Lado B de Brasil

Resumão da Série D: Mata-matas começaram com equilíbrio e gols agonizantes

Neste final de semana, teve início os 16-avos de final da Série D, em maratona de jogos rumo à definição dos acessos em setembro

A Série D abriu sua fase decisiva neste final de semana. Aconteceram os 16 primeiros jogos dos mata-matas, depois de uma fase de grupos emocionante, com grandes reviravoltas na reta final. Times tradicionais acabaram de fora da etapa principal – como o Santa Cruz, o Campinense, o Sergipe, o XV de Piracicaba, o Novo Hamburgo e o Santo André. Até por isso, há uma sensação de abertura nos 16-avos de final, embora muitos clubes de projeção regional ainda sigam vivos em busca do sonho do acesso. Mais do que isso, há trabalhos em ascensão que merecem atenção, sobretudo pelas novas SAF’s que despontam no país.

As partidas de volta acontecem no próximo final de semana. A Série D mantém seu modelo concentrado em mata-matas, com a definição dos quatro promovidos nas quartas de final. Os acessos serão celebrados na primeira semana de setembro e, no fim do mês, já será conhecido o campeão. Abaixo, um resumão. Nem todos os jogos possuem vídeos disponíveis no YouTube, porém.

Parnahyba 2×0 Nacional-AM

O Parnahyba não fez uma grande fase de grupos, no limite da classificação, mas abriu os 16-avos de final com boa vitória sobre o Nacional do Amazonas – líder do Grupo A1. O Tubarão anotou 2 a 0 sobre os amazonenses no Piauí. Ambos os gols vieram no primeiro tempo, com Guilherme Teixeira e Kakin, com uma elogiada apresentação do time dirigido por Oliveira Canindé. A situação fica delicada ao Naça, mesmo com a vantagem de disputar a volta em Manaus.

Potiguar de Mossoró 1×0 Bahia de Feira

Outro time com classificação inferior na fase de grupos que se deu bem na partida dentro de casa foi o Potiguar de Mossoró. As circunstâncias facilitaram para a vitória por 1 a 0 sobre o Bahia de Feira, em duelo disputado no Rio Grande do Norte. Os baianos ficaram com um jogador a menos a partir dos acréscimos do primeiro tempo, com a expulsão de Abuda. O gol da vitória do Potiguar saiu aos 35 da etapa final, numa bola alçada na área que o zagueiro Victor Souza definiu.

Águia de Marabá 1×1 Atlético Cearense

No Zinho de Oliveira, o Atlético Cearense voltou com um bom empate na visita ao Águia de Marabá. Os gols no 1 a 1 saíram logo cedo. Betão anotou primeiro para os paraenses logo aos cinco minutos. Entretanto, o empate dos cearenses veio num chute rasteiro de Davi Torres de fora da área, 20 minutos depois. Durante o segundo tempo, o Águia tentou aumentar a pressão para sair com o resultado positivo em casa, mas parou na defesa do Atlético.

Falcon 1×1 Sousa

Mais um empate aconteceu no Sergipe, onde o Sousa voltou para a casa com o 1 a 1 diante do Falcon, que ainda se safou da derrota nos minutos finais. O primeiro tempo já seria movimentado, com direito a uma bola na trave do Sousa logo de cara. O equilíbrio prevaleceu na sequência, com destaque às atuações dos goleiros. Já no segundo tempo, os gols ficaram para os minutos finais. O Sousa anotou o primeiro aos 39, com Vítor Alagoano. O empate que deu sobrevida ao Falcon surgiu aos 51, com Elivelton.

Princesa do Solimões 1×1 Ferroviário

Dono da melhor campanha da fase de grupos, o Ferroviário correu riscos de perder sua invencibilidade, mas buscou o empate em Manacapuru, contra o Princesa do Solimões. O placar de 1 a 1 parece favorável aos cearenses, treinados por Paulinho Kobayashi. Os amazonenses deram trabalho ao goleiro Douglas Dias desde o primeiro tempo, mas só conseguiram abrir o placar aos 38 da segunda etapa. Max guardou num toque por cobertura, para a alegria do lendário técnico Aderbal Lana, comandante dos anfitriões. Todavia, o Ferroviário buscou a igualdade no sexto minuto dos acréscimos, com Matheus Lima. Após o apito final, uma confusão ainda rendeu uma expulsão para cada lado.

ASA 1×0 Nacional de Patos

O ASA de Arapiraca deu um passo importante diante de sua torcida, com a vitória por 1 a 0 sobre o Nacional de Patos. Apesar da casa cheia, os alagoanos tiveram dificuldades no primeiro tempo. Os paraibanos se mostravam mais confortáveis e incomodaram o goleiro Sucuri. Entretanto, no segundo tempo, apareceu o atacante Júnior Viçosa. O medalhão abriu o placar com uma cabeçada aos 18 minutos. Os alvinegros criaram boas chances para o segundo, mas também tomaram seus sustos na reta final.

Maranhão 2×3 Tuna Luso

O jogo mais movimentado da rodada aconteceu no Castelão, em São Luis. Foi uma chuva de gols entre dois times tradicionalíssimos, com os 3 a 2 da Tuna Luso para cima do Maranhão. Os maranhenses anotaram o primeiro num pênalti cobrado por Fontes, aos seis minutos, e buscavam o segundo. O empate dos paraenses surgiu antes do intervalo, com Pedrinho. Já no segundo tempo, a Tuna virou num pênalti de Marlon. O Maranhão partiu para a blitz e teria também mais um penal, convertido de novo por Fontes. Entretanto, o pulso tunante pulsou até os 49 do segundo tempo. Dedé decretou o triunfo no apagar das luzes, numa bola alçada na área.

Pacajus 1×2 Retrô

Um dos candidatos ao acesso, o Retrô encaminhou sua missão logo na partida de ida, no Ceará. Os pernambucanos venceram o Pacajus por 2 a 1 no Ronaldão, mesmo atuando com um jogador a menos em boa parte do duelo. Os visitantes anotaram o primeiro na etapa inicial, com Gelson. No segundo tempo, Israel foi expulso e em teoria dificultava os planos do Retrô. Contudo, a equipe assinalou o segundo num pênalti convertido por Radsley. Foi apenas no fim que o Pacajus diminuiu o prejuízo, num penal cobrado por Testinha.

Vitória 1×0 Ceilândia

No Espírito Santo, o Vitória conquistou um bom resultado diante do Ceilândia e venceu a ida em casa por 1 a 0. Foi uma partida que começou perigosa para os capixabas, especialmente pelo assédio dos visitantes nos primeiros minutos. Contudo, Carlinhos abriu o placar assim que o caminho clareou para os anfitriões na etapa inicial, com um chute de fora da área. A sequência da partida seria amarrada e, quando o Ceilândia marcou com Gabriel Parcos, viu o tento ser anulado.

Inter de Limeira 0x1 Caxias

O Caxias viajou até o interior de São Paulo e saiu com um bom resultado, com a vitória por 1 a 0 sobre a Inter de Limeira. Os gaúchos fizeram um primeiro tempo superior no Estádio Major Levy Sobrinho, com chances mais claras, mas precisaram de paciência para abrir o placar. A pressão grená no segundo tempo rendeu um golaço de David Lustosa, aos oito minutos: o camisa 10 deu uma finta desconcertante na marcação e, da entrada da área, tocou por cobertura para vencer o goleiro. Pintura. No final, apesar dos esforços dos paulistas, a diferença se manteve.

Operário VG 1×0 Portuguesa

O Operário VG usufruiu bem da vantagem dentro de casa, com a vitória por 1 a 0 no Mato Grosso sobre a Portuguesa carioca. O gol no Estádio Dito Souza aconteceu logo no primeiro tempo, numa bola em que Rafael Costa ajeitou e o artilheiro Pablo Tomaz concluiu para as redes. Já no segundo tempo, os dois times teriam jogadores expulsos. Lucas Santos recebeu o vermelho antes pela Portuguesa e Roney ganhou o segundo amarelo do lado do Operário. Com isso, a pressão dos cariocas não teve resultado.

Brasil de Pelotas 0x0 Patrocinense

O Brasil de Pelotas está entre os clubes de maior peso nos mata-matas da Série D, mesmo com uma classificação apertada na fase de grupos, mas não conseguiu sair com o resultado positivo do Bento Freitas. Prevaleceu o 0 a 0 contra o Patrocinense, que poderá decidir no interior de Minas Gerais. O Xavante conseguiu ser melhor na partida. Teve as melhores chances diante de sua torcida, mas não conseguiu ser tão preciso. Rafael Costa chegou a acertar a trave, Guilherme Beléa perdeu grande chance e João Marcus ainda parou em boa defesa do goleiro Cairo.

Brasiliense 0x2 Athletic Club

O Brasiliense faz hora extra na Série D, entre os clubes mais tradicionais que batem cartão na competição e não conseguem subir. O acesso parece mais difícil com a derrota em casa por 2 a 0 diante do Athletic, de ótimo trabalho em Minas Gerais. Os visitantes foram mais efetivos durante o primeiro tempo e Adilson Bahia tirou o zero do placar aos 40 minutos. Durante o segundo tempo, o Jacaré não conseguiu uma resposta e ainda tomou o segundo num vacilo da defesa. Douglas Pelé serviu o tento de Allan Dias, para fechar a contagem.

Camboriú 0x0 Maringá

Em Santa Catarina, outro jogo sem gols envolveu Camboriú e Maringá. Prevaleceu o 0 a 0 no Estádio Hercílio Luz, em Itajaí. Os catarinenses tentaram fazer as honras da casa e tiveram mais oportunidades. Entretanto, o goleiro Dheimison esteve entre os destaques na apresentação do Maringá. Do outro lado, os paranaenses também não aproveitaram quando tiveram suas brechas. Pela campanha na fase de grupos, a equipe terá a oportunidade de decidir a volta em casa.

Democrata-GV 0x0 Anápolis

O Anápolis também saiu satisfeito com o resultado na ida contra o Democrata, em Governador Valadares. O empate por 0 a 0 beneficia os goianos para a volta em casa. Não seria uma partida de grandes emoções no Estádio Mamudão, com boa postura dos visitantes para segurar o resultado. A partida ainda contaria com insatisfação de ambos os times em relação à arbitragem, com gol anulado do Democrata e pênalti não dado ao Anápolis.

Ferroviária 1×1 Hercílio Luz

Um dos confrontos mais interessantes dos 16-avos de final aconteceu na Fonte Luminosa, em Araraquara. Ferroviária e Hercílio Luz empataram por 1 a 1, num resultado positivo dos catarinenses, de boa campanha na fase anterior. A Ferroviária deu um passo à frente no primeiro tempo, em que teve o domínio, com um gol de cabeça de Vítor Barreto. Já no segundo tempo, o Hercílio Luz cresceu e buscou o empate a partir de um escanteio, em desvio de Rafael Lima que venceu o experiente goleiro Saulo – que segurava o resultado com boas defesas até então.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo