Copa do Brasil

Em 2005, Roger e Tévez deram um show no Pacaembu e evitaram vexame histórico do Corinthians contra o Cianorte

Na ida, no Paraná, Timão foi surpreendido e derrotado por 3 x 0 pela segunda fase da competição

Corinthians e Cianorte se enfrentam na noite desta quinta-feira (22), pela primeira fase da Copa do Brasil. O encontro acontece 19 anos depois de um confronto histórico na mesma competição. Em 2005, os times mediram forças ainda na segunda fase, e protagonizaram uma das grandes eliminatórias daquela edição. No jogo de ida, o galático time corintiano, que contava com Carlitos Tévez e era comandado pelo argentino Daniel Passarela, não viu a cor da bola contra o Leão, e foi derrotado por 3 x 0.

Na volta, com o bom e velho Pacaembu lotado de corintianos, o Timão deu o troco, em noite inspirada do meia Roger e de Tévez, que marcaram dois gols cada. Placar final, Corinthians 5 x 1 e classificação alvinegra garantida para as oitavas de final daquela edição. Posteriormente, o Timão foi eliminado para o Figueirense, mas aquele resultado diante do Cianorte mostrou a força de recuperação e a qualidade daquele elenco, que mais tarde seria campeão brasileiro sob o comando de Antônio Lopes.

Nesta noite, o Estádio Willie Davids, em Maringá, recebe mais uma vez o confronto, assim como em 2005. O vencedor avança para a próxima eliminatória e o empate dá a classificação ao time visitante, no caso o Corinthians. O torcedor do Cianorte espera, no entanto, que sua equipe incorpore o mesmo espírito de 19 anos atrás e consiga surpreender o Timão mais uma vez, eliminando o gigante da capital paulista.

Com direito a golaço de bicicleta, Cianorte passeia diante do Timão

No dia nove de março de 2005, Cianorte e Corinthians se enfrentaram pela segunda fase da Copa do Brasil. O Timão havia eliminado o Sampaio Corrêa na fase anterior, enquanto o Leão do Vale bateu o CENE do Mato Grosso do Sul. No time corintiano, nomes de peso como Roger Flores, Tévez, Carlos Alberto, Gil, Fábio Costa, entre outros jogadores, que comandados por Passarela, eram mais do que favoritos para vencer o confronto diante dos paranaenses.

Mas como no futebol e, principalmente, na Copa do Brasil as zebras costumam passear (e muito), o estrelado time do Corinthians não viu a cor da bola no jogo de ida diante do Cianorte. O Leão do Vale era treinado por Caio Júnior, que faleceu em 2016 no acidente da Chapecoense. Naquela época, ele despontava como um grande treinador. O time paranaense não deixou o Timão jogar, marcou em cima durante o jogo inteiro e definiu a parada ainda no primeiro tempo.

Fábio Costa saiu mal após cobrança de escanteio da esquerda e Edson Santos aproveitou o gol aberto para abrir o placar. Pouco tempo depois, Daniel arriscou de longe, Márcio Machado desviou e tirou a bola do alcance do goleiro corintiano para marcar o segundo gol do Cianorte. O torcedor do Corinthians acompanhava, sem acreditar, o que estava acontecendo em Maringá, já que o Alvinegro não conseguia sequer atacar o time paranaense.

O pior para o time paulista ainda estava por vir. Aos 14 minutos, o mesmo Márcio Machado aproveitou um chute cruzado para a área, levantou a bola e virou uma linda bicicleta, no ângulo de Fábio Costa, para sacramentar o resultado histórico e deixar o torcedor do Corinthians incrédulo.

Ao melhor estilo Corinthians, Alvinegro vira no Pacaembu

Na volta, um Pacaembu lotado e um clima de pressão incrível fez o time corintiano jogar bem diferente do que no Paraná. Pode não ter sido a exibição mais brilhante da equipe, mas o brio Alvinegro estava bem maior para o desafio de virar aquele placar elástico construído pelo Cianorte no jogo da ida. Aos 12 minutos do primeiro tempo, Rocha recuou errado, Carlitos Tévez se antecipou ao goleiro Adir e abriu o caminho da classificação.

Na sequência, um susto. Após cobrança de falta da intermediária, Fábio Costa soltou a bola nos pés de Edson, que impedido, marcou o gol de empate do Leão. Se existisse o VAR naquela época, fatalmente o gol seria anulado. O tempo foi passando e o Corinthians acelerando o jogo – naquele momento, o time precisaria fazer mais quatro gols para conseguir a classificação. Marcelo Mattos achou um passe lindo para Roger, que invadiu a área e chutou forte de perna esquerda para marcar o segundo gol do Timão no final do primeiro tempo.

Aos 42 segundos da etapa complementar, o Corinthians aumentou a vantagem para 3 x 1 no Pacaembu. Em boa troca de passes, Roger cruzou, a bola passou por Tévez, mas chegou em Carlos Alberto, que devolveu para o argentino marcar o terceiro do Timão – faltavam dois para a virada histórica. Seis minutos mais tarde, Roger cobrou falta de longe, Adir falhou feio e o Alvinegro marcou seu quarto gol no jogo.

Na reta final, após uma forte pressão do Alvinegro, com direito a bola na trave de Carlos Alberto em cabeceio, Gustavo Nery dominou na entrada da grande área e de perna esquerda marcou o quinto e último gol da remontada corintiana no Pacaembu.

Como chegam as equipes para o confronto nesta quinta-feira

Corinthians e Cianorte estão em momentos diferentes do que em 2005. O Cianorte se estruturou, e negociou recentemente a sua SAF com um grupo de empresários sul-coreanos – que estarão pela primeira vez no Willie Davids para acompanhar ao jogo. O investimento previsto é de R$ 50 milhões em dez anos de contrato. Inicialmente, o clube não divulgou o nome da empresa responsável pelo aporte – Bright I Holdings, segundo apuração feita pelo Última Divisão.

Trata-se de dois empresários coreanos que vão investir no clube que criaram uma holding especificamente para investir na equipe. A prática não é incomum no Brasil, já que o City Group do Bahia e a Eagle Football, do Botafogo, tem modelo parecido. O ex-jogador Bruno Martins é o representante da Bright I Holdings no Brasil, e afirmou que um dos coreanos é ex-agente da Fifa e tem vasta experiência com o futebol.

O Corinthians, por sua vez, parece ter encontrado o caminho da paz após um início de temporada bastante turbulento. Com a chegada de António Oliveira, ex-treinador do Cuiabá, ao comando técnico do clube, o Alvinegro começou a se organizar melhor e vem de três jogos sem derrotas, sendo duas vitórias e o empate histórico diante do Palmeiras na última rodada do Paulistão.

 

 

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Esse é Lucas de Souza, redator e repórter do Futebol na Veia e da Trivela. Jornalista especializado em Marketing digital é também narrador do Portal Futebol Interior e da RP2Marketing.
Botão Voltar ao topo