Lado B de Brasil

Ituano e Tombense carimbam o acesso com uma rodada de antecipação e se garantem na Série B de 2022

No final de semana, Ituano e Tombense anteciparam o serviço e comemoraram a promoção na Série C

A Série C entra em um momento de definição e, neste final de semana, a penúltima rodada dos quadrangulares de acesso foi realizada. Por antecipação, os dois primeiros promovidos para a Série B de 2022 acabaram confirmados: o Ituano e o Tombense. No pesado Grupo C, cheio de clubes tradicionais, o Ituano assegurou o acesso com o empate por 0 a 0 fora de casa contra o Criciúma. Já o Tombense prevaleceu no Grupo D, cheio de equipes emergentes, ao superar o Manaus por 2 a 1 de maneira emocionante no Amazonas. Com o resultado, os mineiros também se confirmaram na decisão da Terceirona, já que não perdem mais a liderança de sua chave.

O acesso do Ituano

Fundado em 1947, o Ituano figura entre os principais clubes do interior de São Paulo desde os anos 1990, quando conquistou o inédito acesso para a elite do Campeonato Paulista. O Galo de Itu viveu um auge neste período já nos primeiros anos do século, quando conquistou a esvaziada versão do Paulistão em 2002 e emendou o acesso na Série C de 2003. Foram quatro participações consecutivas na segunda divisão nacional, com a melhor campanha no ano de estreia, quando não conquistou o acesso à elite do Brasileirão por causa dos critérios de desempate.

O descenso do Ituano em 2007 o levou de volta à Série C um ano antes da reformulação da competição e da criação da Série D. Assim, o Galo de Itu ficaria sem divisão nacional já a partir de 2010. Neste momento, a administração do clube passava por uma transição, com a chegada de Juninho Paulista para resgatar a agremiação em meio às dívidas. Desde então, o investimento na estrutura e nas categorias de base permitiu a recuperação plena do Ituano. O principal salto do período se consumou em 2014, com a histórica conquista do bicampeonato paulista, desta vez batendo os grandes no caminho do título. Entretanto, os acertos na gestão não resultariam automaticamente no sucesso dentro da Série D.

O Ituano bateu na trave em 2014, quando perdeu nas oitavas de final para o Moto Club e ficou a uma fase de disputar o acesso. Já em 2016, o sonho ficou mais próximo, mas as duas derrotas para o CSA nas quartas de final impediram o retorno à Série C. Já depois de uma campanha ruim em 2017, sem nem alcançar os mata-matas, o Galo de Itu ficou sem divisão em 2018. Isso até voltar mais forte em 2019, para selar o aguardado acesso na Série D. Os paulistas venceram Caldense e Vitória-ES, selando o retorno para a terceirona contra o Itabaiana. Neste ano, Juninho também deixou o Novelli Júnior para trabalhar na CBF, mas a ascensão estava encaminhada e seguiria sob as ordens de Paulo Silvestri.

Em 2020, o Ituano já faria uma campanha bastante digna na Série C. O Galo de Itu encerrou a fase de classificação na segunda colocação de sua chave, mas perdeu fôlego na reta decisiva e deixou o acesso escapar no quadrangular no qual subiram Vila Nova e Brusque. Na segunda tentativa, porém, os paulistas não titubearam. A campanha na fase de classificação de 2021 foi ainda mais consistente, com a segunda posição no Grupo B e a segunda melhor pontuação entre todos os times.

O Grupo C da Terceirona neste quadrangular decisivo é bastante cascudo, com Paysandu, Criciúma e Botafogo da Paraíba – todos com uma história mais consistente que o Ituano nas duas primeiras divisões nacionais. Ainda assim, o Galo de Itu conseguiu se sobressair. O Ituano se valeu bastante dos resultados fora de casa, com triunfos longe de seus domínios sobre Botafogo e Paysandu, este com direito a goleada (e a invasão de campo da torcida revoltada) em Belém. Além disso, os paulistas tinham feito sua parte no outro duelo em casa contra o Papão e somaram três pontos também na ocasião. Assim, chegaram à penúltima rodada dependendo apenas de si para garantir o acesso antecipado.

Um empate na visita ao Criciúma bastava ao Ituano. Foi o que aconteceu, com o 0 a 0 segurando o Tigre no Heriberto Hülse, com grandes defesas do goleiro Pegorari. Com dez pontos, o Galo de Itu soma dois pontos de vantagem na liderança e também é favorito para se garantir na final da Série C contra o Tombense. Para tanto, bastará apenas um empate no Novelli Júnior contra o Botafogo, na última rodada.

O Ituano é dirigido por Mazola Júnior, treinador bastante experimentado principalmente em clubes de Nordeste e São Paulo. Ele começou sua trajetória exatamente no Galo de Itu, durante o início da gestão de Juninho Paulista, mas rodou pelo Brasil depois disso, com acessos conquistados à frente de Sport e Paysandu, bem como um título alagoano com o CRB. Já em campo, veteranos como Gérson Magrão e Tiago Marques tiveram contribuição decisiva à promoção, embora o Ituano também tenha mesclado boas promessas, como João Victor e Lucas Nathan.

A rodada do final de semana também marcou o fim das chances de acesso do Paysandu, que liderou o Grupo A na fase de classificação, mas somou só dois pontos no Grupo C. A disputa pela segunda vaga da chave ficará entre Botafogo-PB e Criciúma. O Belo soma oito pontos e pegará o Ituano no último compromisso. Já o Tigre soma seis pontos e visitará o Papão. Os catarinenses poderão subir com uma vitória simples, pelos critérios de desempate, desde que os paraibanos não vençam seu duelo em Itu.

O acesso do Tombense

O Tombense é um clube de ascensão recente, fundado em 1914, mas que só se profissionalizou em 1999. O salto do Gavião Carcará se deu a partir do envolvimento com o empresário Eduardo Uram, que passou a investir nos alvirrubros e a usar o clube em seus negócios, intermediando a venda de jogadores. É o que explica o sustento da equipe sediada em Tombos, cidade de 10 mil habitantes na Zona da Mata. Já dentro de campo, os resultados foram colhidos principalmente na última década. O Tombense conquistou o acesso inédito para a elite do Campeonato Mineiro em 2012 e permanece na primeira divisão desde então, com destaque para o vice-campeonato em 2020. Ao mesmo tempo, virou uma figurinha nas divisões menores do Brasileirão.

Terceiro colocado em sua temporada de estreia no estadual, o Tombense conquistou o acesso logo na primeira aparição na Série D, em 2014. Os mineiros eliminaram Metropolitano e Moto Club para selarem a promoção, mas não pararam por aí. O time ainda terminou com o título da quarta divisão, ao superar o Confiança nas semifinais e vencer o Brasil de Pelotas por pênaltis na decisão. Seriam, então, sete tentativas na Série C até que o novo acesso fosse finalmente consumado.

Curiosamente, o Tombense permaneceu durante a maior parte do tempo como um figurante na Série C, abaixo da zona de classificação à segunda fase, mas acima da zona de rebaixamento. No antigo formato da Terceirona, os alvirrubros só chegaram aos mata-matas em 2017, quando encararam o CSA pelo acesso e perderam os dois jogos. No entanto, se o clube de Tombos já tinha ficado a dois pontos dos quadrangulares semifinais em 2020, a promoção acabaria confirmada nesta temporada.

O Tombense terminou a fase de classificação na segunda posição do Grupo A, com a segunda melhor defesa e o segundo melhor ataque da chave. O desempenho conferiu um lugar no Grupo D da etapa decisiva, reunindo equipes menos tradicionais em divisões maiores, com a concorrência de Novorizontino, Manaus e Ypiranga de Erechim. Então, o Tombense se impôs com um excelente desempenho como visitante. Os alvirrubros só conquistaram um ponto nos dois compromissos em casa dentro da chave. Compensaram batendo Ypiranga, Novorizontino e Manaus longe de seus domínios. Os 2 a 1 sobre os amazonenses, com o gol decisivo da virada nos acréscimos do segundo tempo, consumaram o feito inédito.

O Tombense é dirigido por Rafael Guanaes, jovem treinador que conquistou o Campeonato Paranaense à frente do time sub-23 do Athletico Paranaense e depois teve uma rápida passagem pelo Sampaio Corrêa, antes de chegar a Tombos. Já em campo, se destacam algumas figurinhas carimbadas como o goleiro Felipe Garcia (ex-Santos) e o volante Eduardo Neto (ex-Avaí). Na reta decisiva, a zaga ainda ganhou o tarimbado Roger Carvalho. Outros nomes menos rodados, como o camisa 10 Jean Lucas, despontam como destaques na campanha. A partir de agora, a Série B oferecerá uma vitrine ainda maior para as pretensões de Eduardo Uram.

Um detalhe é que o Tombense precisará ampliar seu estádio para disputar a Série B, já que a CBF exige capacidade de pelo menos 10 mil espectadores para os compromissos da segunda divisão. O Almeidão, atualmente, abriga pouco mais de 3 mil torcedores. Em entrevista ao Globo Esporte, o presidente Lane Gaviolle garantiu que tentará viabilizar uma ampliação do Almeidão. Caso não seja possível que isso ocorra a tempo, o Gavião Carcará mandará suas partidas em Muriaé, cidade a 60 km de distância de Tombos.

O Tombense aguarda o primeiro colocado do Grupo C para saber quem será seu adversário nas finais. Enquanto isso, a outra vaga de acesso do Grupo D permanece bastante aberta. O Novorizontino ocupa a segunda posição pelo número de vitórias, com os mesmos seis pontos do Manaus, enquanto o Ypiranga tem cinco pontos – graças a uma emocionante virada sobre o Novorizontino em Erechim no último domingo. Na rodada final, o Novorizontino recebe o Manaus e o Ypiranga visita o Tombense.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo