Brasil

De renda de jogo a QR Code na manga: futebol brasileiro se une após chuvas no RS

De diferentes formas, clubes brasileiros se solidarizaram em meio à tragédia climática no Rio Grande do Sul

Muitos dos estragos causados pela tragédia climática que assolou o Rio Grande do Sul são irreversíveis. Mas o que consola é a solidariedade que tomou conta não somente do estado, mas de boa parte do Brasil. No futebol, não foi diferente. Além de várias ações individuais de personagens do mundo da bola, alguns clubes tiveram atitudes que merecem ser saudadas.

Athletic-MG doa renda de jogo para o Rio Grande do Sul

É o caso do Athletic-MG, da Série C do Campeonato Brasileiro. No último sábado (4), o clube/SAF anunciou que toda renda líquida do jogo contra o ABC, domingo (5), na Arena Sicredi, em São João del-Rei, seria doada para auxiliar as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul.

— Temos pessoas próximas lá, o Rômulo mesmo, nosso atleta que está lá no Internacional. Relatos, vídeos, muitas famílias perderam suas casas, tiveram vítimas. Solidariedade nossa para todas as pessoas que foram afetadas. […] A gente vai escolher o setor certo para estar doando. Já falei com o Rômulo. Que chegue a essas famílias mesmo, para recomeçar. As perdas foram grandes, não só materiais, mas familiares perderam entes queridos. A gente está dando o primeiro passo. Que isso se estenda, que outros clubes possam fazer o mesmo. Sabemos que têm suas despesas de jogo, são caras, mas é hora de a gente se unir e ajudar. O Athletic começa com esse bom exemplo — frisou o diretor de futebol Fábio Mineiro.

Com ingressos entre R$ 40,00 e R$ 50,00, foram arrecadados, ao todo, R$ 48.997,93. Além do valor, os jogadores do Athletic entraram em campo com uma bandeira do Rio Grande do Sul. O clube mineiro venceu por 1 a 0 e manteve 100% de aproveitamento na Série C, em que é líder, com nove pontos em três jogos.

São Paulo coloca QR Code de PIX para ajudar o Rio Grande do Sul no uniforme

A solidariedade também marcou presença na quinta rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. No triunfo por 3 a 1 sobre o Vitória, no domingo (5), no Barradão, em Salvador/BA, o São Paulo utilizou camiseta com QR Code na manga, que direciona para o PIX disponibilizado pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul para ajudar as vítimas das enchentes.

Autor de dois gols, Luciano, ex-jogador do Grêmio, fez questão de mostrar o QR Code para as câmeras na comemoração. Nas redes sociais, o São Paulo, assim como outros clubes, também divulgou a chave PIX. O S.O.S. Rio Grande do Sul tem como número o CNPJ 92.958.800/0001-38, e instituição Banrisul.

‘Isso é pressão na vida’: as belas palavras de Rogério Ceni, técnico do Bahia

Ações efetivas, com doações, sejam financeiras ou materiais, evidentemente é o que mais ajuda neste momento. Mas palavras também tem o seu valor. E quem foi mais feliz ao utilizá-las no futebol brasileiro neste final de semana foi Rogério Ceni. Após a vitória por 2 a 1 sobre o Botafogo, no último domingo (5), no Engenhão, no Rio de Janeiro, o técnico do Bahia lembrou que a pressão que ele e seus atletas sofrem é incomparável à vivenciada pelos gaúchos.

— Para mim pressão é o que você está vivendo lá no Rio Grande do Sul. Isso é pressão na vida. Isso é triste. Você fala de futebol, mas você vai vendo as imagens, cada dia, e vê que isso aqui é muito pouco perto do que as pessoas estão passando. Isso é pressão na vida: você perder sua casa, perder família. Isso é triste. Lógico que o futebol para no Rio Grande do Sul. Mas é uma reflexão… eu sei que é um mundo à parte, tudo tem seu momento. Mas é muito triste a gente falar de futebol vendo tanta gente passar por uma situação assim — disse Ceni, cujo pai é gaúcho.

Jogos de equipes gaúchas foram adiados

Devido à tragédia climática que trouxe grandes estragos ao Rio Grande do Sul, partidas de equipes gaúchas pelas competições da CBF e da Conmebol foram adiadas. Com o alagamento do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, e sem previsão de retorno das operações, é provável que o calendário do futebol sofra mais alterações.

Tragédia climática no Rio Grande do Sul já deixou 83 mortos

Os temporais que iniciaram segunda-feira (29/05) no Rio Grande do Sul deixaram pelo menos 83 mortos, 111 desaparecidos e 276 feridos, conforme o último levantamento da Defesa Civil, divulgado na manhã desta segunda-feira (6). 345 dos 496 municípios do estado registram algum tipo de transtorno. Parte da população está sem luz, água e enfrenta dificuldade de locomoção por conta de alagamentos e bloqueios de ruas, avenidas e estradas.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho e formado em Jornalismo pela PUC-RS, já passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. É, também, coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo