Brasil

Presidente do Conselho responde diretor e abre crise política no Corinthians: ‘covarde’

Romeu Tuma Jr. rebate acusações de Rubão, diretor de futebol do Corinthians, que cravou existência de um "poder paralelo"

O Corinthians vive uma crise. Apesar dos panos quentes que a diretoria tenta colocar desde o início do mandato, nesta quinta-feira (18), ficou clara a existência de um racha político na atual gestão. Após o ge publicar uma entrevista com Rubão, na qual o diretor de futebol do Timão afirma que há um “poder paralelo no clube” comandado por Romeu Tuma Júnior, o presidente do Conselho Deliberativo reagiu à altura em nota oficial.

— Entristecido também constato, que o referido dirigente não conhece o Estatuto que jurou respeitar e defender e, pelo jeito, também continua não entendendo de futebol. Já rebaixou nosso Corinthians uma vez — afirma em trecho do comunicado.

Na nota, Tuma rebate as acusações de uma suposta tentativa de sabotagem à atual diretoria com a criação de comissões temáticas em diversas áreas (jurídica, financeira, etc.), e diz que Rubão está “se achando Deus”. Assim que foi eleito pelo Conselho, em fevereiro, o atual presidente criou comissões temporárias para fiscalizar as ações da diretoria. É dever dos conselheiros aprovar contas e orçamentos e, caso necessário, abrir um processo de impeachment.

No mais, o tom da publicação é de contra-ataque, uma vez que ele acusa o atual diretor de conspirar contra o presidente Augusto Melo.

— Ao invés de falar do que ele não conhece, deveria cuidar do que pensa que entende, pois recorrentemente está envergonhando a nação corinthiana e demolindo a administração que assumiu a menos de 120 dias. Aliás, pelo que se diz, difamando seu presidente, conspirando contra ele e, além de tudo, dizendo-se o único responsável pela eleição da nova diretoria. Obviamente se achando Deus, mas, ao mesmo tempo, tentando se eximir de responsabilidades em eventuais equívocos ou até malfeitos que supostamente possam existir. Coisa de covarde. Aliás, nem no crime esse tipo de postura é respeitada — continua em nota.

Ao que tudo indica, este é apenas o início de uma grave turbulência na gestão corintiana.

Leia a nota de Romeu Tuma Junior na íntegra:

É constrangedor constatar que um Conselheiro que dirige o Futebol do nosso amado clube, que move uma nação de tantas formas e jeitos, especialmente os menos favorecidos que invariavelmente deixam inúmeras obrigações e afazeres, inclusive familiares em segundo plano para acompanharem nosso time, não tenha dimensão de sua responsabilidade quer na condição de dirigente, quer na condição de cidadão.

Entristecido também constato, que o referido dirigente não conhece o Estatuto que jurou respeitar e defender e, pelo jeito, também continua não entendendo de futebol. Já rebaixou nosso Corinthians uma vez.

Fosse diferente, ao invés de falar do que ele não conhece, deveria cuidar do que pensa que entende, pois recorrentemente está envergonhando a nação corinthiana e demolindo a administração que assumiu a menos de 120 dias, aliás pelo que se diz, difamando seu presidente, conspirando contra ele e, além de tudo, dizendo-se o único responsável pela eleição da nova diretoria, obviamente se achando Deus, mas ao mesmo tempo tentando se eximir de responsabilidades em eventuais equívocos ou até malfeitos que supostamente possam existir. Coisa de covarde. Aliás, nem no crime esse tipo de postura é respeitado.

Posso supor tratar-se de um gênio. Poucos conseguiram tanto em tão pouco tempo. Ainda que desastrosamente.

Conheço a origem dessa notícia, o objetivo e quais os interesses de quem está escondido por detrás do porta voz do apocalipse. Obviamente excluindo os jornalistas que a assinam, tudo terminará em pedido de demissão coletivo após a votação das contas no final do mês.

Como Presidente do Conselho Deliberativo do Sport Club Corinthians Paulista, não devo alimentar projetos inescrupulosos, covardes e desonestos, nunca o fiz na vida privada e por absoluta coerência e por formação moral e familiar, jamais farei naquilo que não é meu, especialmente onde me delegaram função por eleição.

A única coisa que posso fazer neste momento é aconselhar o Presidente do Clube a se afastar desse tipo de gente, custe o que custar, para que não seja refém de ninguém, o Corinthians está acima de quaisquer outros interesses, livre-se dos que verdadeiramente lhe coagem, caso contrário, eles se livrarão de você.

A pegadinha desse jogo, é que o Diretor de Futebol, no dia seguinte ao Corinthians estar à beira da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, venha a público em uma entrevista atacando a honra de Conselheiros, caluniosa e desrespeitosa, tentando jogar todas as instituições do clube e seus integrantes em conflito generalizado para criar uma narrativa se vitimizando, justamente para se eximir de dar explicações sobre seu trabalho que é questionado por unanimidade. Oras, vá se explicar pelo desempenho pífio de nosso time, pois a todos parece que o problema lá no CT é de gestão do futebol. Sobre isso o Presidente também deve explicações a todos, o que acontece com e no Corinthians.

Para não passar em branco, esclareço que as Comissões do Conselho Deliberativo têm previsão Estatutária e Regimental, foram formadas e criadas com o apoio unanime do Conselho Deliberativo e além de suas prerrogativas legais prescritas no Estatuto do Corinthians, visam dar espaço para o despontar de novas lideranças para o futuro em nosso Clube, para que não fiquemos reféns de nós mesmos.

Elas cumprem seu papel que foram instituídos em assembleia geral dos associados, e já funcionaram em outras gestões do Conselho, portanto mentirosa a afirmação que visam “chantagear” o Presidente. Conselheiro desconhecer o Estatuto sim, é enganar o associado e a sociedade corinthiana.

Não farei qualquer referência pessoal ao Diretor, pois conheço e respeito a família dele, além do mais sei que ele está desorientado.

O Conselho Deliberativo sob minha Presidencia, cumprirá o Estatuto, doa a quem doer.

Não vou cair nessa emboscada, a verdadeira farra acabou aqui!

Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo