Brasil

Imprensa portuguesa debate razões da demissão de Álvaro Pacheco do Vasco

Técnico português caiu após derrota para o Juventude, pela 10ª rodada do Brasileirão

Vinte e um dias. Foi esse o intervalo de tempo entre a apresentação de Álvaro Pacheco no Vasco e a sua demissão do comando técnico.

Os resultados ruins foram, de fato, um catalisador para a saída precoce do técnico português de 52 anos. Mas não o único.

Em sua breve passagem pelo Rio de Janeiro, Álvaro protagonizou alguns episódios que, nas últimas horas, foram debatidos na imprensa do seu país.

Incoerência no discurso e desentrosamento no vestiário: fatores que explicam a demissão de Álvaro Pacheco no Vasco

A passagem de Álvaro Pacheco na beira do campo vascaíno se resumiu a quatro jogos, com três derrotas e um empate em menos de um mês.

Embora o clube viva problemas internos, como a briga judicial com a 777 Partners, o trabalho em campo parece ser o único motivo que explica a decisão de Pedrinho e seus diretores.

Após sofrer a maior goleada da história para os rubro-negros, dirigentes cruzmaltinos já ligaram o sinal de alerta. E a coisa piorou com as falas do português nos dias (e jogos) seguintes.

Como apurou o portal GE e foi debatido na imprensa portuguesa, um dos agravantes para a permanência de Álvaro na Colina foi o seu discurso de evolução da equipe. 

Na prática, essa evolução não foi vista. Em campo, inclusive, muitos atletas não pareciam satisfeitos com o sistema tático que sobrecarregava as funções dos meio-campistas.

Juntos, esses fatores culminaram na decisão, que veio logo após a chegada da delegação no Rio de Janeiro. Assim que desembarcou na capital carioca, Álvaro foi informado de sua saída.

Com prejuízo financeiro na temporada, Vasco busca novo técnico

Álvaro deixa o comando do Vasco com 3 derrotas e 1 empate. Foto: Icon Sport
Álvaro deixa o comando do Vasco com 3 derrotas e 1 empate. Foto: Icon Sport

Os vascaínos não só lamentam o trabalho de Álvaro, mas também o prejuízo financeiro da sua demissão: devido a cláusulas contratuais, o clube terá que arcar com os salários da comissão portuguesa até dezembro.

Enquanto busca um novo técnico, Rafael Paiva, que trabalha com o time sub-20, comanda interinamente as atividades do elenco profissional.

Foto de Lucas Gervazio

Lucas GervazioRedator de esportes

Jornalista pela Unesp. Antes da Trivela, também contribuiu para portais como Guia do Boleiro, Quinto Quarto e FNV Sports.
Botão Voltar ao topo