Brasil

Leve e moderno, Jhosefer desponta como destaque do Cruzeiro na Copinha

Ainda com 19 anos, Jhosefer é polivalente e já atuou em diversas posições na base do Cruzeiro; garoto tem três jogos pelo time profissional

O Cruzeiro se classificou para as oitavas de final da Copa São Paulo de Futebol Júnior, a Copinha, ao bater a Portuguesa, nessa segunda-feira (15). A partida, que acabou em 1 a 0, com gol do atacante Arthur, após falha feia do goleiro adversário, foi disputada no Estádio Nogueirão, em Mogi das Cruzes (SP). E assim como em outras partidas da atual edição do torneio de base mais importante do Brasil, um nome se destacou no bom e jovem time celeste: o do agora meio-campista Jhosefer.

Ainda com 19 anos, Jhosefer é natural de Mariana (MG) e tem sido o grande destaque individual do Cruzeiro que avança na Copinha. O garoto chegou ao clube celeste em 2014, quando tinha apenas 10 anos de idade e em 2024 completará uma década na Toca da Raposa.

Uma das características que mais chama a atenção em Jhosefer é a sua versatilidade. O jovem jogador chegou ao profissional do Cruzeiro, pelo qual estreou em 2022, sob o comando do treinador uruguaio Paulo Pezzolano como um ponta, podendo atuar tanto no lado esquerdo, quanto no direito do ataque, mas já atuou como lateral-direito, lateral-esquerdo, meia e atacante mais centralizado. E na Copinha de 2024, o atleta parece ter encontrado sua melhor versão: segundo volante, um camisa 8 dinâmico, que serve como um espécie de “motorzinho” do time, caindo em especial pela direita.

Jogando como volante, o menino tem chamado a atenção e quebrado paradigmas. A exaltação na transmissão dos jogos e nas redes sociais durante os confrontos chegam juntas com as comparações a atletas com estilo de jogo parecido, sendo mais citado o ex-meio-campista cruzeirense Ramires, que divide com Jhosefer o jeito solto e dinâmico de jogar, com qualidade para atacar e defender, sendo um tipo de atleta incansável, que parece estar em todos os lugares do campo.

Diferentemente de Jhosefer, Ramires tinha um faro de gol mais apurado e uma capacidade melhor de infiltração, inclusive para finalizar de cabeça. O atual camisa 8 do sub-20 celeste — compartilham ainda a numeração —, pisa pouco no na área e participa mais do momento de construção, dando a pré-assistência ou o passe que “clareia” o lance. Talvez seja esse o ponto que o garoto possa buscar evoluir, apesar de que existem diversos exemplos no futebol de meio-campistas que não são goleadores, mas que conseguem ser peças chave para que seus times tenham melhor fluidez.

Jhosefer e a quebra de paradigmas

Um jogador como Jhosefer é uma espécie de respiro para aqueles que gostam de requintes de futebol do passado nos dias atuais. O garoto, franzino, de apenas 1,70 m, mostra que nem sempre é preciso que os jogadores de meio de campo sejam fortes fisicamente ou muito altos para tomarem conta do setor.

No futebol moderno, muitas vezes espera-se que volantes controlem o meio por poderio físico e domínio do jogo aéreo, mas Jhosefer consegue ser onipresente apenas com sua mobilidade e leitura de jogo privilegiadas. Como é muito rápido e leve, consegue se antecipar facilmente e assim progredir com a bola dominada, já em velocidade, deixando adversários para trás.

Além disso, incansável, o jogador — que apesar da cara de menino já demonstra grande liderança em campo, sendo um dos mais experientes do jovem time da Raposa —, consegue recompor com facilidade. Na partida contra a Portuguesa, foi o dono do meio de campo e ainda coroou a boa exibição ao salvar o Cruzeiro de levar o empate nos minutos finais, ao tirar a bola em cima da linha.

Jhosefer rema contra a correnteza ao deixar a ponta para brilhar como volante, mesmo sendo um garoto rápido e com habilidade, e isso faz dele mais que um atleta comum. Principalmente pelo fato de ter chegado ao profissional do Cruzeiro atuando como um atacante de lado de campo. Hoje, o jogador reúne características raras para alguém da posição. E se pensarmos em alguns dos jogadores do futebol mundial que se assemelham ao camisa 8 do sub-20 celeste em tipo físico e características, veremos que o garoto tem muito para onde crescer.

Apesar da exaltação, toda cautela é necessária quando se trata de alguém tão jovem e Jhosefer, apesar de já ter jogado pelo time principal da Raposa, ainda terá que lutar por seu espaço em um futebol ainda mais físico e competitivo. Mas também não é problema exaltá-lo. É necessário. Que venham as chances no profissional.

O Cruzeiro volta a jogar na Copinha nesta quarta-feira (17), contra o Santos, às 19h30 (horário de Brasília) na Arena Barueri. O vencedor do confronto estará classificado para as quartas de final da competição. Quem passar encara o quem passar do confronto entre Ibrachina e Coritiba.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo