Lado B de Brasil

Um resumo de cada um dos 16 jogos que definiram os classificados às oitavas de final da Série D

A Série D concluiu a fase de grupos no início de dezembro, com o novo formato da competição ampliando o número de jogos. E os 16-avos de final garantiram várias partidaças nas duas últimas semanas, até definirem os sobreviventes que seguem em frente rumo às oitavas. Algumas camisas pesadas se impuseram no torneio, mas a quantidade de surpresas também é considerável, sobretudo pelas eliminações de River e ABC. A competição segue a todo vapor nas próximas semanas, com os jogos das oitavas concentrados entre os dias 19 e 27 deste mês. Abaixo, um resumão sobre todos os confrontos, assim como os duelos das oitavas.

Bragantino-PA 1×1 Juventude Samas-MA: O goleiro decisivo

A primeira partida, no Maranhão, seria marcada pelos golaços. Gabriel abriu o placar para o Bragantino com uma bomba cobrando falta e Vinícius empatou para o Juventude Samas de bicicleta. A igualdade parecia dar certa vantagem aos paraenses no reencontro em casa, neste sábado. E essa impressão se reforçou quando Gabriel também inaugurou a contagem no Diogão, contando com a colaboração do goleiro Mateus. A história da tarde, porém, seria de redenção. O Juventude Samas forçou o empate por 1 a 1 no segundo tempo, graças a um pênalti (discutível) convertido por Doda. Com o placar repetido, a definição foi para a marca da cal. E o herói seria exatamente Mateus, com dois penais defendidos, garantindo o triunfo dos maranhenses por 4 a 3.

Itabaiana 2×2 Floresta: A lambança fatal

O Floresta mandou a primeira partida no Castelão e honrou o palco, com a vitória por 2 a 1 encaminhada desde o primeiro tempo. Só que o Itabaiana ensaiou a virada no Etelvino Mendonça. Depois de um primeiro tempo de gols perdidos para os dois lados, os sergipanos saíram em vantagem com Willian, aproveitando o rebote de uma bola na trave. O herói também faria o segundo, num bonito chute. O relógio marcava 22 do segundo tempo e a reação do Floresta se complicava. Todavia, os cearenses foram capazes de arrancar a classificação. Renê descontou aos 34 num chute de fora da área, no cantinho. Neste momento, o Floresta forçava ao menos os pênaltis. O problema é que uma lambança enorme culminaria na eliminação do Itabaiana. O goleiro Cris se enrolou com Hugo fora da área, Renê disparou com a bola e só foi parado com falta na área. Pênalti, que ainda rendeu a expulsão de Hugo. Na cobrança, Fábio Alves colocou os cearenses na próxima etapa, punindo o erro tremendo de Cris.

River 0x1 Galvez: A zebra

A grande surpresa da Série D aconteceu no Piauí. O River é um dos clubes mais tradicionais na quarta divisão e, nesta temporada, chegou a eliminar o Bahia na Copa do Brasil. Porém, o sinal de alerta também estava ligado desde a fraca campanha no Nordestão e a péssima campanha no estadual, com o time sofrendo risco de queda. O Galvez é um clube de sucessos recentes e parecia até propenso à eliminação depois do empate por 0 a 0 no Acre. Ainda assim, a zebra passearia pelo Albertão, em Teresina. Depois de uma viagem de 48 horas até o palco do duelo, os visitantes conquistaram a histórica vitória por 1 a 0. Apesar da pressão do River durante o primeiro tempo, o Galvez teve um gol anulado antes do intervalo. Já na segunda etapa, a classificação se confirmou com uma pancada de Dodô, que desviou no meio do caminho e enganou o goleiro Mondragon. Nos minutos finais, os piauienses tentaram o abafa, sem sucesso para vencer o goleiro Luis Miller. Por conta do mau desempenho no Piauiense, o River não jogará nem a a Série D em 2021.

América de Natal 5×0 Coruripe: A imposição

O Coruripe ensaiou uma surpresa ao vencer a primeira partida por 1 a 0, em Alagoas. Provocou a ira do América de Natal, que deu a resposta em grande estilo para seguir brigando pelo acesso. O Dragão goleou por 5 a 0 na Arena das Dunas, na maior goleada desta fase. Durante o primeiro tempo, Edimar fez o primeiro e ia garantindo pelo menos os pênaltis aos potiguares. Foi durante o segundo tempo que o América abriu a goleada. O lateral Everton Silva teve grande importância, participando da construção dos quatro tentos, mesmo sem balançar as redes. O segundo veio com o artilheiro Wallace Pernambucano, numa cabeçada firme. Wallace também fez o terceiro, na boa após o passe de Gustavo Xuxa. No quarto, Wallace fez o corta-luz para Rondinelly assinalar. Por fim, Elias converteu o pênalti que fechou o caixão – numa cobrança repetida por invasão, após o alvirrubro carimbar a trave.

Salgueiro 4×0 Vitória da Conquista: Da reação à goleada

O primeiro encontro, na Bahia, reservou a melhor partida da rodada de ida nos 16-avos de final. Foi um jogaço no Lomantão, mas o Vitória da Conquista já tinha motivos a lamentar. Por duas vezes a equipe da casa abriu três gols de vantagem, mas permitiu que o Salgueiro descontasse no final e reduzisse a diferença para 4 a 3. No fim das contas, aquele saldo nem teria adiantado muito, já que o Carcará passou o carro em Pernambuco e aplicou uma goleada ainda maior com seus 4 a 0. Renato abriu o placar cobrando pênalti no fim do primeiro tempo. No início da segunda etapa, Ranieri aproveitou o rebote do goleiro para ampliar. Já no fim, brilhou o veterano Ciel, que saiu do banco. Soltou uma pancada em cobrança de falta para o terceiro e criou também a jogada do quarto, em lance no qual o Salgueiro brincou dentro da área adversária até Raimundo Júnior concluir.

Altos 3×1 Rio Branco: Domínio total

O Altos pode dizer que conquistou a classificação mais segura destes 16-avos de final. A equipe piauiense foi a única que garantiu duas vitórias nos dois confrontos, batendo o Rio Branco tanto fora quanto em casa. Na semana passada, aconteceu o triunfo no Acre. As bolas paradas fizeram a diferença ao placar de 2 a 0, com Reginaldo Júnior balançando as redes duas vezes. Além disso, a defesa do Altos segurou bem qualquer reação do Rio Branco. Já no Piauí, o domínio total foi ratificado, desta vez com vitória por 3 a 1. Betinho abriu o placar cobrando pênalti e Jojo até empatou antes do intervalo, em lindo chute no ângulo. Ainda assim, o Altos faria mais dois na etapa complementar, com Manoel e Alex Mineiro.

ABC 1×1 Globo: Em tarde de frangos, mais um ano na quarta divisão

O único duelo estadual dos 16-avos de final aconteceu no Rio Grande do Norte, entre Globo e ABC. Pois a surpresa aconteceu: apesar da campanha superior na fase de grupos e da tradição incomparável, o ABC ficou pelo caminho. O estrago começou a ser feito ainda em Ceará-Mirim, com a vitória do Globo por 2 a 1. Negueba fez jogadaça para Beleu anotar o primeiro e Edson Kapa ampliou no segundo tempo, cobrando pênalti. Liderado por Wallyson, o ABC até pressionou, mas só conseguiu descontar com Thiaguinho, desperdiçando boas chances de empatar. E a derrota cobrou seu preço no Frasqueirão, com o 1 a 1 neste final de semana se tornando insuficiente. O ABC até saiu na frente, num frangaço de Rodrigo Carvalho. O goleiro tinha feito uma defesaça pouco antes, mas aceitou a cobrança de falta de Thiaguinho – sem força e quase em cima dele. Só que, durante o segundo tempo, Rafael retribuiu do outro lado. O arqueiro do ABC bateu roupa e permitiu que Edson Kapa fizesse o gol da classificação do Globo no rebote.

Fast 1×1 Moto Club: Apagão no estádio antes dos pênaltis

O equilíbrio ficaria expresso desde o primeiro encontro, sobretudo pelo segundo tempo eletrizante no Maranhão. Foram quatro gols na etapa complementar, com o empate por 2 a 2. O Moto saiu em vantagem aos cinco minutos com Edrean, até que o Fast empatasse aos 38 com Dijá Baiano. Os maranhenses voltariam à dianteira quatro minutos depois, num lindo tento de Flamel. Entretanto, os amazonenses sobreviveram com o empate aos 51, graças a Régis. E o novo empate em Manaus seria emocionante até além das quatro linhas. Num primeiro tempo movimentado, em que os goleiros tiveram trabalho, o Fast saiu em vantagem nos acréscimos. Bernardo assinou jogadaça pela direita e cruzou na medida para Janeudo concluir de cabeça. Já na segunda etapa, Edrean empatou ao Moto Club e o goleiro Saulo acumulou defesas para evitar o segundo dos manauaras. Ao apito final, com o empate por 1 a 1, a decisão seguiu aos pênaltis. Antes que as cobranças se iniciassem, os times precisaram esperar que a luz se restabelecesse após um apagão na Arena da Amazônia. Mas, no fim das contas, o Fast teve mais precisão na marca da cal, com a vitória por 6 a 5 nas alternadas.

São Luiz 2×0 Cabofriense: Juba faz a diferença

O São Luiz segue em frente na Série D, depois de desenhar a classificação desde a visita a Cabo Frio. O empate por 1 a 1 no Rio de Janeiro ajudou os gaúchos. Hugo almeida abriu o placar nos primeiros minutos e apenas no segundo tempo que Victor Feitosa empatou à Cabofriense. Já em Ijuí, o São Luiz confirmou a classificação contando com o artilheiro Juba. O atacante abriu o placar num contra-ataque aos 16 minutos e encerrou o triunfo aos 44 do segundo tempo, concluindo uma bola alçada na área. Outro destaque que merece ser mencionado é o goleiro Rafael Roballo, com defesas importantes nas duas partidas aos alvirrubros.

Aparecidense 4×0 Tupynambás: Tranquilidade em Goiás

A Aparecidense sobrou no confronto, mas não teve um início tão fácil em Minas Gerais, com o empate por 1 a 1 na ida. O Tupynambás criou o suficiente para sair em vantagem durante o primeiro tempo, mas o goleiro Tony salvou os goianos. Na segunda etapa, a Aparecidense abriu o placar com Alex Henrique e desperdiçou vários contra-ataques, até Fabinho empatasse no fim aos mineiros, de pênalti. Não teve problema, diante da goleada por 4 a 0 em Goiás. O primeiro tempo guardou dois gols dos anfitriões, com boa participação de Albano, que deu o passe para Alex Henrique abrir a contagem e ele mesmo anotou o segundo. Já durante a segunda etapa, a expulsão de Paulo Vitor dificultou ainda mais ao Tupynambás. Édipo e Cardoso fecharam a conta à Aparecidense.

Gama 1×2 Goianésia: A pá de cal na crise

O Gama protagonizava a melhor campanha da Série D no início da fase de grupos, mas entrou em espiral com uma crise interna que culminou em atrasos salariais e na saída de vários destaques. Apesar da luta dos remanescentes, a equipe terminou eliminada pelo Goianésia. O Gama até saiu com um bom resultado de Goiás, com o empate por 2 a 2. O Goianésia esteve por duas vezes em vantagem, mas os visitantes reagiram para evitar o prejuízo no reencontro em casa. Mesmo assim, os alviverdes decepcionariam no Bezerrão, com a derrota por 2 a 1. Vanilson foi o pesadelo aos anfitriões no primeiro tempo, abrindo o placar logo aos dez minutos e dando o cruzamento para Dudu Itapajé ampliar. O Gama bem que pressionava, mas o goleiro Artur também estava inspirado. Pouco antes do intervalo, de pênalti, Michel Platini descontou aos anfitriões. Mas a reação não passaria disso, com a defesa do Goianésia controlando bem a situação.

Ferroviária 1×2 Marcílio Dias: Catarinenses se agigantaram na Fonte

Um dos resultados mais notáveis foi alcançado pelo Marcílio Dias, responsável por eliminar a Ferroviária, uma das favoritas da competição. E a missão precisou ser cumprida fora de casa pelos catarinenses. Na primeira partida dentro do Gigantão, os dois times não passaram do empate por 0 a 0. A Ferrinha até criou mais chances em Itajaí, mas o Marcílio Dias se segurou, mesmo terminando o jogo com um a menos. Já na Fonte Luminosa, tudo parecia se encaminhar à Ferroviária. Os anfitriões terminaram o primeiro tempo na frente, com um gol de Anderson Salles. O Marcílio Dias pressionava e a casa começou a cair para os grenás aos 16 da segunda etapa, quando Lucas Mendes foi expulso. Os catarinenses aproveitaram a vantagem numérica para buscar a virada por 2 a 1. Alessandro bateu de fora para empatar logo depois e, aos 32, Luiz Renan se esticou de carrinho para garantir a reviravolta. Saulo realizou defesas importantes para manter as esperanças aos paulistas, mas Juninho Beliato foi o herói do outro lado, com uma grande defesa no fim para assegurar o triunfo catarinense.

Mirassol 1×0 Caxias: A precisão nos pênaltis fez toda a diferença

Uma das partidas mais interessantes dos 16-avos de final reunia duas equipes de bons papéis nos estaduais, com o Mirassol alcançando as semifinais do Paulistão e o Caxias caindo apenas na decisão do Gaúcho. A emoção prevaleceu também na Série D, com dois embates apertados. Melhor no Centenário, o Caxias poderia ter construído uma vantagem maior que o 1 a 0 no marcador. Giovane Gomez anotou um golaço de voleio para abrir o placar no primeiro tempo, mas os gaúchos não aproveitaram a situação no segundo tempo, quando Daniel foi expulso do outro lado ainda aos dez. O Mirassol conseguiu ser melhor mesmo com um homem a menos, pressionando pelo empate, e daria o troco no interior de São Paulo. A vitória por 1 a 0 foi definida por João Guilherme, aos 29 do primeiro tempo. O Mirassol criou mais para matar o duelo, ainda que o Caxias também tenha levado perigo, inclusive com um tento anulado. Com o placar invertido, a definição ficou aos pênaltis. Então, a competência dos paulistas foi bem maior. Venceram por 3 a 0, com os gaúchos desperdiçando seus três tiros – dois deles para fora.

Brasiliense 3×0 Real Noroeste: Zé Love decide

O Brasiliense passou com a melhor campanha da fase de grupos e, ao lado do América de Natal, talvez seja o grande favorito nesta Série D. A classificação veio com autoridade, despachando o Real Noroeste. O Jacaré não conseguiu vencer a ida, com o empate por 1 a 1 no Espírito Santo. Luquinhas deixou o Brasiliense na frente com uma pintura, batendo por cobertura. O Real Noroeste insistia pelo empate, mas  o goleiro Fernando Henrique (aquele) mantinha a segurança. Só no fim os capixabas igualaram, com Isaías anotando outro golaço, fazendo estrago na defesa adversária com vários dribles. O esforço só não valeu muito aos merengues, com a vitória do Jacaré por 3 a 0 no DF. O goleiro Farley adiava a derrota, mas Zé Love apareceu e anotou os dois primeiros gols do Brasiliense. Fernando Henrique também apareceu quando o Real Noroeste tentou a reação, mas a classificação acabou sacramentada por Peninha, em outro lindo gol. Com um drible da vaca, o atacante deixou para trás quatro adversários e bateu colocado diante de Farley. Um detalhe é que o Brasiliense trocou de técnico entre um jogo e outro, com Vilson Tadei (ex-Gama) assumindo o lugar de Edson Souza.

Goianésia 3×2 Atlético de Alagoinhas: Uma grande virada

O tradicionalíssimo Goiânia se mantém em pé na Série D, ao superar o Atlético de Alagoinhas, vice-campeão baiano. A classificação começou com o empate por 1 a 1 fora de casa, no Carneirão. Apesar do primeiro tempo cheio de chances, foi só na segunda etapa que o Goiânia saiu em vantagem, com Kaio Wilker batendo no cantinho. O Atlético empatou com Robert, num lance confuso da arbitragem. O assistente assinalou o impedimento, mas foi contestado pelo árbitro, que acertou ao validar o tento. Os baianos quase viraram no fim, e sentiram falta do segundo gol na visita a Goiás. O Goiânia, afinal, terminou de cumprir sua missão com a eletrizante vitória por 3 a 2. O começo de jogo mal permitiu que se respirasse, com Felipe Araújo marcando o primeiro do Atlético com menos de 30 segundos e Du Gaia empatando aos seis para o Goiânia. Willian Sarôa virou no primeiro tempo e Kaio Wilker assinalou o terceiro na etapa complementar. Só aos 39 que os baianos voltaram a encostar com Jean, mas sem forças à virada.

Novorizontino 3×0 Cascavel: Tigre soberano

O Novorizontino se refez do susto no Paraná para eliminar o Cascavel com uma ampla vitória na volta. A partida de ida até veria os paulistas melhores, mas as circunstâncias ajudaram os paranaenses: o goleiro Vinícius Almeida foi expulso no início do segundo tempo por uma falta fora da área. Com um homem a menos, o goleiro reserva Lucas até mantinha a sobrevida dos paulistas, mas o Cascavel arrancou a vitória por 1 a 0 graças a um pênalti no fim dos acréscimos. O artilheiro Paulo Baya converteu. Já no reencontro em Novo Horizonte, o Tigre não deixou margem às dúvidas com a vitória por 3 a 0. Pereira abriu o placar no primeiro tempo e os paulistas já criavam várias chances. Somente na segunda etapa é que arremataram a vitória, com dois tiros rasantes de Guilherme Queiroz – que havia sofrido o penal. A impressão foi de que a goleada poderia ter sido até maior.

Abaixo, os duelos das oitavas. Os times mencionados antes fazem o primeiro jogo em casa:

Juventude Samas-MA x Floresta-CE
Galvez-AC x América-RN
Salgueiro-PE x Altos-PI
Globo-RN x Fast-AM
São Luiz-RS x Aparecidense-GO
Mirassol-SP x Brasiliense-DF
Goiânia-GO x Novorizontino-SP
Marcílio Dias-SC x Goianésia-GO

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo