Brasil

Elenco do Corinthians vive clima melancólico com possível saída de Cássio

Goleiro tem conversas avançadas com o Cruzeiro para se transferir antes do fim do contrato com o Timão

O elenco do Corinthians vive um clima melancólico com a possibilidade da saída de Cássio. O goleiro, que não quis comentar a situação após a goleada do Timão sobre o Argentinos Juniors, por 4 a 0, tem conversas avançadas com o Cruzeiro, para se transferir antes do fim de seu atual vínculo. Por ser uma das principais lideranças do grupo, o tema é abordado com pesar pelos companheiros, mas principalmente pelo técnico António Oliveira.

Em sua coletiva de imprensa, o treinador português teceu elogios a Cássio, não só pelo seu papel profissional, mas pelo lado pessoal, e exaltou a importância dele para o elenco.

— Aquilo que posso falar é sobre o jogador e sobre o ser humano. E nessa perspectiva, tanto o jogador como o ser humano trabalharam naturalmente e normalmente durante esta semana conosco. É um grandíssimo goleiro, é o maior ídolo da história do clube, e isso não se apaga, vai ficar gravado nas páginas douradas deste clube. Não sou eu que vou decidir a vida do Cássio, portanto, aquilo que eu posso dizer como ser humano é um jogador de uma dimensão humana fantástica, de uma personalidade fantástica, de um grande caráter, trabalhador, homem de família — ponderou o treinador.

— Essas questões serão com certeza decididas entre a diretoria e o Cássio, que melhor do que ninguém saberão dar a melhor solução. A única situação enquanto técnico é dizer da sua importância, quer sobre o ponto de vista grupal, quer a sua capacidade e o seu talento dentro da sua área específica do goleiro. E sobre o ser humano fantástico que ele é e que tem um enorme prazer de hoje me considerar amigo dele. E um dia vou morrer feliz por dizer que fui treinador do Cássio — acrescentou.

Companheiros sentem o peso da possível saída

No que diz respeito ao elenco, a liderança que o goleiro exerce é ponto destacado por todos os companheiros de elenco, sejam eles jovens ou experientes. Há três temporadas no Timão, Yuri Alberto entende bem o trabalho do camisa 12 para além da meta alvinegra. Apesar de colocar outros nomes em alto patamar, o atacante sabe que a saída do goleiro pode mudar bastante as dinâmicas no vestiário.

— Não consigo imaginar como seria sem o Cássio. Ele é um grande líder. Independente da decisão que tomar, se tiver feliz com a família será a decisão mais importante. Se ficar, fico feliz porque vai ajudar a gente a ter ainda mais evolução. Ajuda a gente nos jogos, nos treinos, mesmo fora se dedica e é um grande ídolo da nação — analisou Yuri Alberto.

— Temos outros líderes, Paulinho, Fagner, lógico que o Cássio é a liderança máster, o Top 1, é um cara que nos ajuda bastante e queremos que ele fique. Mas a decisão que tomar, estarei com ele. A gente nem toca no assunto para não ficar chato para ele. Externamente é muito para ele nesse momento que tem passado, então acho que tentamos deixá-lo mais à vontade possível para tomar a decisão.

Papel de ídolo

Por fim, se há um fator que pesa muito para o grupo corintiano, é a figura do ídolo. Conviver com um jogador tantas vezes campeão com o clube e que, constantemente, faz o papel de vidraça para que os demais companheiros não tenham que lidar com tantas críticas, é motivo de admiração.

— Quando se fala em Corinthians vem a imagem do Cássio, e quando se fala em Cássio, vem a imagem do Corinthians. Como todo mundo, como todo torcedor, sem dúvida espero que fique e possa nos ajudar o máximo para contribuir dentro e fora de campo nessa trajetória — disse Raniele.

Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo