Brasil

Principal organizada do Corinthians cobra punição a diretor e presidente do Conselho

Gaviões da Fiel considera 'inadmissível' a exposição da política interna do Corinthians por Rubão e Romeu Tuma Jr

A crise política do Corinthians atingiu o maior patrimônio do clube: a torcida. Nesta sexta-feira (19), principal organizada do Timão emitiu uma nota repudiando as atitudes de Rubão, diretor de futebol, e Romeu Tuma Jr., presidente do Conselho Deliberativo, e cobrando punições. Os dois mandachuvas trocaram ofensas e acusações, escancarando uma guerra de interesses que existe no Parque São Jorge.

— Essa exposição negativa do Corinthians é inadmissível e acontece ao mesmo tempo, em que o retrospecto do departamento de futebol mostra um desempenho abaixo do esperado para a grandeza do clube e, ao invés de os poderes contribuírem para sairmos dessa situação, infelizmente preferem expor mazelas políticas menores que somente pioram o momento atual — afirma a Gaviões da Fiel em nota publicada nas redes sociais.

— Caso não tenham conhecimento das disposições estatutárias, o artigo 24, incisos C e H determinam que seus associados se portem com correção e zelo, bem como que não sujem a imagem do clube, por qualquer meio, inclusive pela imprensa — completa.

No comunicado, a torcida também destaca um artigo específico do estatuto corintiano, que prevê o desligamento para conselheiros e funcionários que difamarem a instituição.

— Ressaltamos, também, que o artigo 28, inciso E, prevê pena de desligamento para aquele que difama a imagem do clube, o que claramente se verifica pelas declarações veiculadas — aponta.

Entenda a briga entre Rubão e Romeu Tuma Jr.

Em entrevista ao ge, na última quinta-feira (19), Rubão afirmou que Romeu Tuma Jr. comanda um “poder paralelo” que existe dentro do Corinthians.

— Foi montado um governo paralelo que a gente não vai admitir. Não vamos admitir de forma alguma! Não chegamos lá por imposição, chegamos lá pelo voto do associado, não só voto de conselheiro só. É bem diferente — disparou Rubão em entrevista.

Na visão de Rubão, Tuma lidera uma sabotagem à atual diretoria com a criação de comissões temáticas em diversas áreas (jurídica, financeira, etc.). Assim que foi eleito pelo Conselho, em fevereiro, o atual presidente criou comissões temporárias para fiscalizar as ações da diretoria. Vale ressaltar que é dever dos conselheiros aprovar contas e orçamentos e, caso necessário, abrir um processo de impeachment.

— Se você quiser fiscalizar, não tem problema nenhum, o que não pode é criar uma estrutura para pressionar o presidente. O conselheiro foi nomeado para legislar, não para executar. Quem executa é o executivo, quem legisla é o legislativo. O presidente do Conselho está lá para organizar as reuniões do Conselho e fiscalizar o Corinthians — acrescentou o diretor.

Após as alegações se tornarem públicas, Tuma respondeu à altura, por meio de uma nota. O tom da publicação foi de contra-ataque, uma vez que ele devolve a acusação do diretor da gestão Augusto Melo.

— Ao invés de falar do que ele não conhece, deveria cuidar do que pensa que entende, pois recorrentemente está envergonhando a nação corintiana e demolindo a administração que assumiu a menos de 120 dias. Aliás, pelo que se diz, difamando seu presidente, conspirando contra ele e, além de tudo, dizendo-se o único responsável pela eleição da nova diretoria. Obviamente se achando Deus, mas, ao mesmo tempo, tentando se eximir de responsabilidades em eventuais equívocos ou até malfeitos que supostamente possam existir. Coisa de covarde. Aliás, nem no crime esse tipo de postura é respeitada — afirmou Tuma.

Leia a nota na íntegra:

POSICIONAMENTO SOBRE A POLÍTICA INTERNA DO CLUBE

O Gaviões da Fiel Torcida lamenta profundamente a discussão travada entre o diretor de futebol, Rubens Gomes e o presidente do Conselho Deliberativo, Romeu Tuma Junior, por meio da imprensa nos últimos dias.

Essa exposição negativa do Corinthians é inadmissível e acontece ao mesmo tempo, em que o retrospecto do departamento de futebol mostra um desempenho abaixo do esperado para a grandeza do Clube e, ao invés de os poderes contribuírem para sairmos dessa situação, infelizmente preferem expor mazelas políticas menores que somente pioram o momento atual.

Caso não tenham conhecimento das disposições estatutárias, o artigo 24, incisos C e H determinam que seus associados se portem com correção e zelo, bem como que não sujem a imagem do clube, por qualquer meio, inclusive pela imprensa.

Ressaltamos, também, que o artigo 28, inciso E, prevê pena de desligamento para aquele que difama a imagem do clube, o que claramente se verifica pelas declarações veiculadas.

Desta forma, deixamos aqui publicamente o nosso pedido ao presidente do clube para solicitar à Comissão de Ética a apuração de tais condutas para que didaticamente demonstre a todos que exposições negativas não serão toleradas, sobretudo quando esquecem o nosso bem maior: o Corinthians.

GAVIÕES DA FIEL TORCIDA

Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo