Lado B de Brasil

Clube recente, o Amazonas fortalece ainda mais o futebol de seu estado, com mais uma vaga na Série C

O Amazonas fez uma campanha excelente desde a primeira fase e abocanhou o acesso na primeira participação na Série D

O estado do Amazonas conta com um punhado de clubes históricos, que fazem parte do Brasileirão desde os primórdios e inclusive que honraram o futebol local nos torneios continentais. Porém, a razão de orgulho dos amazonenses nos últimos anos vêm de equipes bem mais jovens, de ascensão recente e surpreendente. O Manaus foi o primeiro a mobilizar a capital e conquistar o acesso à Série C. Nesta temporada, ganha a companhia do Amazonas na terceira divisão nacional. Os aurinegros participaram pela primeira vez do acesso no Brasileirão e subiram logo de cara. Superaram a tradicional Portuguesa da Ilha, com uma emocionante vitória por 3 a 2 no Estádio Carlos Zamith.

O Amazonas completou apenas três anos, fundado por empresários e antigos dirigentes de outros clubes amazonenses. Já em 2019, com meses de existência, os aurinegros derrotaram o São Raimundo para conquistar o acesso no Campeonato Amazonense. As três últimas campanhas mantiveram o clube entre os cinco primeiros colocados na elite, incluindo um terceiro lugar em 2021. Foi o que permitiu a estreia na Série D para 2022. A Onça-Pintada agarrou logo sua oportunidade.

O Amazonas prevaleceu na fase de grupos com uma campanha excelente, a terceira melhor no geral. Somou nove vitórias em 14 partidas, com apenas uma derrota, e anotou 37 gols, com sobras o melhor ataque do torneio. O vizinho São Raimundo já ficava para trás. De qualquer maneira, o nível do grupo deixava algumas dúvidas e a prova final precisava acontecer nos mata-matas. Nem todos os times de melhor campanha prevalecem, vide as quedas de Retrô e Brasiliense. Porém, mais uma vez, os amazonenses não tiveram problemas em manter o ritmo alto.

O Amazonas não sobrou nas fases seguintes, mas superou Juventude Samas e Lagarto. A equipe empatou os jogos de ida no Nordeste, guardando as vitórias decisivas para o reencontro em Manaus. O mesmo aconteceu diante da Portuguesa da Ilha, no embate que valia o acesso. A igualdade por 1 a 1 no Estádio Luso-Brasileiro manteve o caminho aberto para que a Onça-Pintada se impusesse dentro do Estádio Carlos Zamith e completasse a inédita promoção diante da torcida. Os ingressos foram esgotados, com 5 mil entradas vendidas.

Parecia até um jogo tranquilo para o Amazonas, que deslanchou desde o primeiro tempo. Yuri Ferraz abriu o placar com sete minutos e o time cresceu, com o segundo anotado por Miliano aos 18, numa cobrança de falta desviada. A reação da Lusa seria esfriada, antes que Ruan ampliasse a tranquilidade dos aurinegros com o terceiro gol aos 37. Só uma hecatombe tiraria a Onça-Pintada. O segundo tempo, entretanto, mudou de figura. O Amazonas desperdiçou algumas chances incríveis e acertou as traves duas vezes. Os cariocas descontaram aos 22, com Lucas. O time visitante precisava de dois gols e foi para cima, sem que os amazonenses aproveitassem os bons contra-ataques. O segundo da Portuguesa saiu aos 46, com Luan. Restaria aos aurinegros fecharem a casinha no restante dos acréscimos e celebrarem.

O técnico Rafael Lacerda possui uma carreira curta, mas bem sucedida. Chegou a ser vice-campeão gaúcho à frente do Caxias em 2020, embora não tenha repetido a comemoração na Série D. E, depois de uma passagem pelo Aimoré, marcou a ascensão do Amazonas. Durante a campanha, o comandante recusou uma proposta para assumir o Brasil de Pelotas, honrando seu compromisso com os aurinegros. Montou uma equipe que sobrou quando podia e não deixou de ser extremamente competitiva nos mata-matas. Já em campo, vale destacar o atacante Ítalo, artilheiro da quarta divisão com 11 gols.

O Manaus não deixa de ser um espelho àquilo que pode ser bem feito pelo Amazonas. Os vizinhos dominam o Campeonato Amazonense nos últimos anos, com cinco títulos em seis edições, e se estabilizam na Série C, mantendo a divisão por três anos consecutivos, incluindo a participação no quadrangular decisivo em 2021. A Onça-Pintada consegue escalar degraus de maneira até mais rápida e agora oferece uma competição interna no estado, o que pode ser benéfico para ambos. É fundamental que o futebol amazonense ganhe essa vitrine, algo que pode auxiliar por tabela até mesmo os gigantes adormecidos do estado.

* Publicaremos textos sobre os quatro acessos da Série D na noite desta segunda

https://www.youtube.com/watch?v=EuPkve5kqO0

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo