Brasil

Portuguesa e Cruzeiro decidem suas vidas na Copinha, mas já foram protagonistas no Brasileirão de 1998

Lusa e Raposa decidiram vaga na final do Campeonato Brasileiro daquele ano e time mineiro levou a melhor

Portuguesa e Cruzeiro se enfrentam nesta segunda-feira (15) pela fase 16 avos de final da Copinha. O vencedor do confronto segue na competição e garante vaga nas oitavas de final da maior competição de base do futebol brasileiro. Acostumados a grandes jogos e formação de grandes times ao longo dos anos, Lusa e Raposa não estão em seus melhores momentos na atualidade, porém, a campanha dos dois times na competição é uma luz no fim do túnel e o indício de dias mais felizes para paulistas e mineiros.

Até aqui, a Portuguesa venceu todos os seus jogos, em quatro partidas marcou 12 gols, média de três por jogo e sofreu apenas um. Na fase 32 avos de final, a Lusa bateu no Nova Mutum pelo placar de 2 x 0. Já o Cruzeiro, que vem escalando o time sub-17 na Copinha, fez uma campanha um pouco mais modesta. São Três vitórias e um empate, com os mesmos 12 gols marcados e um sofrido.

A diferença para a campanha do time paulista foi que somente em um jogo a Raposa fez nove gols, na goleada sobre o União Mogi por 9 x 0 na última rodada da primeira fase. Na eliminatória anterior, o Cruzeiro sofreu para bater o Madureira pelo placar de 1 x 0.

Saindo um pouco das categorias de base e indo ao profissional, Portuguesa e Cruzeiro sempre protagonizaram grandes jogos e foi a grande pauta do futebol brasileiro em 1998, quando ambos os times se encontraram na semifinal do Brasileirão daquele ano. Os dois clubes tinham dois timaços. A Portuguesa, treinada por Candinho, tinha um esquadrão formado por grandes craques como Evair, Leandro Amaral e o zagueiro César.

Já o Cruzeiro, do técnico Levir Culpi, dispunha de um elenco recheado de estrelas, com Muller, Djair, Marcelo Ramos, Fábio Junior e Valdo. O equilíbrio do confronto era tanto, que foram necessários três jogos para definir o classificado que iria encarar o Corinthians na grande decisão, melhor para a Raposa, que venceu dois jogos e avançou para a final.

Contexto da semifinal entre Portuguesa x Cruzeiro pelo Brasileirão

Falando um pouco das campanhas, o regulamento do Campeonato Brasileiro de 1998 era um pouco diferente do atual. Na primeira fase, 24 clubes se enfrentaram entre si em turno único e os oito primeiros colocados após 23 rodadas se classificariam para as quartas de final seguindo o seguinte chaveamento: o primeiro enfrentando o oitavo, o segundo enfrentando o sétimo e assim por diante. Durante o período classificatório, a Portuguesa terminou no 6º lugar com 40 pontos, com 11 vitórias, sete empates e cinco derrotas.

O Cruzeiro, por sua vez, foi o 7º colocado, ficando com a penúltima vaga, tendo somado 37 pontos, com 10 vitórias, sete empates e seis derrotas. Na primeira fase, os times ficaram no empate por 2 x 2 em jogo realizado no Mineirão. Nas quartas de final, a Lusa encarou o time do Coritiba. No jogo de ida, vitória paulista por 3 x 1, na volta, empate por 0 x 0. Como eram necessários duas vitórias de uma equipe para definir o classificado para a fase seguinte, foi necessário o terceiro jogo.

Na 3ª partida, novo empate, desta vez por 2 x 2, porém, como tinha vencido o primeiro jogo, a Portuguesa seguiu adiante para enfrentar a Raposa nas semifinais. Já o Cruzeiro teve o Palmeiras de Luiz Felipe Scolari como adversário. Na ida, em Minas Gerais, vitória cruzeirense pelo placar de 2 x 1, na volta, triunfo Alviverde pelo mesmo placar no Palestra Itália. No 3º e último jogo, vitória da Raposa em São Paulo pelo placar de 3 x 2.

Lusa dá trabalho, mas para em grande time da Raposa

Na 1ª semifinal entre Cruzeiro e Portuguesa, a experiência do time Celeste em grandes jogos fez a diferença, com isso, a Raposa levou a melhor no jogo de ida e venceu pelo placar de 3 x 1, com gols marcados por Marcelos Ramos Fábio Júnior e Alex Alves, enquanto Leandro Amaral fez o gol da Lusa. Na volta, quem mostrou a sua força foi o time paulista, que venceu pelo placar de 2 x 1 em dia inspirado de Alexandre, que marcou os dois da equipe Rubro Verde e forçou o terceiro e derradeiro encontro entre os times.

Por ter feito a melhor campanha na primeira fase, a Portuguesa teve o direito de jogar em casa no confronto final diante do Cruzeiro. O torcedor paulista estava na expectativa do time disputar mais uma final de Brasileirão, o que havia acontecido em 1996, quando decidiu o Campeonato Brasileiro diante do Grêmio. Mas nem a pressão da torcida lusitana assustou o experiente e qualificado time cruzeirense, que voltou a vencer por 1 x 0 e foi para a final da competição enfrentar o Corinthians, que se sagrou campeão daquela edição.

 

 

 

 

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Existe um ditado que diz que o bom filho a casa retorna não é? Pois bem, sou Lucas de Souza, redator e repórter do Futebol na Veia, de volta ao site após quatro anos, e agora redator do Trivela, um dos maiores portais de futebol do Brasil. Sou jornalista, especializado em Marketing digital e narrador do Portal Futebol Interior e também da RP2Marketing.
Botão Voltar ao topo