de profissão. Temos que esperar para dar certo. Já contratei jogadores com grandes expectativas que não vingaram. E jogadores que chegaram sem expectativa e viraram a cara do projeto. O Vasco sempre vai buscar atletas que queiram estar aqui. Aqui, só vai permanecer quem quer ficar. Queremos pessoas dentro da responsabilidade financeira. os exemplos estão aí. O Vasco não vai fazer isso, vai sempre ficar na responsabilidade financeira. O futebol hoje está caro. O Vasco vai equacionando as dividas, conseguindo investimentos, melhorando estrutura, e melhorando o projeto.

– Essas questões todas, quando resolvidas, serão passadas por nossa assessoria (risos). No futebol tudo muda a toda hora. Vou pedir paciência, dar tempo ao tempo, as coisas estão sendo feitas. Quando tudo estiver alinhado e resolvido, nossa assessoria passará tudo. O Vasco, acima de tudo, tem que ter responsabilidade. Mas tudo dentro de uma ideia e de um plano que o Vasco entende que será bom para todo mundo – desconversou o dirigente.

Relação com a 777 Partners e processo para contratações

Esta será a primeira vez em que Alexandre Mattos trabalha em um clube que é SAF. E o diretor de futebol tem ficado em contato direto com o representantes da 777 Partners, dona da SAF vascaína. Mas, ao contrário do que foi especulado em dezembro, Mattos não foi aos Estados Unidos para se reunir com os empresários. No entanto, ele reforçou que tem uma linha direta com os americanos.

– Eu não fui aos Estados Unidos encontrar com a 777. Hoje eu posso estar na China, no Japão e falamos o dia todo por vídeo. Antes do Vasco, eu já tinha compromissos particulares lá. Tenho tido reuniões com Johanes e com Don – disse Mattos, antes de completar citando o processo para as contratações e a projeção de um futuro melhor.

– O que posso falar por mim é que venho tendo contatos diários com a 777, como uma empresa. Hoje a empresa tem um dono. Quando você contrata o João Victor por 6 milhões de Euros, você tem que ter um processo minucioso para minimizar erros. Os processos ajudam nessa questão. Tem a relação e o “sim” ou “não”. O dono é quem tem que dizer. Eu posso até discordar, mas é assim que funciona dentro de uma empresa. Estou me adaptando aos processos impostos. E é assim que tem que ser. Não adianta ficar “aí, os processos”. Temos que ter convicção e tentar fazer da melhor maneira e o mais rápido o possível. O futebol é dinâmico. Teve um processo em 2023, e a tendência é ter um 2024 melhor, um 2025 melhor… Tem um processo de adaptação – finalizou Alexandre Mattos.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor do Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo