Brasil

Base faz o que profissional não faz há anos, Corinthians bate Cruzeiro e é campeão da Copinha

Timão conta com uma Neo Química Arena lotada e pulsante para vencer o Cruzeiro com uma pintura na reta final da partida

O Corinthians é o campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior pela 11ª vez em sua história! Diante de mais 43 mil torcedores, numa Neo Química Arena que pulsava nesta quinta-feira (25), o alvinegro venceu o Cruzeiro por 1 a 0 e voltou a levantar o caneco da Copinha depois de sete anos, cravando ainda mais seu nome como o maior campeão da disputa.

O gol da vitória, marcado por Kayke, num chutaço de fora da área, que entrou na gaveta do goleiro Otávio, não poderia deixar de ser um de encher os olhos, marca do time na Copinha, que somou vários golaços durante toda a campanha invicta do alvinegro.

O Corinthians entrou em campo com seus 11 principais jogadores, seguindo a mesma escalação usada desde a primeira rodada da Copinha, e que deu certo, trouxe a equipe invicta até a grande final. Felipe Longo; Léo Mana, João Pedro Tchoca, Renato e Vitor Meer; Ryan e Breno Bidon; Kayke, Pedrinho e Higor; Arthur Sousa.

Sem contar com o artilheiro Fernando, principal jogador do Cruzeiro na Copinha, mas tendo o retorno do meia e lateral-esquerdo Vitinho, que cumpriu suspensão contra o Flamengo, Fernando Seabra escalou o Cruzeiro assim: Otávio; Carlos Gómez, Pedrão, Bruno Alves e Vitinho; Henrique Silva, Xavier e Jhosefer; Tevis, Gui Meira e Arthur.

Cruzeiro joga melhor na primeira etapa

Aos cinco minutos da primeira etapa o Corinthians teve uma grande chance de abrir o placar na Neo Química Arena, com uma jogada trabalhada desde o meio de campo, de toque em toque, e com uma tabela entre Kayke e Pedrinho que saiu com um cruzamento na cara do gol, mas parou na defesa do goleiro Otávio.

A primeira oportunidade do Cruzeiro no jogo aconteceu logo depois, aos seis minutos, com Gui Meira, que arriscou um chute rasteiro, defendido pelo goleiro Felipe Longo. Dois minutos depois, aos nove, o time mineiro perdeu duas grandes chances de abrir o placar. Meira roubou uma bola em sua intermediária defensiva e criou um grande contra-ataque. Após atravessar o campo, o camisa 7 abriu para Xavier na esquerda e o camisa 18 cortou pro meio e bateu, obrigando Longo a rebater. No rebote, a bola sobrou para Arthur, livre, com o goleiro já batido, mas bateu para fora, desperdiçando uma oportunidade incrível.

Minutos depois o Timãozinho respondeu ao conseguir construir mais uma boa jogada, com Leo Maná e Higor, o lateral caiu pelo lado direito do campo, entrou da área, mas na hora de finalizar isolou a bola, chutando na direção das arquibancadas do estádio.

Felipe Longo voltaria a ser assustado aos 20 minutos, em cobrança de falta de Vitinho, que mandou um chute forte de esquerda, que passou perto da trave. Aos 33, foi a vez de Gui Meira cobrar falta para fora.

O Corinthians encontrou muitas dificuldades para criar e, sofrendo com a marcação cerrada do Cruzeiro, deu espaço para o time mineiro avançar nos contra-ataques. O Timãozinho só não viu os Crias da Toca balançarem a rede pelo fato da Raposa não conseguir acertar na definição das jogadas. A equipe corintiana conseguia chegar bem principalmente em trocas de passe pelo lado do campo, mas era muito pouco para a expectativa da torcida que encheu a Neo Química Arena.

“Onipresente”, Jhosefer, do Cruzeiro, foi um dos destaques do primeiro tempo da final – Foto: Icon Sport

Cruzeiro segue em cima no segundo tempo

Assim como no primeiro tempo, o Cruzeiro começou a etapa final em cima do Corinthians, criando duas oportunidades nos primeiros minutos, mas Tevis, de cabeça, e Gui Meira, que isolou de fora da área, desperdiçaram. Aos 10 minutos, nova chance para o time celeste. Jhosefer foi lançado pela direita, chegou na linha de fundo e tocou para trás, encontrando Meira, que chegou batendo em cima da defesa corintiana.

Melhor no jogo que o Corinthians, o Cruzeiro esteve muito perto de abrir o placar aos 20 minutos, quando Jhosefer ajeitou bola cortada pela defesa paulista e, da entrada da área, bateu sem deixar a pelota cair, mandando a bola muito, muito perto do ângulo de Felipe Longo. Três minutos depois, foi a vez de Vitinho dominar na meia lua e bater bem, de esquerda, obrigando o goleiro do Timãozinho a mandar para escanteio.

Árbitro marca falta anulando golaço do Cruzeiro

O Cruzeiro conseguiu balançar a rede aos 24 minutos, mas o gol não valeu. Após cobrança de escanteio, Felipe Longo socou para longe e, logo em seguida, se chocou de Henrique Silva. O juiz deixou seguir e Tevis pegou o rebote na entrada da área, mandando de cobertura, para fazer um golaço. Apesar da beleza do lance, assim que o gol saiu, o árbitro Gabriel Henrique Meira Bispo marcou falta no arqueiro paulista.

Aos 28 minutos, Fernando Seabra mexeu duas vezes no Cruzeiro, sacando o zagueiro Bruno Alves, o volante Henrique Silva e o atacante Arthur para as entradas de Kelvin, André e Ruan Índio, respectivamente, sendo eles atletas das mesmas posições. Alves saiu após sofrer um choque de cabeça com Breno Bidon, do Corinthians.

Corinthians tinha dificuldades para criar

O Corinthians, por sua vez, não teve uma única boa chegada na área da equipe mineira nos primeiros 26 minutos da segunda etapa. Sem soluções dentro do campo, o treinador Danilo, optou por começar a fazer as mudanças, tirou o atacante e Higor e colocou o volante Thomáz Lisboa. Um bom momento da equipe foi acontecer somente aos 27 minutos, quando a bola pingou na área e Breno Bidon tentou o cabeceio, que acabou nas mãos do goleiro Otavio.

O Corinthians até conseguia chegar em trocas rápidas de passe, mas isso aconteceu com pouca frequência
O Corinthians até conseguia chegar em trocas rápidas de passe, mas isso aconteceu com pouca frequência – Foto: Icon Sport

Kayke faz golaço, o gol do título

Mesmo com as dificuldades de toda a partida e as poucas chances de gol, aos 40 minutos do segundo tempo, o Corinthians balançou a rede, marcando o gol do título da Copinha de 2024. A jogada começou pelo lado direito do campo, e na troca de passes trabalhada, Kayke dominou na entrada da área e bateu colocado no ângulo sem dar chances para o goleiro Otávio defender, um golaço que fez a Fiel Torcida explodir nas arquibancadas da Neo Química Arena.

Perdendo a partida, o treinador Fernando Seabra mexeu duas vezes, sacando Jhosefer e Carlos Gómez para as entradas de Rhuan Gabriel e Victor Jesus. Com 45 minutos completos e mais nove de acréscimos, o Corinthians ainda ficaria com um jogador a menos, quando GH teve que deixar o campo por lesão, não tendo o treinador Danilo mais nenhuma alteração para fazer.

O Cruzeiro ainda tentou ensaiar uma pressão nos minutos finais, mas com o Corinthians totalmente postado em seu campo de defesa, os Crias da Toca não conseguiram criar boas chances de gol. A melhor oportunidade saiu aos 53, em cabeçada para fora do centroavante Ruan Índio. Quando o cronômetro marcou 54 minutos, o árbitro apontou o centro de campo, decretando o 11º título corintiano na história da Copa São Paulo de Futebol Júnior.

Confusão na entrada da torcida do Cruzeiro

Muitos torcedores do Cruzeiro que foram até a Neo Química Arena tiveram que deixar o estádio sem conseguir assistir à partida. De acordo com os cruzeirenses, a carga de 1185 ingressos, quantidade não informada previamente, acabou rapidamente, quando muitas pessoas esperavam nas filas que se formaram na bilheteria. Só houve venda presencial para os mineiros, diferentemente dos corintianos, que puderam comprar online. A situação causou indignação nos presentes.

Os presentes afirmaram que, quando questionados, funcionários da bilheteria do estádio disseram que os torcedores deveriam reclamar com o Cruzeiro, pois, segundo eles, o clube deveria ter pedido uma carga maior.

Procurada pela reportagem da Trivela, a Federação Paulista de Futebol (FPF) afirmou que o setor reservado à torcida do Cruzeiro estava bem cheio, com um pequeno grupo do lado de fora, sem conseguir entrar pela falta de mais ingressos disponíveis. Em contrapartida, um torcedor celeste afirmou que o grupo se tornou pequeno após o comunicado de que não haviam mais ingressos, que desmobilizou grande parte dos presentes. Ele afirmou, ainda, que alguns cruzeirenses já chegaram ao estádio com ingressos, sem precisarem entrar na fila.

O Cruzeiro se manifestou sobre o ocorrido durante o intervalo do jogo, em nota oficial publicada no Twitter do clube. De acordo com o clube celeste, a carga de ingressos destinada à torcida do Cruzeiro para a final da Copinha foi definida pela FPF e pelo Corinthians. O time celeste então decidiu que metade dessa carga seria destinada aos familiares dos atletas e comissão técnica e o restante direcionado para o público. A Raposa ainda “lamentou o inconveniente causado”.

Novo executivo de futebol, Fabinho Soldado e o treinador Mano Menezes presentes na final

O treinador Mano Menezes esteve presente na Neo Química Arena para acompanhar a partida dos garotos da base que devem ser integrados ao elenco profissional já nas próximas semanas.

Isso porque mesmo se movimentando no mercado do futebol em busca de reforços para a temporada, o técnico já deixou claro que deve contar com jogadores do Timãozinho para compor o elenco não apenas agora na urgência, como também para o restante do ano.

Outro presente foi Fabinho Soldado, executivo de futebol, contratado na última quarta-feira (24), para cuidar das negociações e contratos com atletas do clube. A chegada dele aconteceu depois dos inacreditáveis erros da diretoria na situação de Lucas Verissimo e Matheus França.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Foto de Jade Gimenez

Jade Gimenez

Jornalista, fascinada por esporte desde a infância e transformou a paixão em profissão. Além do futebol, se mantem por dentro de outras modalidades desde Fórmula 1 até NFL. Trabalhou como repórter em TV e rádio cobrindo partidas de futebol, futsal e basquete.
Botão Voltar ao topo