Brasil

Tem alguém pronto? Com lesões, base do Atlético-MG pode ganhar chances no profissional

Milito tem poucas opções de volantes, e os jovens podem ser a solução no momento, mas, há alguém pronto para esse desafio na base do Atlético?

O Atlético-MG informou nesta quinta-feira (16) a lesão de Otávio, titular absoluto do time de Gabriel Milito e, em partes, único primeiro volante à disposição do treinador. Além dele, outros dois jogadores que poderiam atuar na posição estão no DM, enquanto o outro (Battaglia) está improvisado como zagueiro. Dessa forma, pode surgir a possibilidade para algum jovem da base, mas, será que algum deles está pronto para essa promoção?

Otávio era o primeiro volante titular de Gabriel Milito, que costuma jogar com ele como “cão de guarda”, e Zaracho e Alan Franco como segundos volantes/meias, com muito mais liberdade. Sem o camisa 5, a reposição natural é Battaglia, que atualmente está atuando como zagueiro. Mas, no último jogo, quando Otávio saiu lesionado, quem ocupou a posição dele foi Franco, com o argentino sendo mantido na zaga. Depois, Zaracho também jogou como primeiro homem de meio.

Essas mudanças dentro do próprio time titular se deram porque Milito não tem à disposição mais volantes. Quando Otávio saiu, ele colocou o meia Igor Gomes, por exemplo. O reserva deveria ser o jovem Paulo Vitor, que teve uma grave lesão e está no DM há alguns meses. Otávio se junta a ele, e deve ficar parado por, no mínimo, dois meses.

Com essas lesões, sobra para Milito a opção de recuar Alan Franco e um meia em seu lugar, como fez contra o Peñarol, ou retornar Battaglia para volante, colocando assim um novo zagueiro. Franco é um jogador que pode cumprir a função sem muitos problemas, mas tem características mais de saída de jogo do que de marcação — apesar de ser muito bom também nesse quesito. Já Battaglia seria o mais lógico, mas ele está se adaptando bem como zagueiro e pode ser que o treinador não queira tirá-lo dessa posição no momento.

As opções de Milito

  • Battaglia de volante: precisará de um novo zagueiro, e tem Igor Rabello, Mauricio Lemos e Rômulo à disposição. Ou, monta a defesa com Jemerson, Fuchs e Saravia;
  • Alan Franco como 1° volante: precisará de um meia que, nesse caso, deve ser Igor Gomes. E ainda há a questão de que Franco deve desfalcar o time durante a Copa América, ou seja, se optar por ele, terá que modificar tudo de novo em algumas semanas.

Vale lembrar que a janela de transferências está fechada e só se abre no início de julho, ou seja, mesmo que o Atlético contratar um jogador para a posição agora, ele só poderá jogar quando a janela se abrir. Por isso, a opção pode vir de outro lugar.

E na base, alguém está pronto para esse desafio no Atlético?

Apesar de o mais provável ser Milito escolher uma das duas opções citadas, ele pode também recorrer à base do Atlético. Quando chegou, o treinador falou que gosta muito de trabalhar com jovens. Recentemente, Alisson, de 18 anos, que recebe chances em quase todos os jogos, falou sobre como o treinador “lança todo mundo e não está nem aí”, no sentido de, se ele confiar, vai jogar.

Nesse caso, olhando para a base do Atlético e a posição de volante, não há nenhum grande destaque no momento, aquele jogador que todo mundo sabe que está pronto e pode jogar no profissional. Mas, dois nomes surgem como possibilidade: Zé Phelipe e Caio Ribas, com destaque maior, no momento, para o primeiro.

Aos 18 anos, Zé Phelipe é o primeiro volante do time Sub-20 do Atlético atualmente. Ele chamou atenção na Copinha, no início do ano, e tendo bons jogos também no Campeonato Brasileiro da categoria. Entre as possibilidades, é o que parece mais pronto para subir ao profissional, caso necessário, como disse à Trivela o Galo Coments, página que acompanha a fundo as categorias de base atleticana.

Além da boa marcação, Zé também tem qualidade na saída de bola, além de aparecer bem no ataque. Há algumas semanas, ele marcou um dos gols da vitória atleticana no clássico contra o América pelo Brasileiro contando com uma roubada de bola na saída adversária e uma batida de fora da área. No entanto, ele ficou de fora do jogo do Galo no Sub-20 desta quinta-feira (16) por um problema muscular na coxa direita, e pode acabar perdendo essa oportunidade de subir ao profissional caso seja uma lesão grave.

Já Caio Ribas é mais velho, tem 20 anos e é um dos capitães do time Sub-20. O jogador se destacou muito no Sub-17, mas ainda não conseguiu repetir as grandes atuações na categoria atual, vivendo um momento ruim, como destacou o Galo Coments.

O mais preparado creio que seja o Zé Phelipe. Tem o Caio Ribas, mas ele não está muito bem no sub-20, o melhor hoje é o Zé mesmo. Ele vem em uma crescente muito boa, deveria ser testado — destacou.

Além de não viver um bom momento, Caio não é necessariamente um primeiro volante, atuando melhor como um segundo homem de meio. Não à toa, ele tem sido titular ao lado de Zé Phelipe no meio-campo, tendo mais liberdade para jogar que o companheiro.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Jornalista pela PUC-MG, passou por Esporte News Mundo e Hoje em Dia, antes de chegar a Trivela. Cobriu Copa do Mundo e está na cobertura do Atlético-MG desde 2020.
Botão Voltar ao topo