Lado B de Brasil

Os mata-matas da Série D começaram bastante equilibrados, com a definição dos classificados às oitavas

Foram cinco disputas definidas nos pênaltis e nenhuma vitória por mais de três gols de diferença nos 16-avos de final

A Série D concluiu neste final de semana sua primeira fase dos mata-matas, e o equilíbrio prevaleceu ao longo dos 16-avos de final. Somente duas equipes conseguiram ganhar os dois compromissos, enquanto nenhum placar nos 32 jogos teve uma diferença superior a três gols. Tamanha competividade rendeu quatro confrontos em que cada time venceu uma partida, além de cinco disputas por pênaltis. E não deu para todos os clubes tradicionais passarem. Com alguns embates de peso, times como Sergipe, Brasiliense, Portuguesa e Bangu ficaram pelo caminho. Abaixo, um resumão de todos os encontros, apontando também quem pegará quem nas oitavas de final – ainda regionalizadas, com partidas marcadas para os dois próximos finais de semana.

O Moto Club foi uma das únicas equipes que conseguiu emplacar duas vitórias nos 16-avos de final. E não foram resultados quaisquer, considerando que o Castanhal vinha com a melhor campanha na fase de grupos. Os maranhenses tinham antecipado o serviço com os 2 a 0 em São Luís. Já na visita ao Pará, o Papão ganhou novamente por 2 a 1. Vander e Felipe Cruz anotaram os gols, enquanto o Japiim apenas descontou com Guilherme, parando no bom posicionamento da defesa visitante. O adversário do Moto será o América de Natal, que cumpriu sua missão contra o Itabaiana, mesmo vindo de uma campanha inferior na primeira fase. O empate por 1 a 1 na Arena das Dunas deixava um cenário perigoso para o Dragão, que conseguiu aplicar o triunfo por 2 a 0 no Barretão. Esquerdinha abriu o placar logo cedo e, nos contragolpes, os alvirrubros definiram o triunfo com Patrick. O Tremendão até buscou pressionar, mas pecou na hora de definir.

Outro potiguar de peso a avançar na Série D é o ABC. Os alvinegros eliminaram o Retrô dentro do Frasqueirão. Depois do empate por 1 a 1 na Arena Pernambuco, o triunfo por 3 a 2 em Natal viria de forma dramática. Gustavo Henrique deu a vantagem para os abecedistas num primeiro tempo dominado pelos anfitriões, mas Felipe Alves marcou duas vezes e virou o placar aos 24 da segunda etapa. Diante da pressão pelo resultado, o ABC conseguiu seu milagre. Denner empatou de novo aos 39 e o herói seria o ídolo Wallyson, com o tento da classificação três minutos depois. O adversário será o 4 de Julho, que reverteu a situação contra o Penarol. Após a derrota por 1 a 0 no Amazonas, os piauienses ganharam por 3 a 0 em Piripiri. Zé Artur, duas vezes, e Janio Daniel marcaram os gols. O goleiro Jailson também fez defesas importantes.

Ainda na parte de cima do mapa, o Paragominas foi outro a ganhar os dois compromissos nos 16-avos de final. Os paraenses tinham feito 1 a 0 na Arena Verde e ganharam do São Raimundo de Roraima também no Estádio Canarinho, com a virada por 2 a 1. Tavinho abriu o placar para o Mundão com um lindo toque por cobertura, mas o Jacaré empatou com Dutra e definiu a classificação com Douglas. O goleiro Dida também seria decisivo aos visitantes, enquanto os minutos finais contaram com um festival de cartões vermelhos. Do outro lado, o Atlético Cearense passou pela embalada Juazeirense. O empate por 1 a 1 no Ceará seria acompanhado pelo 0 a 0 na Bahia, o que levou a definição para os pênaltis. O goleiro Carlão viraria o grande personagem. Ele já tinha pegado um pênalti de Ian no tempo normal, além de acumular outras ótimas defesas pelos cearenses. Já na marca da cal, não apenas pegou mais um tiro, como também cobrou o seu e fechou o triunfo por 5 a 3.

Um duelo de clubes tradicionais que também foi resolvido nos pênaltis aconteceu no Amigão, onde o Campinense superou o Sergipe. As duas equipes empataram por 2 a 2 no Batistão, antes do 1 a 1 em Campina grande, com triunfo da Raposa por 4 a 2 na marca da cal. Fábio Lima marcou para os paraibanos no tempo normal, enquanto Henrique Bahia empatou aos sergipanos. Por fim, o goleiro Mauro Iguatu defendeu duas cobranças dos visitantes e também fez o seu para classificar os rubro-negros. No caminho estará o Guarany de Sobral, algoz do Galvez nesta segunda-feira. O empate por 0 a 0 no Acre abriu o confronto, antes do triunfo dos mandantes por 2 a 0 no Ceará. Daniel Passira e João Gabriel anotaram os tentos do Cacique.

Na metade mais ao sul do mapa, talvez a classificação mais expressiva tenha sido do Caxias, que encerrou o sonho da Portuguesa. Os gaúchos tinham vencido por 1 a 0 no Centenário e viram a Lusa dar o troco pelo mesmo placar no Canindé, mas foram bem mais competentes nos pênaltis e ganharam por 4 a 1. Os paulistas tiveram que insistir bastante para chegar ao gol nos acréscimos do segundo tempo. O goleiro André Lucas fechava sua meta, até ser vencido por uma cabeçada forte de Caio Mancha. Porém, faltou precisão nas penalidades aos rubro-verdes e dois tiros para fora culminaram na eliminação. O Caxias pegará o União Rondonópolis, carrasco do decadente Boa Esporte. Os mato-grossenses tinham vencido a ida por 2 a 0 e precisaram apenas do empate por 1 a 1 em Varginha. Odail Júnior marcou o primeiro para os visitantes e os mineiros só igualaram com William Mococa.

Outro duelo entre clubes tradicionais definido nos pênaltis ocorreu entre Bangu e Joinville, com a classificação dos catarinenses. O 1 a 1 em Moça Bonita se repetiu também na Arena Joinville, mas os anfitriões passaram com a vitória por 4 a 3 nos penais. Thiago Juan abriu a contagem para os anfitriões de cabeça já no segundo tempo, mas um gol contra recolocou os banguenses no páreo. Os goleiros trabalhariam bem para evitar um placar mais elástico, enquanto os cariocas ainda carimbaram a trave com bola rolando. Nas penalidades, Paulo Henrique até defendeu dois tiros para o Bangu, mas Rafael Pascoal pegou três para o Joinville e garantiria a passagem nas alternadas. O oponente na próxima fase será o Uberlândia, classificado diante do Nova Mutum. O empate por 1 a 1 no Parque do Sabiá não seria problema aos mineiros, que venceram na visita ao Mato Grosso por 2 a 0. Daniel Ribeiro e Felipe Pará asseguraram o triunfo com gols no segundo tempo, enquanto os anfitriões ainda tiveram uma expulsão no fim.

A Ferroviária vinha com uma das melhores campanhas da fase de grupos e sobreviveu num duelo difícil contra o Brasiliense. A Ferrinha segurou o empate por 0 a 0 no Defelê e fez o simples com o triunfo por 1 a 0 na Fonte Luminosa. A equipe treinada por Elano empilhava chances, até marcar num pênalti que gerou muita discussão. A falta aconteceu no limite da risca e, a princípio, o árbitro marcou fora da área. Contudo, sem auxílio do VAR, o juiz resolveu mudar sua decisão e a confirmação do penal provocou a revolta dos jogadores do Jacaré, que não queriam permitir o tiro. Foram 15 minutos de paralisação, até que Júlio Vitor convertesse. Maicon Assis e o técnico Luan Carlos também foram expulsos pelo Brasiliense. Ao final, os eliminados partiram para cima da arbitragem e a polícia militar chegou a atirar spray de pimenta em meio à confusão. Bem mais pacífica foi a passagem do Esportivo, após superar o Santo André. Os gaúchos tinham perdido em Bento Gonçalves por 1 a 0 e deram o troco pelo mesmo placar na visita a Diadema. Nos pênaltis, o Tivo passou com a vitória por 5 a 4. Sob forte neblina, Batista marcou o tento dos visitantes. Já na marca da cal, o goleiro Otávio Passos defendeu logo a primeira cobrança andreense e seus companheiros foram implacáveis nas batidas.

A Aparecidense mais uma vez chega forte nas fases agudas da Série D, ao desbancar a Caldense. Os goianos tinham perdido em Minas Gerais por 1 a 0 e também começaram atrás no placar no Aníbal Toledo, mas viraram a conta para 3 a 1. Patrick Lopez pôs a Veterana em vantagem logo cedo, mas Alex Henrique e Rafa Marcos viraram antes do intervalo. Saindo do banco, Gilvan consumaria a festa dos anfitriões na reta final da segunda etapa, com o gol que evitou os pênaltis. O oponente agora será o Cianorte, que atropelou o Cascavel no único duelo entre equipes do mesmo estado. O empate por 0 a 0 prevaleceu na ida e, mesmo fora de casa, o Leão do Vale ganhou a volta por 3 a 0 no Olímpico Regional. Lucas Batatinha assinalou o primeiro logo de cara e Zé Vitor ampliou no primeiro tempo. Na segunda etapa, Bruno Leite concluiu o resultado, enquanto o Cascavel ainda teve Robinho expulso.

Oitavas de final

América de Natal x Moto Club
4 de Julho x ABC
Campinense x Guarany de Sobral
Atlético Cearense x Paragominas
Cianorte x Aparecidense
Caxias x União Rondonópolis
Esportivo x Ferroviária
Uberlândia x Joinville

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo