Brasil

Tite é um dos poucos treinadores que podem sustentar a pressão da torcida do Flamengo

O Flamengo vive seu pior momento em 2024, mas conta com Tite, um treinador cascudo e que sabe os caminhos da volta por cima

Tite está sob pressão no Flamengo. Mesmo que as internas do clube mantenham o apoio ao treinador, a torcida perdeu totalmente a paciência no jogo contra o Amazonas, que terminou com vaias mesmo diante da vitória por 1 a 0. O momento, sem dúvida, é o pior vivido por elenco e comissão técnica em 2024, um ano que começou bem, mas já apresenta turbulência nítida.

Para a sorte do Flamengo, Tite é um dos, senão o único treinador brasileiro com casca suficiente para suportar a pressão de uma torcida tão exigente como a rubro-negra. É preciso, contudo, mostrar futebol que vai além dos resultados.

— Todo esse contexto que você colocou, não fez uma boa partida e tem que assumir, principalmente no processo criativo e ofensivo. Esteve abaixo. Ele (Flamengo) esteve na capacidade de finalização, na capacidade criativa e na largura do campo. Uma retomada do processo de confiança se dá com boa performance. É admitir que foi mal no processo criativo. É a mesma equipe que perdeu um clássico agora e que fez três clássicos com o Fluminense, um clássico com o Vasco e outro com o Botafogo. E aqui disse que encheu os olhos contra o Nova Iguaçu. Fez o melhor jogo no 2 a 0 sobre o Fluminense. O momento agora não é bom. Tem que crescer, tem poderio para isso e mesmo com atletas ausentes — analisou.

Atuação pavorosa contra o Amazonas tem o dedo de Tite

Como o próprio treinador frisou na coletiva, o Flamengo foi muito mal contra o Amazonas. Não é como se a equipe tivesse sido dominada pelo time comandado por Adilson Batista, pelo contrário, foi totalmente soberano na posse de bola (72%). O problema tem sido mesmo esse poder de decisão, falta inspiração e, em especial, confiança para o Rubro-Negro definir lá na frente.

Diversas foram as vezes que o Flamengo rondou a área adversária, mas não finalizou. O número de chutes foi baixo novamente (13), quando se leva em conta que o rival é um clube da Série B. Pior ainda ao observar os disparos que foram na direção do gol (4). Pedro conseguiu balançar as redes na única jogada mais aguda do Rubro-Negro, que obrigou Edson a realizar apenas três defesas no jogo. É muito pouco.

O Flamengo teve uma péssima atuação diante do Amazonas, no Maracanã (Foto: Thiago Ribeiro/AGIF/Sipa USA) – Photo by Icon Sport

Tite sabia que o Flamengo estava mal, mas, ao mexer, acabou piorando as coisas. Gabigol jogou mais do que o esperado e, sem ritmo, não rendeu. Wesley e Luiz Araújo entraram mal e não contribuíram. Sobrou até para o menino Matheus Gonçalves, que até tentou algo de diferente.

Faltou muito para que o Flamengo pudesse dizer que teve uma boa atuação diante do Amazonas. O que melhor exemplifica o problema é o número de passes: 728, bem acima da média da equipe de Tite e 92% de precisão. A maioria, contudo, para o lado, sem objetividade.

Desgaste físico não é mais desculpa no Flamengo

Ainda que continue sendo uma sina para o Flamengo, a ciência não parece mais conter os ânimos do torcedor. Tite já tinha três desfalques importantes em Cebolinha, Arrascaeta e Pulgar, entregues ao departamento médico, e teve que substituir De La Cruz e Varela por problemas de desgaste. A saída do meia uruguaio, inclusive, bagunçou totalmente o time no jogo.

— Tem que assumir e temos consciência de que esteve abaixo. Trabalho, não tem outra forma. quando você vem de duas derrotas e com toda expectativa que vem, o grupo sente. Uma retomada de atletas vai te dar opções. Quando você tem Arrasca e Erick fora, e a gente ter cuidado com Nico e Varela. Cebola fora. Perde esse poderio todo, e a relação de confiança se perde um pouco — disse o treinador.

Como bom professor, Tite já tinha trocado a ciência pela matemática, mas, agora, passará a ter aulas de língua portuguesa. Por mais que poucos da tribuna pudessem entender claramente o que se dizia, os xingamentos ao comandante apareceram nas arquibancadas do Maracanã.

Tite vai precisar se reinventar para evitar destino de outros treinadores

Antes de qualquer coisa, é preciso afirmar: a Trivela ouviu de diversas fontes ligadas ao Flamengo que Tite nem balança no cargo. Está firme com a diretoria, que sabe o tamanho da responsabilidade e como o time pode oscilar ao longo da temporada. A pressão da torcida, contudo, dificilmente poderá ser ignorada. O que se ouviu no Maracanã foi determinante.

O mais importante é que, ao contrário de outros treinadores, Tite tem casca o suficiente para sustentar o momento de turbulência. A bagagem é maior do que qualquer outro comandante que assumiu o Flamengo desde a saída de Jorge Jesus, considerada um marco negativo para o clube. O fantasma do português ainda parece assombrar alguns rubro-negros.

O aproveitamento continua sendo um dos melhores do Flamengo no período, mas a série incômoda demanda uma virada de chave contundente. Tite precisará utilizar da sua experiência se não quiser cair na mesma panela que outros entraram. 

  1. Jorge Jesus – 81,6% de aproveitamento
  2. Tite – 73% de aproveitamento (23 vitórias, 5 empates e 6 derrotas)
  3. Renato Gaúcho – 72% de aproveitamento
  4. Paulo Sousa – 66,7% de aproveitamento
  5. Dorival Júnior – 66,7% de aproveitamento
  6. Abel Braga – 62,4% de aproveitamento
  7. Domènec Torrent – 62,3% de aproveitamento
  8. Jorge Sampaoli – 60,7% de aproveitamento
  9. Rogério Ceni – 59,3% de aproveitamento
  10. Vítor Pereira – 57,4% de aproveitamento

Sequência importante vem aí

A vitória sobre o Amazonas dá a vantagem ao Flamengo na terceira fase, mas está longe de um resultado ideal. No mundo perfeito, o Rubro-Negro teria feito saldo diante da sua torcida, no Maracanã, e jogaria em Manaus com um time misto, pensando na sequência da temporada. Apesar do lamento, não existe a menor possibilidade da equipe perder tempo.

Tite é um dos principais responsáveis pela péssima atuação do Flamengo contra o Amazonas (Foto: Thiago Ribeiro/AGIF (Photo by Thiago Ribeiro/AGIF/Sipa USA) – Photo by Icon Sport

O Flamengo vira a chave logo nesta quinta-feira (2) e foca todas as atenções na partida contra o Red Bull Bragantino, pelo Campeonato Brasileiro. É a chance de encostar nos líderes. Depois disso, viaja à Coquimbo para enfrentar o Palestino, em jogo crucial para as pretensões da equipe no Grupo E da Libertadores. A resposta de Tite e companhia precisará ser rápida.

  • Red Bull Bragantino x Flamengo – 04/05/2024 – Nabi Abi Chedid (Bragança Paulista)
  • Palestino x Flamengo – 07/04/2024 –  Estadio Francisco Sánchez Rumoroso (Coquimbo)
Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo