Brasileirão Série A

A estatística bizarra que faz Luis Zubeldía ser um ‘recordista’ de suspensões

Trivela investiga os números que levaram técnico a dizer que tem um "recorde" de expulsões na carreira

Aliviado com a vitória do São Paulo por 2 a 1 sobre o Criciúma, na última quinta-feira (27), Luis Zubeldía se permitiu brincar e até dar risada na entrevista coletiva após a partida. O motivo? A sua suspensão para o duelo com o Bahia, neste domingo (30), às 16h (horário de Brasília), no MorumBIS, pelo Campeonato Brasileiro.

O treinador recebeu o terceiro cartão amarelo durante o jogo contra o Tigre e será substituído por um de seus auxiliares no fim de semana. E o argentino garante que seu estafe está acostumado a comandar suas equipes, porque ele mesmo se chama de recordista de suspensões.

— Eu tenho um recorde. Recorde de expulsões. Recorde de amarelos. O meu estafe está acostumado que eu seja expulso. Acredito que eu tenha um recorde de expulsões — brincou Zubeldía.

A fala do treinador arrancou risadas dos jornalistas presentes na sala de imprensa do MorumBIS. E instigou a Trivela a investigar qual é o tal recorde do qual Zubeldía se “orgulha” — ou nem tanto.

O “recorde” de expulsões de Luis Zubeldía

Conhecido por seu temperamento explosivo desde os 27 anos — quando iniciou a carreira como técnico —, Luis Zubeldía fez história no Equador não apenas pelos títulos da Copa Sul-Americana e do Campeonato Equatoriano pela LDU em 2023. O técnico coleciona um total de 18 expulsões por clubes equatorianos.

Tudo bem que o argentino trabalhou por longos anos no país. Foram quatro anos de LDU, divididos em duas passagens, e mais um ano de Barcelona-EQU. Um total de 174 jogos comandados. A média é de uma suspensão ou expulsão a cada 10,4 partidas.

Vale lembrar que boa parte das punições veio antes da regra que penaliza os técnicos com suspensões a cada três amarelos acumulados. Ao todo, Zubeldía soma 12 expulsões pela LDU e sete pelo Barcelona.

> Zubeldía no futebol equatoriano

  • 198 jogos;
  • 18 suspensões;
  • média de 1 suspensão a cada 10,4 jogos
Zubeldía tem histórico de expulsões pela LDU (Divulgação/LDU)

Técnico já se disse “perseguido” pela arbitragem

Os atritos com a arbitragem marcaram a sua última passagem pela LDU tanto quanto os títulos. O treinador somou seis suspensões em menos de duas temporadas completas, com um total de 71 jogos.

Não à toa, Zubeldía já afirmou em entrevista após uma expulsão em 2022 que se sentia perseguido pela arbitragem. O técnico disse pagava por seu passado de polêmicas.

— Sofri uma expulsão totalmente injusta. Os árbitros têm que estar focados no que ocorre dentro do campo. Vejo que há uma perseguição, e estão mais atentos com o que acontece no exterior do que no que acontece na partida. A partir de boas arbitragens e de critérios, da boa utilização do VAR, todos estaremos mais calmos — disse o treinador à época.

O passado a que Zubeldía se refere é o seu início de carreira. O técnico ficou conhecido por seu temperamento explosivo no comando do Lanús. E também pela LDU.

Em 2014, já no comando a Liga de Quito, o argentino foi expulso por ter invadido o gramado para contestar um pênalti marcado pelo árbitro Roddy Zambrano para o Independiente del Valle. O treinador chegou a dar tapas no braço do árbitro e acabou suspenso por seis meses. Depois, a pena foi reduzida para três meses.

Zubeldía explica cartões pelo São Paulo

Na mesma entrevista em que brincou sobre o recorde de suspensões, Zubeldía também admitiu que esperava que o terceiro cartão amarelo viria antes. O técnico disse que já havia reclamado bastante com a arbitragem no empate em 2 a 2 com o Corinthians e na derrota por 4 a 1 para o Vasco.

Até agora, o treinador já recebeu seis cartões amarelos em 15 partidas pelo clube. 

> Zubeldía pelo São Paulo

  • 15 jogos
  • 6 cartões amarelos
  • Média de 1 cartão a cada 2,5 dias

— Mas se vamos com o lema, com a bandeira de que a partida do dia é a mais importante, hoje eu senti que o árbitro tinha que agir antes. Por isso eu protestei. Hoje, se tivesse que levar um amarelo, levaria. Agora, sim a pensar no Bahia.

— Eu estive guardando esse terceiro amarelo. Já senti no clássico com o Corinthians e no outro dia, o primeiro gol do Vasco, senti que fizeram falta no Alan (Franco). No 1 a 1, fazem falta no Alan Franco. Meu estafe está acostumado. Não creio que o rendimento da equipe passe por isso — Zubeldía.

> Os próximos três jogos do São Paulo

  • São Paulo x Bahia — Brasileirão — domingo (30), às 16h (horário de Brasília);
  • Athletico-PR x São Paulo — Brasileirão — quarta-feira, 3 de julho, às 21h30 (horário de Brasília).
  • São Paulo x Red Bull Bragantino — Brasileirão — sábado (6), às 21h (horário de Brasília)
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Jornalista pela PUCRS, é setorista de Seleção e do São Paulo na Trivela desde 2023. Antes disso, trabalhou por uma década no Grupo RBS. Foi repórter do ge.globo por seis anos e do Esporte da RBS TV, por dois. Não acredite no hype.
Botão Voltar ao topo